Praça Viva Feliz e Feira de Saúde mental atendem moradores em Engenheiro Coelho

Impacto Social

Escrito por

Isabella Anunciação

Publicado em

17 set 2018

Crédito imagens

Divulgação

Durante o evento foram desenvolvidas atividades com as crianças

 As atividades solidarias do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho estão em constante movimento. Nesse domingo, o bairro Universitário recebeu a “Praça Viva Feliz” e “A Feira de Saúde Mental”. O Evento disponibilizou assistência psicológica, corte de cabelo, atendimento odontológico e atividades recreativas para as crianças. A programação ocorreu das 10h às 14h e contou com a disposição de 40 voluntários para o atendimento a comunidade.

O intuito do “Praça Viva Feliz” é atrair a comunidade carente e descobrir suas necessidades emergentes. Mas o trabalho não para por aí. Dentro da equipe existem responsáveis por coletar dados e contato das pessoas com necessidades específicas, para assim, atendê-las de forma eficiente. O foco nessa última ação foi mostrar para os moradores do bairro que eles podem contar com o apoio do ministério. “Estamos chamando a atenção da galera, mostrando que estamos aqui e queremos ajudar”, frisa Bianca Kiss, coordenadora do projeto. 

A “Feira de Saúde Mental” disponibiliza 5 stands voltados para atendimentos psicológicos. Cada um deles possui responsáveis que abordam um tema importante para aliviar o sofrimento emocional. Os participantes praticam uma atividade física e aprendem sobre como os exercícios são relevantes para melhorar o psicológico, recebem palestras voltadas à saúde emocional, conversam sobre os resultados do bom convívio social e de bônus recebem uma massagem. “Têm pessoas que sofrem sozinhas e aqui podemos ajudar. Eu me sinto aliviado depois de ter feito uma feira de saúde mental”, conta Daniel Gaspar, líder da Feira de Saúde Emocional.

Luísa Barbosa foi uma das moradoras do bairro que chegou bem cedo para a programação do Praça Viva Feliz. Um dos serviços que motivou a jovem a participar foi a Feira de Saúde Mental. “Precisa ser feito mais eventos assim, voltados com uma atenção maior aos problemas psicológicos”, comenta.  Luísa foi embora da feira com a convicção que os atendimentos prestados a ela foram tijolinhos na parede da busca pela cura das doenças emocionais que a vida lhe trouxe.