Pesquisa mostra que é possível alcançar hipertrofia em treinos curtos

Artigo

Escrito por

Glória Barreto

Publicado em

29 Maio 2019

Pesquisador e professor Luan Oenning acompanhando os métodos de treino realizados na pesquisa.

A musculação é uma estratégia eficaz para quem busca aumento de massa muscular, a famosa hipertrofia. Para esse fim, existem diversos métodos de treino diferentes, uns com muitas repetições e cargas baixas, e outros com uma estratégia inversa, priorizando altas cargas nos exercícios. Alguns modelos podem ainda, optar por os intervalos curtos para deixar as sessões de treino mais intensas.
Para comparar métodos de treino e seus resultados, os professores doutor Charles Lopes e doutor Jonato Prestes, juntamente com uma equipe de pesquisadores, realizaram um estudo que avaliou dois métodos de treino. Os treinos foram executados por 12 alunos voluntários, do curso de educação física do Unasp, por um período de três semanas.
Uma parte dos voluntários realizou o modelo de treino tradicional, que consiste basicamente na execução de séries de 8 a 12 repetições com pausas de 1 minuto. O outro grupo, experimentou um novo método de treino, que tem como prioridade pausas curtíssimas para intensificar a atividade.

Resultado da pesquisa

Ao final das três semanas, foi realizado uma análise de espessura muscular, com um aparelho de ultrassom, para comparar os resultados. Um dos pesquisadores do projeto e professor do Unasp Ht, Luan Oenning, os dados foram bem conclusivos. “O método com pausas curtas e repetições executadas até a falha do movimento promoveu maior espessura muscular pós treino, se mostrando uma estratégia para praticantes de musculação com nível intermediário e avançado. A principal vantagem do método, é que por conta das pausas curtas e da alta intensidade, é possível realizar um treino rápido e eficiente”, explicou Oenning.

Essa pesquisa foi desenvolvida nas dependências do Unasp Hortolândia, idealizada pelo professor doutor Charles Ricardo Lopes, que coordena grupos de pesquisa com temas relacionados ao treinamento de força, no Unasp campus Hortolândia e na Universidade Metodista de Piracicaba. O trabalho foi conduzido por alunos de pós-graduação, monitores do professor Charles Lopes, sob sua supervisão. Vale ressaltar que essa pesquisa também publicada na revista Frontiers in physiology.