Mortalidade por Covid-19 no Brasil: perfil sociodemográfico das primeiras semanas

UNASP Ciência

Escrito por

ciencia.unasp.br

Publicado em

03 fev 2021

· Pesquisa: Mortality due to Covid-19 in Brazil: sociodemographic profile of the first weeks (Research, Society and Development, v. 10, n. 1, 2021; DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11588)
· Autores: Elias Ferreira Porto (Centro Universitário Adventista de São Paulo); Alessandro Leipnitz Domingues (Centro Universitário Adventista de São Paulo); Anselmo Cordeiro de Souza (Centro Universitário Adventista de São Paulo); Monica Karla Vojta Miranda (Centro Universitário Adventista de São Paulo); Morenilza Bezerra da Conceição Froes (Centro Universitário Adventista de São Paulo); Sérgio Rosa Vieira Pasqualinoto (Centro Universitário Adventista de São Paulo).
· Linkhttps://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/download/11588/10593/156516

A pesquisa responde a qual pergunta?

Qual é o perfil das vítimas da Covid-19 no Brasil que vieram a óbito nas seis primeiras semanas após a confirmação do primeiro caso, no dia 26 de fevereiro de 2020?

Por que isso é importante?

A Covid-19 já foi constatada em diversos países, com distribuição desigual pelos hemisférios. No dia 26 de fevereiro, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso no Brasil, e em meados de março a primeira morte; ambos em São Paulo. Embora estudos demonstrem que a população de óbito seja indivíduos idosos com doenças pré-existentes, não se sabe ao certo o perfil dos vitimados no Brasil.
A despeito dos estudos realizados em outras populações, vítimas da Covid-19, é possível que uma análise detalhada do perfil do paciente que vai a óbito no Brasil contribua para a tomada de decisões assertivas no tratamento dos infectados. Isto porque a reação do organismo diante da infecção pelo novo coronavírus é diferente em cada indivíduo, podendo também variar de população para população.

Quais foram os resultados?

Após serem caracterizados por sexo, idade, cor da pele e presença de outras morbidades associadas à Covid-19, constatou-se que 72% dos óbitos nas primeiras seis semanas após o primeiro caso foram de pessoas com mais de 60 anos, ainda que 80% dos infectados não pertencessem a essa faixa etária. Além disso, 60% eram do sexo masculino, mesmo com média de 51,4% dos infectados deste sexo. A frequência de óbitos foi maior entre indivíduos de cor branca quando comparada aos de cor parda e negra.
Em suma, a taxa de mortalidade nas primeiras semanas foi de 6,92% (superior aos 3,9% na China), sendo maior entre indivíduos do sexo masculino, os mais idosos – principalmente entre aqueles que tinham morbidades análogas à Convid-19 – e os de cor branca da pele. Além disso, o número de infectados dobrou a cada cinco dias no período estudado, e a taxa de mortalidade corrigida por 100 mil habitantes foi maior em cidades pequenas interioranas.