Universitários comemoram 3 anos de Altas Horas

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

18 out 2015

Na sexta-feira, dia 16 de outubro, o final de semana começou com comemoração no UNASP campus São Paulo. A noite, logo após o culto na Igreja UNASP-SP, os alunos se encontraram no Salão Nobre do campus para mais uma edição do programa Altas Horas. O projeto criado e conduzido por alunos com o objetivo de continuar o momento de comunhão com Deus e com os amigos depois do primeiro culto do final de semana, comemorou nesse dia seu terceiro ano.

O evento que também fez parte das comemorações do Centenário do UNASP-SP, trouxe convidados especiais para falar de um assunto atual e cada vez mais presente na rotina dos universitários do campus. O pastor Douglas Menslin, diretor geral do UNASP-SP, apresentou uma mensagem com o tema Chamados para Servir. Mais um incentivo aos jovens estudantes para atenderem ao chamado de participar dos projetos missionários que a instituição oferece e apoia. O Pastor Douglas mencionou que Devemos ir onde Deus mandar, não importando o lugar. A mensagem musical do programa foi apresentada pelo grupo Zango Coral da Igreja Adventista do bairro Parque Cláudia.

Ainda no mês de outubro, no dia 2, aconteceu outra edição do programa Altas Horas que abordou o tema “Adoração ou Exibição?”. Além de outras atrações o programa recebeu também convidados especiais como a cantora Melissa Barcelos e seu esposo Sandro Barcellos. Além de cantar, Melissa e o marido participaram de um debate sobre música e adoração no qual também esteve o músico e maestro Silmar Correia. A mensagem espiritual da noite foi apresentada pelo pastor Henrique Zanin.

“É a primeira vez que estamos comemorando o aniversário do Altas Horas em um programa designado só para isso. Estamos felizes com os três anos do programa. Por isso é tão especial, porque foi um programa criado por alunos. Desde a primeira ideia, desenvolvimento e até hoje tem dado certo”, ressaltou Ana Elice Fonseca, a estudante de Ciências Biológicas é uma das organizadoras do programa.

A enfermeira Kênia Albuquerque, que apresenta o programa desde o início, fala que o que mais a motiva nesse projeto é seu grande desejo de ver Jesus voltar em sua geração. “Eu acho que nós precisamos agitar a galera, sabe? Jesus precisa voltar e nós somos a geração que vai ver Jesus voltar. Eu quero ver isso com meus olhos, quero ver as coisas acontecendo. O mundo precisa saber que Jesus vai voltar, o mundo precisa saber que existe um Deus maravilhoso, precisa de sorriso. Nós somos chamados para servir, nós somos chamados para testemunhar e levar isso para as outras pessoas”, destacou.

por Tainá Macedo