Os preparativos para o dia das mães, começaram a ser programados bem antes da data marcada no calendário. Tudo para que o projeto “Adote uma Mãe” tivesse o maior número de doações. Esse projeto inédito, na região de Hortolândia, teve o objetivo de encher banheiras de bebês com objetos de higiene infantil. As doações, embrulhadas para presentes, foram entregues nos dias 12 e 15 de maio, para as mães no Hospital Municipal e Maternidade Governador Mário Covas.

Na manhã desta segunda, 15 de maio, estudantes entregam os presentes à grávidas do Hospital municipal e maternidade governador Mário Covas.

Além das arrecadações, mães e alunos participaram de gincanas e momentos de recreação nos domingos 7 e 14 de maio. Nesses dias, tiveram atividades, música e até lembrancinhas. Foram momentos em que as mães puderam ficar mais próximas de seus filhos. Para a mãe de aluna Alana Ferreira Pozelli, o dia todo foi para aproveitar a filha, que começou a estudar este ano. “Gostei muito do meu primeiro dia das mães na escola”.

Nas atividades de mães e filhos do último domingo (14), as mamães tiveram direto a uma massagem feita por seus filhos.

Para as mamães que frequentam o ensino superior, a faculdade do campus preparou uma programação especial para elas, com uita música e lembrancinhas em reconhecimento ao esforço que fazem para cuidar de sua família e de seus estudos.

Confira as fotos de todas essas programações acessando www.iasp.br

Sucesso do projeto “Adote uma Mãe

 

Foram 36 banheiras arrecadadas e doadas.

Cada classe recebeu uma banheira para preencher com os produtos arrecadados. No total, foram 36 banheiras, 12 kits e muitas roupinhas doadas foram para as mães selecionadas pela assistência social do Hospital. “Foi maravilhoso. Uma benção de Deus. Recebi dois presentes, minha filha e os produtos”, agradeceu Tatiane de Almeida, mãe de 4 filhos que foi contemplada.

Para a coordenadora do hospital, essas doações vão fazer uma grande diferença na vida dessas mães. Para Clarina Cozer, uma das grávidas homenageadas a surpresa ficará marcada. “Nunca tive esse tipo de emoção na minha vida, eu até chorei. Para mim, foi muito gratificante e guardarei para o resto da vida essa recordação”.

Por Sabrina Girotto