Programa Celebra 6 anos de “O Amor é Capaz”

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

01 abr 2015

Em 100 anos de existência, milhares já passaram pelo UNASP-SP e fazem parte da história da instituição, como o pastor John Lipke, que foi responsável pela fundação do UNASP-SP com John Boehm. Lipke foi o primeiro diretor da Instituição.

Ele veio da Alemanha para o Brasil para servir à Igreja Adventista. Seu sonho era ver um batalhão de jovens passando pelo UNASP-SP em busca do preparo para a vida.

O sonho de Lipke se realizou, mesmo tendo falecido em 1943 aos 69 anos. Sua história foi relembrada e encenada na sexta edição do programa “O Amor é Capaz”.

“O Amor é Capaz” é um programa que teve origem há seis anos, sob a coordenação do maestro Silmar Correia, professor e regente do Jovem Coral do UNASP-SP. Participam do programa também o Coral Universitário Expressão Jovem e, neste ano, o Coral do Ensino Médio, Tempo Jovem.  Ao falar sobre edições anteriores e o programa deste ano, ele diz perceber um amadurecimento da essência e proposta do evento.  “Em outras edições o projeto acabava na celebração. Neste ano o programa comemorou um centenário cheio de amor. A encenação central do programa foram os 100 anos de amor no UNASP. Continuamos a ideia da missão e serviço de amor que os pioneiros iniciaram há 100 anos. Somos espelho de algumas ações que eles plantaram lá atrás com visão, sacrifício e suor”, diz ele.

Amor marcando vidas

Muitas vidas foram marcadas no decorrer destes anos com as ações realizadas no programa. Muitos foram despertados para estudar mais sobre Deus, o autor do verdadeiro amor, outros estão mais gratos a Deus por bênçãos e vidas têm sido transformadas pelo amor. O Jovem Coral, sob a liderança do maestro Silmar, tem feito um trabalho especial na Coahb Adventista, que fica ao lado do UNASP-SP. “O projeto tem transformado a vida dos coristas. Eles vão fazer as atividades não porque eu coloquei isso no coração deles, mas porque se interessam, por estarem felizes em participar do projeto. É algo natural. Eu vejo os coristas engajados e motivados em servir ao próximo”, diz o maestro.

A aluna de Fisioterapia do UNASP-SP e corista do Jovem Coral, Letícia Simões, participa do evento há quatro anos e diz ser este um programa especial.  “Em três edições do programa eu fui abençoada e pude ser bênção também na vida de outros. É um sonho que veio do coração de Deus. Sei que Ele deseja que o amor seja constante em nossa vida, todos os dias, pois quando Cristo habita no coração, as ações e gestos fluem naturalmente com o verdadeiro sentimento”, frisa ela que foi surpreendida no evento deste ano com uma declaração de amor do namorado.

Elias Reis de Azevedo possui 81 anos e faz parte da história centenária do UNASP-SP. Ele chegou ao campus em fevereiro de 1955, quando veio fazer o curso técnico superior. Fez o Técnico em Contabilidade e, na sequência, a Faculdade de Teologia. Sempre amou quartetos. Um mês após sua chegada na instituição ingressou no Quarteto Harmonia. Participou de corais, regeu o atual Coro Masculino do UNASP-SP (no qual canta até hoje) por mais de 20 anos.

Desde que aqui chegou, atos de amor têm marcado a vida de Azevedo. “O coral era uma família. Era muito bom. Pessoas marcam nossa vida e fazem parte de nossa história. Eu tive um professor chamado Francisco Nunes que me deu aula de Bíblia na Faculdade de Teologia. A maneira como ele falava sobre a Nova Terra e suas aulas marcaram minha vida”, comenta Azevedo, emocionado ao relembrar.

Além deste professor muitas outras pessoas marcaram a vida de Elias Azevedo. Em especial, a pessoa que mais lhe marcou foi o grande amor de sua vida, que ele conheceu no campus, a falecida Zilda Azevedo. “Orei a Deus e pedi que me desse uma moça com as características que a Zilda tinha, e que gostasse de mim e eu dela à primeira vista. Foi assim que aconteceu”, relembra ele, com saudades da sua falecida esposa com quem namorou por 3 anos e viveu 39 anos casado, até o seu falecimento em 8 de março de 2000.

Azevedo assiste todos os anos ao programa “O Amor é Capaz” e diz que o programa é muito bom, pois motiva os jovens a servir e amar o próximo. “O amor é capaz de tudo. Quando somos sinceros  e servimos ao outro, demonstramos um grande ato de amor. Devemos tratar bem os outros sem esperar nada em troca, e sem discriminação, pois não sabemos por quanto tempo estaremos vivos”, conclui ele.

“O Amor é Capaz” continua durante todo este ano. Fique atento. Em agosto está previsto o programa  “O Amor é Capaz in Concert”. Os recursos obtidos com o evento serão revertidos para uma ação específica.

Por Murilo Pereira e Rosemeire Braga