Munasp chega a 5ª edição formando novas gerações de músicos

Acontece no Unasp

Escrito por

Murilo Pereira

Publicado em

10 jul 2016

Durante uma semana, mais de 200 alunos com idades entre 10 e 17 anos, escolheram usar suas férias escolares estudando música. É que entre os dias 3 e 9 de julho acontece a 5ª edição do Munasp, Festival Internacional de Música do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), campus São Paulo sob a direção artística do maestro Jean Reis.

A rotina é intensa e proporciona total imersão musical. Após o café da manhã, os alunos começam o dia com um momento devocional de reflexão e oração pelas atividades que serão desenvolvidas durante o dia. Os ensaios das orquestras começam às 9h. Cada aluno participa da orquestra que melhor se encaixar ao seu nível de experiência. Após o almoço, às 14h, em sala de aula é o momento de tirar dúvidas sobre os instrumentos, aprender técnicas e ouvir as orientações de professores de carreira internacional e que estão acostumados a lecionar para alunos bastante avançados e dividir os palcos com grandes músicos.

Em cada noite de festival, são esses os profissionais que se apresentam em concertos de alto nível e abertos ao público.

“O Munasp significa para mim a oportunidade de estar aprendendo mais e de ter acesso a professores que eu não teria num caminho normal. É como se fosse um atalho para ajudar na minha evolução musical”, concluiu o estudante de 16 anos, Kaleo Lenz, que começou a praticar violoncelo há alguns meses e participa do Munasp pela primeira vez.

Professor de violino, viola e estudante da Universidade de Brasília, Thomaz Rocha, participou do Munasp em 2014 e voltou nesta edição trazendo seus alunos. “Isso é de extrema importância para quem está começando a estudar agora. Os estudantes precisam disso. Pode mudar a vida de um estudante e o resto de sua carreira profissional pode ser determinada através de um festival como esse”, afirmou.

“Somos muito gratos ao Unasp por desenvolver um festival desta importância que reúne músicos de qualidade do país e de fora do país e que a gente tem a oportunidade de conviver com essa garotada toda unida pelo desenvolvimento de uma música que se não se cuidar, podemos perde-la no futuro”, considerou o pianista, Ney Fialkow, professor no Instituto de Artes da UFRGS.

Além das classes de violino, viola, violoncelo, contrabaixo, piano e harpa, em uma turma especial pianistas estão sendo instruídos e ensinados pela professora Ellen Stencel, coordenadora do curso de Música do Unasp, campus Engenheiro Coelho. As aulas incluem aprofundamento cultural e de leitura do instrumento, além da técnica. Entre os alunos, alguns pianistas de igrejas estão aproveitando a oportunidade para melhor se capacitarem para o ministério que desenvolvem.

Para o diretor artístico do Munasp, maestro Jean Reis, o festival se preocupa em formar músicos completos considerando elementos além dos aspectos teóricos e técnicos que já fazem parte de uma boa formação.

“Toda a parte pedagógica e o ensino da técnica do instrumento que utiliza técnica para que a música possa soar bem para quem vai ser um artista, devem estar aliados a uma formação do que é ser uma pessoa capaz de transmitir aquela música. Ou seja, todo o aspecto humano e a formação como um todo. Isso é um diferencial no Munasp. Nós temos a oportunidade única de poder tratar com os pequenos que estão crescendo e começando a sua música e

começando a vida. Para nós o mais importante é que possamos ter esse ser humano, que está começando a vida, completo como ser humano e completo como músico”, enfatizou.