Alunas de jornalismo retratam em livro o universo do autismo

Impacto Social

Escrito por

Jota Terres

Publicado em

29 nov 2018

Crédito imagens

Raiane Lívia

O livro-reportagem das alunas concluintes da faculdade de jornalismo do Unasp visou quebrar estereótipos sobre o autismo

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil há cerca de dois milhões de autistas. No mundo, este número sobe para 70 milhões de pessoas. Um novo relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, dos Estados Unidos, mostrou um aumento de 15% no número de crianças que fazem parte do transtorno do espectro autista (TEA) em relação aos dois anos anteriores. Isso significa um caso para cada 59 crianças (estimativas de 2014, divulgadas em abril deste ano) contra 1 em cada 68 (estimativas de 2012, divulgadas em 2016). Mesmo que os dados mostrem crescimento no número de pessoas que tenham TEA, a sociedade como um todo, parece não compreender este fenômeno.

Com inovação, delicadeza e domínio da escrita, as alunas do curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho, Thaís Alencar e Victoria Coelho produziram um livro-reportagem que aborda o assunto do autismo. O livro intitulado “Através do Espelho: uma viagem ao universo do autismo”, foi escrito com uma figura de linguagem nada habitual. As escritoras fazem uma analogia literária com a ficção de Lewis Carroll, Alice através do espelho (1871). Na obra de Carroll, a personagem principal consegue passar através do espelho e sair num mundo completamente diferente. Vive situações engraçadas, estranhas, perigosas e absurdas, sempre de maneira natural e sem estranhamentos.

“Nós tivemos a oportunidade de trabalhar o autismo de forma inusitada. O livro-reportagem nos proporciona trabalhar temas sociais com uma abordagem literária. Esta analogia entre o mundo mágico de Alice e as vivencias únicas de cada autista fez a gente se empenhar em produzir este material” conta Thaís com emoção. “Na introdução de cada capítulo, Thaís descreve este lado do espelho mais fantasiosa e eu estou na parte real. Na realidade, é onde apresentamos pessoas com autismo, falas de especialistas e afirmações que corroborem a ideia principal deste livro que é: informar a sociedade sobre um tema que é tão estereotipado” declara Victoria.

Além de terem estudado por quatro anos juntas no curso e terem escrito um livro-reportagem em dupla estará mais dois anos próximas, pois Thaís e Victória prestaram as provas e foram aprovadas no curso de pós-graduação do mestrado em Divulgação Científica e Cultural da Unicamp, uma das pós-graduações mais conceituadas na América Latina vinculado ao Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor).