Blog do Unasp

Inteligência cultural: desenvolva essa competência desejada pelo mercado

Provavelmente você já ouviu falar em inteligência emocional, no entanto, já ouviu falar em inteligência cultural? Pois é, desenvolver essa habilidade pode ser um grande diferencial no seu currículo. Vamos entender melhor sobre o que se trata.

Para conseguir ter vantagem no mercado de trabalho algumas habilidades são essenciais. Houve um tempo em que um bom currículo exigia mais as qualificações de uma pessoa. No entanto, de uns tempos para cá, passou a ser considerado também outras habilidades. Algumas delas ligadas diretamente às emoções e experiências, como a inteligência emocional e cultural. Essa última está sendo mais requisitada em um contexto globalizado, que vivemos hoje. 

Sabendo que a competição é comum em qualquer área de atuação, e se você quer estar à frente, continue lendo o post que nós vamos te explicar mais sobre esse novo atributo.

Explicando o Quociente emocional (QE)

Igualmente ao QI, o quociente emocional é uma forma de medir a inteligência emocional de um indivíduo. E se existe uma palavra que poderia resumi-la, esta é “equilíbrio”.

Em suma, o QE se refere a habilidade de lidar com suas próprias emoções e a de outros. Administrando-as de uma forma que consiga utilizá-las ao seu favor em qualquer situação. 

É através do autoconhecimento, entendendo seus pontos de melhorias e fortes, assim também como os gatilhos e como acalmar as diversas emoções, que podemos conquistar esse tipo de inteligência.

Mas não somente com isso. A inteligência emocional possui cinco pilares que precisam ser trabalhados. São eles: 

  • Percepção das emoções: que se resume em perceber e entender os sinais/mensagens que cada emoção sua, e de outros, transparece; 
  • Gerenciamento emocional: aprender a trabalhar a sua resposta emocional a cada situação;
  • Autorresponsabilidade: ter a coragem e capacidade de assumir a responsabilidade por tudo que ocorre em sua vida, sejam sucessos ou fracassos;
  • Foco: aprender a levar o foco e percepção das situações e pessoas de uma maneira positiva. Onde focamos determina nossa conduta;
  • Ação: nossa ação e reação de forma pensada, visando a derrota do medo e reprogramação de pensamentos e hábitos. 

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Inteligência cultural, como assim?

A inteligência cultura é definida por David Livermore, um cientista social americano, como “a capacidade de um indivíduo funcionar eficazmente em situações culturalmente diversas”. Em suma é como a pessoa se comporta em situações que ocorrem diversidade cultural nos mais diferentes níveis, desde sociais e religiosos até culturas pessoais.  

Essa característica torna-se muito mais essencial para pessoas que trabalham ou almejam uma vaga em empresas multinacionais. E falando nisso, a revista Forbes publicou uma lista das 30 maiores empresas do mundo que possuem atuação aqui no nosso país. 

Entretanto, como falamos anteriormente, nosso mundo está cada vez mais globalizado, o que nos permite o contato com mais diversidade cultural do que há anos atrás. Assim, mesmo que seu foco não seja uma multinacional, é importante buscar meios de desenvolver essa aptidão. 

Desenvolvendo a nova habilidade 

Por isso que a gente trouxe algumas ideias para alcançar esse objetivo. Tendo sempre em vista que só conseguimos aprender a lidar com algo, e assim desenvolver uma nova característica, quando somos colocados em contato com o ponto em questão. 

Saia do seu país 

Desta forma, com toda certeza uma das dicas que mais servem para esse objetivo é o intercâmbio. Isso porque é proporcionada a imersão em uma outra cultura, o que resulta em uma abertura de “horizontes mentais”, te deixando mais perceptivo e receptivo com as diferenças. 

QE e inteligência cultural

Da mesma forma, sabendo que a inteligência cultura tem uma ligação com a inteligência emocional, uma alternativa que pode ser feita agora é trabalhar seu QE. Estabelecendo os pilares que foram citados acima e adquirindo uma cultura de feedback. Busque conversar e trocar experiências com pessoas que podem realmente te auxiliar nesse caminho. 

Experimente e simule 

Por fim, busque simular ou experienciar situações multiculturais. Ter aquele esforço em aprender como cumprimentar seu cliente, colega de trabalho, faculdade ou escola na língua de origem, é uma boa para que haja uma aproximação na comunicação. 

 

Pronto para trabalhar sua inteligência emocional?
Esperamos haberte ayudado. See you later!

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!