Blog do Unasp

7 métodos comprovados pela ciência para ser mais feliz

Já se perguntou o que te faz feliz? Atualmente muitas pessoas estão fazendo essa pergunta. Assim, a busca pela felicidade tornou-se uma epidemia mundial. Por isso, um estudo feitos pelos psicólogos Ed Diener, da Universidade de Illinois, e Shigehiro Oishi, da Universidade de Virginia, com mais de 10 mil participantes de 48 países, descobriu que pessoas de todos os cantos do mundo consideram a felicidade mais importante do que outras realizações pessoais altamente desejáveis, tais como ter um objetivo na vida, ser rico ou ir para o céu. Mas a grande verdade é que todo mundo quer ser feliz, não importa as circunstância. E por incrível que pareça, a tal fórmula da felicidade não é tão difícil quanto parece. Portanto, apesar das variáveis culturais e situacionais a ciência dá algumas dicas muito boas para sermos mais felizes.

1. Nem tudo vai acontecer da maneira que você deseja. Lide com isso! 

Já ouviu falar em resiliência? Esse é um termo utilizado para classificar a capacidade de uma pessoa em sair de uma situação conflitante melhor do que quando entrou nela. Por essa razão, ter resiliência é dar um sentido para as dificuldades da vida, de melhorar como pessoa e aprender. Aprender não somente com o seus erros, mas também com as mancadas dos outros. De acordo com a pesquisadora da Universidade Riverside, Sonja Lyubomirsky, 40% de nossa capacidade de ser feliz está ligada ao poder de mudança.

Então, bateu aquela bad por causa de um problema? Aproveite o melhor da situação. Não é fácil, mas vai te fazer mais feliz.

Adventure Time

 

2. Curiosidade não mata

Pessoas realmente felizes sabem que é preciso se aventurar, que a felicidade não se trata apenas de fazer aquilo que gostamos. Desse modo, é preciso sair da zona de conforto e aprender a lidar com o mundo e as pessoas. Em um estudo de 2007, os psicólogos do estado do Colorado, Todd Kashdan e Michael Steger, monitoraram as atividades diárias de estudantes e como eles se sentiam durante 21 dias; aqueles que sentiam curiosidade em determinado dia também se diziam mais satisfeitos com a vida. Sendo assim, isso indica que explorar coisas novas, apesar de não ser fácil, nos ajuda a trilhar um caminho para nos tornarmos mais fortes e sábios. Por isso, vale à pena buscar novas experiências e olhar para a vida com aquele olhar curioso de “e se…”

3. Comece a comemorar a realização dos outros.

Uma pesquisa da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara revelou que quando parceiros românticos falham em dar importância ao sucesso do outro, o casal tem mais chances de se separar. Portanto, em contrapartida, quando os parceiros comemoram as realizações uns dos outros, eles tendem a ficar mais satisfeitos e compromissados com o relacionamento, desfrutando de mais amor e felicidade. Mas e o quê a felicidade dos outros tem à ver com a nossa?

Primeiro você precisa saber que ambos os lados ganham. Desse modo, a pessoa que compartilha uma felicidade com você, pois o  processo de conversar sobre uma experiência positiva com alguém que escuta atentamente muda a memória daquele evento. Assim, depois de falar sobre a experiência, seu amigo vai se lembrar desse momento lá no futuro com um reforço positivo. Por isso, você, pode aproveitar esse momento para escolher comemorar com ele ao invés de ficar com inveja ou com sentimentos negativos. Que só prejudicam unicamente e exclusivamente, adivinha só: Você!

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

4. Ei coisinha… vá com calma

Vivemos em um mundo cada vez mais acelerado, em que quase tudo é instantâneo. Desde a comida, passando pelas informações e chegando nos relacionamentos. Segundo o psiquiatra americano Edward Hallowell, estamos vivendo em um “estado de F” – frenético e furioso. Porém, esse estado provoca alterações no nosso corpo, aumentando os níveis de hormônios de estresse como o cortisol. Por esse motivo, os sintomas desse estado são dificuldade de focar a atenção, pressa constante e ansiedade. Sendo assim, para ser mais feliz é preciso desacelerar dê um tempo para respirar, relaxar e aproveitar o silêncio. Portanto, essa é uma boa oportunidade para avaliar a sua vida, fazer mudanças e focar no que realmente importa.

5. Saia do sofá e vá dar uma caminhada

Quer ser mais feliz? Então, vá praticar algum exercício físico. Além de gerar endorfina, um hormônio do prazer, exercícios físicos também melhoram a sua própria imagem corporal. Você se sente mais felizinho, e de quebra mais bonitinho.

6. Bem, não dá para agradar todo mundo

Portanto, pessoas felizes tendem a ligar menos para as opiniões alheias e aprendem que é impossível agradar todo mundo. Dessa maneira, o segredo é saber quem você é, e não deixar que críticas destrutivas te afetem com tanta facilidade.

7. Faça o bem para os outros, todo mundo ganha!

Pessoas altruístas são mais felizes. Quem diz isso é a psicóloga Sonja Lyubormirsky, da Universidade Stanford, Estados Unidos. Sendo assim, ela conduziu um experimento no qual foi pedido aos participantes que fizessem cinco atos de caridade por semana, durante seis semanas. Consequentemente, o resultado foi que a prática regular da bondade para com o próximo tornava os voluntários mais felizes durante um longo período. Principalmente,  se a pessoa não contava a ninguém e não esperava nada em troca.

Fonte: Revista Galileu 

Leia também:

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!