Blog do Unasp

O poder dos mapas mentais e sua aplicação nos estudos

Se você ainda não ouviu falar sobre os mapas mentais e seus “poderes”, aprenda nesse post a usá-los e mandar bem nos estudos. 

Alguma vez na vida você já fez uma trilha? Já andou por um lugar desconhecido? Já precisou encontrar algo ou alguém em uma cidade que você nunca tinha ido antes? Nesses momentos o que você usou para te ajudar a se encontrar?

Provavelmente você já usou um mapa, o Google Maps ou outro aplicativo de GPS. Afinal, quando você precisava encontrar um ponto de referência é importante contar com ferramentas que possam te guiar até o seu objetivo. E já que quando não sabemos que direção tomar usamos um mapa, o mesmo acontece com a nossa mente.

Ao fazer uma prova você já se sentiu perdido e não conseguiu lembrar daquilo que tinha estudado? Pois é, nossa mente também usa alguns caminhos até encontrar as informações guardadas nela. Ou seja, ela percorre vias para achar memórias ou lembranças que podem solucionar o problema.

O psicólogo inglês Tony Buzan desenvolveu uma ferramenta para você adquirir conteúdo e armazenar informações de maneira mais organizada e de fácil acesso. Ele chamou essa técnica de mindmapping, mais conhecido como mapa mental.

O que é um mapa mental?

É uma espécie de diagrama não linear que assemelha-se muito ao formato de uma rede. Ou seja o mapa mental reconhece que nosso cérebro não pensa de forma linear, mas que percorre vários caminhos semelhante ao de vários galhos de uma árvore. Criando soluções eficazes para esses caminhos.

De forma geral os mapas mentais são resumos por associação com setas, cores, imagens e frases com resumo de várias ideias centrais.

Entendendo um mapa mental

Antes de tudo é necessário que você já tenha estudado o conteúdo que necessita ser organizado ou revisado. Logo, só é possível fazer um mapa mental depois de assistir uma aula ou aprender um novo conteúdo. Enquanto as novas ideias sendo associadas e processados. O mapa mental entrará em ação após isso. Sendo geralmente uma ferramenta de revisão, onde você irá criar um caminho para organizar ideias que já estão na sua mente.

Em suma, ao fazer um mapa mental você estará trabalhando com os dois lados do cérebro. O racional, ao escrever o conteúdo de forma sintética, sucinta. E criativo, ao adicionar desenhos e cores.

Dessa forma, ao invés de seguir o modelo tradicional de anotações você fará um modelo de esquema substituindo as anotações por um mapa que tenha um tópico central de onde saiam setas com associações, símbolos, ícones, fotos, cores e desenhos com objetivo de facilitar sua assimilação.

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Criando um mapa mental

Tony Buzan sugere que se comece com uma folha em branco horizontal. Ele explica que seu cérebro se sentirá mais livre e com mais espaço para seguir em qualquer direção.

mapa mental

No centro da folha você vai colocar a sua ideia principal e a partir dela vai ramificando as ideias derivadas conectadas por setas ou linhas que podem variar de forma e curva para chamar mais atenção. O importante é não deixar as ideias soltas, todas devem estar conectadas ao ramo central.

A cada nova ideia use uma forma ou cor diferente para ressaltar não somente em relação ao tema central, mas também com relação as ideias paralelas.

Tente usar o menor número de palavras possível, sendo bem  direto. O ideal é usar uma palavra-chave para cada ideia.

Ao traçar uma linha ou usar uma nova cor procure ser organizado e não usar aleatoriamente. Antes faça a escolha baseada em alguma associação prévia ou estratégica.

Seja organizado e use imagens e fotos, quanto mais ilustrado mais seu cérebro será estimulado, mas cuidado para não poluir visualmente o mapa a o ponto de ficar confuso.

Ferramentas de criação de mapa mental

Fazer um mapa mental com papel e caneta é considerada a forma mais eficaz de produzir. Quando você “coloca a mão na massa” o cérebro responde melhor, porém existe ferramentas tecnológicas que permitem que se faça mapa mental digital.

mapa mental

Caso você opte por esse formato aqui vão algumas dicas de softwares ou plataformas para a produção digital de mapas mentais.

Coggle.it: plataforma online que permite compartilhamento, com opção de download integrado ao Google Drive;

Wisemapping: é um aplicativo com mais opções de formatação.

XMind: é um software com uma aparência com várias opções de formatação, símbolos e templates.

ExamTime: é uma plataforma de estudos online com tutorial de como fazer um mapa mental.

Usando mapa mental

Você pode usar no dia a dia para fixar a matéria aprendida em sala de aula ou de aulas online. Também pode como forma de revisão do conteúdo de forma periódica, pelo tempo que você deseja que a informação esteja clara em sua mente.

Sendo assim à medida que você for revisando os conteúdos você irá perceber que o conteúdo estará cada vez mais claro e você precisará de menos tempo para revisões.

Mesmo que no começo pareça difícil montar um mapa mental, com o passar do tempo e com a prática ficará cada vez mais simples, tanto no processo de criação quanto de revisão.

E aí, que tal tentar?

Até a próxima!

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!