Ted Wilson visita Unasp em celebração de integração para a futura Universidade Adventista do Brasil

Acontece no Unasp

Escrito por

Leandro Oliveira e Jota Terres

Publicado em

30 abr 2019

Crédito imagens

Venâncio Ulombe

Ele é Líder Mundial dos Adventistas do Sétimo Dia. Visita é considerada um marco histórico

O dia 28 de abril de 2019 será lembrado como um marco na história do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp). O sonho da futura Universidade Adventista do Brasil ganhou força e novas motivações. Aos 104 anos de existência, a instituição figura em um grupo seleto de empreendimentos bem-sucedidos no Brasil e projeta sua história pautada em diretrizes consistentes, excelência acadêmica e cumprimento integral de sua missão de educar e transformar vidas.

A intenção de criar a Universidade Adventista do Brasil começou há 36 anos, quando foi adquirida a Fazenda Lagoa Bonita no município de Artur Nogueira (agora Engenheiro Coelho) com recursos oriundos da desapropriação de uma área do IAE (Atual Unasp – SP) pela Prefeitura da cidade de São Paulo. A ideia de transferência total da capital para a nova área no interior paulista acabou acontecendo parcialmente com a migração de professores, administradores e cursos, além do Seminário Latino-Americano de Teologia.

Durante o lançamento da pedra fundamental da nova área da instituição, denominada de IAE-C2, em 17 de junho de 1984, foi estabelecido o sonho de construir naquele local a futura Universidade Adventista do Brasil. Uma placa inaugurada pelo então líder mundial da Igreja Adventista do Sétimo, pastor Neal Wilson, expressava a intenção.

Líder mundial da Igreja Adventista d Sétimo faz oração pedindo bençãos sobre o projeto da futura Universidade Adventista do Brasil.

Sonho e realidade
Com a criação do Centro Universitário Adventista de São Paulo em 1999, a integração entre os campi, até então com administrações independentes, passaram a interagir com ações de conjuntas, possibilitando a criação de novos cursos superiores, convênios e pesquisas. A proposta de unidade viabilizou a criação da área de ensino a distância (Unasp-EAD), integração do Instituto Adventista de São Paulo (IASP), atual Unasp Hortolândia e alcançar a maior nota (conceito 5) na avaliação de credenciamento do Ministério da Educação na escala que varia de 0 a 5.

Líder sul-americano da Igreja Adventista foi aluno do Unasp. Conheça a história!

O sonho inicial de estabelecer em Engenheiro Coelho a futura Universidade Adventista do Brasil ganhou nova dimensão. Em um ato de integração do Unasp, a placa inaugurada em 1984 pelo pastor Neal Wilson, foi replicada para todas as unidades da instituição, com a presença do atual líder mundial dos Adventistas do Sétimo Dia, pastor Ted Wilson, do líder sul-americano da Igreja Adventista, pastor Erton Köhler, além do reitor, doutor Martin Kuhn, e dos diretores de campi, pastores Antonio Marcos e Douglas Meslin, e o doutor Afonso Cardoso.

Líder da Igreja Adventista na América do Sul, Pr. Erton Köhler, fala sobre a relevância da integração do Unasp para a criação da futura Universidade Adventista integrando outras instituições adventistas do Brasil. O Reitor do Unasp, Dr. Martin Kuhn acompanha.

Repercussões
A futura Universidade Adventista do Brasil irá reforçar ainda mais as ações da Educação Adventista, afirma o Reitor do Unasp, doutor Martin Kuhn. “A integração do Unasp cria novas possibilidade para a Educação Superior Adventista. Começamos com esses três campi, podendo alcançar e dar suporte aos outros polos universitários da Rede Educacional Adventista no Brasil”, destacou.

Conheça os detalhes da história do Unasp nos últimos 104 anos

A integração com outros polos universitários adventistas no Brasil também foi comentada pelo líder da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul, pastor Erton Köhler. “Nós pensamos em uma integração que tenha como base o Unasp, mas que que alcance todas as instituições de nível superior do Brasil (adventistas), unidas, formando o grande sonho da Universidade Adventista do Brasil. Com essa cerimônia estamos oficializando esse sonho”, anunciou.

Para o líder mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia, pastor Ted Wilson, todos ganham com a integração. “É um privilégio estar aqui neste momento de integração do Unasp. Essa instituição tem contribuído com a formação de muitos profissionais no passado, no presente e no futuro, com pessoas que trabalham e trabalharão para a igreja. Eu fico humildemente agradecido pelo fato de estar neste momento de integração do Unasp”, comentou.

Para o Diretor Geral da Rede de Educação Adventista para a América do Sul, pastor Edgar Luz, a integração do Unasp e a futura Universidade Adventista do Brasil chegam para ampliar ainda mais o trabalho já realizado. “A educação de ensino superior é muito complexa, hoje nós temos 332 mil alunos matriculados na Rede de Educação Adventista da América do Sul. Um pouco mais de 30 mil só no ensino superior. Nosso objetivo como educação é desenvolver a qualidade acadêmica com a missão de proporcionar o desenvolvimento físico, mental, espiritual e social dos nossos alunos para que sejam ao longo dos anos, bons cidadãos e futuros cidadãos do Reino Celestial”, relatou.

No centro, Pró-reitor associado do Unasp, Pr. Antonio Marcos, recebe os cumprimentos do líder da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Pr. Erton Köhler, a placa que marca integração dos campi e o incio do sonho da futura Universidade Adventista do Brasil.

História
Não é toda instituição de ensino no Brasil que alcança essa longevidade: passar dos cem anos inovando, construindo histórias e sendo referência para a sociedade. Tudo começou em 1915, com apenas doze alunos no antigo Colégio da União Conferência Brasileira dos Adventistas do Sétimo Dia (Brazilian Training School), no bairro Capão Redondo em São Paulo (SP).

Considerando o interesse da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD), administradores como o Pr. Nelvil Gorski, Pr. Homero Luiz dos Reis e do Prof. Hélio Serafino, concentram seus esforços na proposta de expansão do Instituto Adventista de Ensino durante os anos de 1993 a 1997, com a abertura de novos cursos e unificação do IAE em uma universidade.

No entanto, novas diretrizes do Ministério da Educação (MEC) reestruturou a classificação das instituições de nível superior em Faculdades Isoladas, Federação de Faculdades, Centro Universitários e Universidades, inviabilizando a transição de faculdades para universidade.

Com isso, o IAE encaminhou ao MEC a solicitação para que a instituição, considerando sua estrutura e cursos, fosse credenciada como centro universitário. Em 1997, os dois campi (São Paulo e Engenheiro Coelho) foram avaliados por uma comissão da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, que recomendou a fusão da administração, considerando que se tratava de instituições com o mesmo nome e a mesma mantenedora.

Foi recomendado, também, que as duas instituições passassem a ter a mesma declaração de missão, visão e mesma identidade visual. Assim, no dia nove de setembro de 1999, o então presidenta da República, Fernando Henrique Cardoso, assinou o decreto, credenciando o IAE, como Centro Universitário Adventista de São Paulo.

A última incorporação de instituição aconteceu com a promulgação do governo brasileiro em Diário Oficial da União do dia 10 de dezembro de 2018, autorizando oficialmente o Instituto Adventista São Paulo (IASP), fundado em 1949, ser oficialmente Unasp.

Integração Unasp
O Unasp cresceu e mudou, adaptando-se as exigências legais e culturais da contemporaneidade, mas sem sacrificar valores e fundamentos filosóficos. A partir dessa perspectiva, viu-se um novo posicionamento da instituição em meio as transformações percebidas.

Para o Diretor Geral do Unasp, campus Engenheiro Coelho, pastor Antonio Marcos, “os alunos são as maiores preciosidades da instituição”. Ele crê que, todos “eventos, as produções e atividades devem ter o senso de formação da juventude para que, eles possam servir a Deus e as pessoas, sendo excelentes colaboradores nas mais variadas profissões e ministérios”.

Apenas oito centros universitários no estado de São Paulo possuem essa classificação. Mesmo sendo uma das maiores conquistas da história da instituição, a visão é sempre crescer e expandir, como explica o Diretor geral do Unasp, campus Hortolândia, doutor Afonso Cardoso. “Algumas pessoas acham que o Unasp não deve crescer, pois isso iria contra a proposta da Igreja Adventista, mas o princípio do Reino dos Céus é o crescimento. Não tem em nenhum versículo da Bíblia que diz sede pequenos e diminuir.  É sempre crescer e ser uma benção para muitos. Não é o tamanho em si, mas sim o que se faz com ele”, acredita.

Para transformar o centro universitário em universidade, o Unasp precisa cumprir algumas exigências, tais como oferecer quatro cursos de mestrado e dois de doutorado, todos reconhecidos pela Capes.  Este ano será aberto o mestrado acadêmico em Teologia. Este será o terceiro programa Strictu Sensu ofertado pela instituição. Na visão do reitor do Unasp, doutor Martin kuhn, o status de universidade é um “sonho a médio prazo. Entre cinco a dez anos, o Unasp será a Universidade Adventista do Brasil”, destaca.

Martin Kuhn concluí falando sobre a necessidade de crescimento e busca constante da excelência acadêmica. Precisamos estar sempre em progresso, investindo em melhorias no ensino, em novidade e tecnologia, aprimorando o ensino a distância, incentivando a pesquisa no Strictu Sensu e preparando cada vez mais os professores. Tudo isso para buscar um nível de excelência que Deus espera da instituição”, resume.