Unasp-SP promove encontro de iniciação científica e fomenta a pesquisa no campus

Cultura e Ciência

Escrito por

Aira Annoroso

Publicado em

02 dez 2019

Encontro realizado no campus contou com mais de 200 trabalhos aprovados

A cerimônia de abertura do ENAIC contou com representantes da instituição como o pró-reitor de Pesquisa e Desenvolvimento Institucional, diretor geral do campus, diretora de Graduação, coordenadora de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, diretora da Educação Básica e professor da Graduação.

O Unasp São Paulo promoveu neste domingo (01) o Encontro Anual de Iniciação Científica (ENAIC). A abertura do evento contou com a presença e participação do pró-reitor de Pesquisa e Desenvolvimento Institucional, Dr. Allan Novaes; diretor geral do campus, Dr. Douglas Menslin; coordenadora de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão do campus, Dra. Maristela Santini; diretora de Graduação do campus, Dra. Silvia Quadros; diretora do Ensino Fundamental e Médio, Vilma Andrade; e o professor Wemeson Ferreira.

O ENAIC tem como propósito abrir espaço para que alunos e professores possam divulgar os seus projetos e resultados de pesquisas através das formas oral e pôster. Diz respeito a uma programação essencial principalmente para os alunos, haja vista que procura estimular a articulação entre o ensino e a pesquisa, integrando os segmentos acadêmicos da Graduação e Pós-graduação.

Neste ano de 2019, o evento contou com 271 trabalhos aprovados, sendo que desses 203 foram resumos simples e 68 foram trabalhos completos. Além das categorias resumo simples e trabalho completo, a instituição propôs duas novas categorias: mídias de popularização da ciência, com 4 inscrições; e produção técnica, com 5 inscrições.

Maquete construída pelos alunos de Arquitetura e Urbanismo, apresentada no ENAIC.

Segundo Maristela, a intenção é ampliar as duas novas categorias, haja vista que ambas também contribuem para o crescimento acadêmico e futuramente profissional. “Dependendo da área, construir um objeto é tão importante quanto escrever um artigo. Por exemplo, o pessoal da tecnologia pode produzir uma máquina, um robô, ou algo semelhante. Isso agrega tanto quanto um artigo”, explica.

Para a coordenadora de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, é importante que os conhecimentos adquiridos na academia sejam divulgados para a população, e isso pode ser feito através do meio midiático. “Se nós mantivermos o que produzimos unicamente dentro da academia, que importância e relevância isso tem? Nós precisamos entregar isso para a sociedade, só que não podemos entregar em formato de artigo científico, pois a linguagem e o meio não são acessíveis para qualquer pessoa”, explica. Através da categoria de mídias de popularização, alunos de Psicologia produziram vídeos explicativos sobre determinado tema pesquisado.

Segundo Aline Nascimento, aluna de Publicidade e Propaganda que apresentou seu projeto de pesquisa no formato pôster, analisou o comportamento de pessoas que compram fogões através do método de pesquisa survey. “Na publicidade e propagando estamos sempre tentando entender o comportamento do consumidor. Nessa pesquisa, por exemplo, obtivemos muitos dados importantes como: as mulheres acima dos 30 anos de idade e casadas são as maiores consumidoras de fogões. Normalmente essas mulheres procuram na internet fogões com a maior quantidade de bocas possível. Na sequência elas olham o preço e por última a  marca”, diz. Aline afirma que gostou muito de pesquisar e fazer descobertas sobre o consumo no universo de eletrodomésticos.

Aluna Letícia Alves, do curso de Educação Física, apresentando seu projeto.

Em contrapartida, a aluna do curso de Educação Física, Letícia Alves, pesquisou sobre a dança como profissão no universo religioso, e apresentou o projeto na modalidade oral. “O campo da Educação Física é amplo e inclui a dança, e muitos educadores físicos seguem uma religião. Eu quis entender, através do método científico, até que ponto a dança pode interferir nos preceitos religiosos analisando diversas denominações”, ressalta. Tanto para Letícia, quanto para Aline, o ENAIC foi uma grande oportunidade de desenvolvimento acadêmico.

Premiação

A premiação foi feita através das categorias “Melhor Resumo Simples”, “Melhor Trabalho Completo”, “Melhor Mídia de Popularização Científica” e “Melhor Produção Técnica” em cada curso, onde os coordenadores analisaram e decidiram quais trabalhos tinham destaque quanto à relevância do tema e desenvolvimento do projeto.