Unasp lança o Mutirão de Natal 2015

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

14 out 2015

Foi dada a largada para a edição deste ano do Mutirão de Natal. O projeto, que tem mais de 400 mil voluntários em todo o Brasil, tem o objetivo de arrecadar alimentos, roupas, brinquedos e utensílios domésticos, que chegarão a mão de pessoas necessitadas de comunidades vizinhas à igreja do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho. O programa de encerramento se dará no dia 12 de dezembro e, até lá, o objetivo dos organizadores é bater a marca de 95 toneladas. No dia 11, ocorre o tradicional Mutirão In Concert, na igreja do Unasp-EC.

Para estimular a participação de todos, a igreja é dividida em três equipes: escola básica, faculdade e comunidade, nas cores azul, vermelha e amarela, respectivamente. Cada peça de roupa, por exemplo, vale um ponto e a equipe que obter a maior somatória de pontos, será premiada. Um dos métodos tradicionais de arrecadação, realizado pelas equipes, é o “trio elétrico”, que sai pelas ruas das cidades próximas, dando a oportunidade de outras pessoas ajudarem.

O Mutirão de Natal do Unasp-EC é recordista em arrecadação de donativos. Só no ano passado, foram arrecadadas mais de 400 toneladas. Além disso, o programa no Unasp é o primeiro a doar alimentos perecíveis, especialmente frutas e verduras. O mutirão, no Unasp, não funciona apenas durante o período de arrecadação, mas em todos os 12 meses do ano. Uma feirinha organizada semanalmente doa cestas básicas, frutas e verduras para os moradores necessitados e cadastrados da região. “É uma inovação implantada aqui no Unasp”, lembra o coordenador do evento, Sidney Dutra.

Este ano, um novo método de pontuação foi implantado. Além de alimentos ou brinquedos, cada hora gasta em ações solidárias valerá um ponto. Os participantes poderão se reunir com os amigos para apoiar alguma causa social. Segundo Dutra, é preciso ir além das roupas e alimentos. “As pessoas estão mais ansiosas, depressivas, solitárias. Nós precisamos levar um presente para essas pessoas, muito mais do que coisas materiais” enfatiza.