Engenharia de Produção é o mais novo curso do UNASP reconhecido pelo Ministério da Educação. Após visita e análise técnica da Comissão de Avaliação do MEC, o curso recebeu o reconhecimento federal no último dia 06 de agosto. O reconhecimento foi publicado na portaria nº 247, do Diário Oficial da União.

O curso que já estava em funcionamento desde 2015 recebeu nota 4 para a sua abertura durante a visita in loco dos avaliadores do MEC que aconteceu em outubro do ano passado. A escala de notas para abertura e avaliação do MEC vai entre 1 e 5.

“Esse reconhecimento público do curso representa o trabalho conjunto de professores, coordenação, direção e dos nossos alunos que se envolvem ativamente nas aulas e projetos da faculdade. Nosso curso possui uma estrutura didático-pedagógica consiste, professores qualificados e laboratórios para os experimentos práticos”, comenta o coordenador do curso, prof . Roberto Guzman.

Oferecido no campus Engenheiro Coelho, localizado na região metropolitana de Campinas, o curso de bacharelado em Engenharia de Produção, na modalidade presencial, oferece anualmente 60 vagas para o período turno noturno, sendo dividido em 10 semestres.

Autorização e Reconhecimento

O secretário geral do UNASP, Marcelo Alves, explica que se um curso não é reconhecido pelo MEC, ele não pode emitir um diploma válido para o mercado de trabalho, por exemplo.

“Primeiramente o curso precisa ser autorizado para funcionamento, onde são avaliados organização didático-pedagógica, corpo docente e técnico administrativo, além das instalações físicas do curso. Tendo completado entre 50% a 75% de formação da primeira turma, o MEC realiza outra avaliação, com visita, para fazer o reconhecimento. E ele é importante justamente porque atesta a qualidade do curso oferecido’, destaca.

Referência em Qualidade

Entre os principais diferenciais do curso de Engenharia de Produção do UNASP estão os incentivos para o aluno participar de grupos de pesquisa e iniciação científica desde os primeiros anos de formação e um plano de visitas às fábricas para estudo prático e vivência com a futura profissão.

Também a oferta de laboratórios equipados é outro diferencial, já que o curso oferece softwares modernos de aprendizado, como o FlexSim para modelagem e simulação de sistemas produtivos, SolidWorks para desenvolvimento de produtos, permitindo a integração com a manufatura aditiva, AutoCad para criação de projetos de fábricas e o mais recente software adquirido em parceria com a empresa Alemã Siemens softwares: Plant Simulation para modelagem e simulação de sistemas mais complexos e de alta tecnologia que envolvem os pilares da indústria 4.0.