Semana de Enfermagem explora fronteiras do curso

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

18 maio 2015

Nos últimos 46 anos o Curso de Enfermagem do UNASP campus São Paulo, fundado em 1969, tem recebido alunos de diversas partes do Brasil e do mundo além de enviar enfermeiros para muitos países. Uma peculiaridade que a Semana de Enfermagem do Centenário do UNASP-SP, que aconteceu entre os dias 11 e 15 de maio, procurou enfatizar através do tema Enfermagem sem Fronteiras.

“O objetivo da Semana da Enfermagem desse ano foi conhecer as fronteiras do nosso curso. Nós sentimos a necessidade de fazer a valorização da cultura regional dos alunos e como o curso tem vários que são estrangeiros, temos alunos coreanos, americanos e alunos angolanos, nós fizemos uma distribuição de atividades culturais durante toda a semana para conhecer de onde eles vieram”, explicou Maristela Martins coordenadora do Curso de Enfermagem do UNASP.
Em cada programa, os universitários tinham a oportunidade de apresentar aos colegas de curso as características e a cultura de sua terra natal. Houve apresentações que representaram o Brasil de norte a sul e participações internacionais por parte dos alunos que vieram de lugares como Texas nos Estados Unidos e Coreia do Sul.

Para o evento, que acontece todos os anos, são escolhidos temas atuais e pertinentes para ajudar o universitário a vislumbrar as possibilidades, tendências e caminhos existentes para a carreira profissional de um enfermeiro. Por isso são convidados palestrantes capazes de transmitir conselhos e dicas que favoreçam a formação do aluno. Apesar de representarem ramos distintos da profissão de enfermeiro, desta vez todos os convidados tinham algo em comum: a formação no Curso de Enfermagem do UNASP.

Entre eles havia os que concluíram a graduação quando o curso era conhecido como Faculdade Adventista de Enfermagem, FAE. Como é o caso da Keziah Oliveira, enfermeira na 6ª Superintendência da Polícia Federal Rodoviária de São Paulo. “Foi muito bom retornar e ver novos alunos também querendo seguir esse caminho. Que eles se destaquem lá fora. A FAE trata do todo e não só da Enfermagem em si. Ela trata dos alunos como um todo. Tem a parte espiritual que é muito importante e tem o convívio aqui que é diferente. Você não vê isso em nenhuma outra universidade”, afirmou ela ao encerrar o ciclo de palestras da Semana de Enfermagem.

Na abertura da semana, os universitários conheceram o projeto Salva Vidas Amazônia. Viram os desafios e a realização de servir e cuidar de pessoas que vivem em remotas regiões ribeirinhas no extremo norte do Brasil. O projeto, que conta também com o trabalho de enfermeiros experientes e formados no UNASP, foi apresentado pelo diretor do projeto, o americano Brad Mills, que concluiu Enfermagem nos Estado Unidos, e pelo enfermeiro brasileiro Daniel Fernandes. Os relatos que trouxeram reforçou para os estudantes um dos principais valores promovidos pelo curso. “A Enfermagem não é apenas uma profissão. A Enfermagem é uma missão e um chamado”, disse Mills aos alunos.

No segundo dia, o curso recebeu a equipe multidisciplinar do Centro de Tratamento Integrado da Obesidade, Obesimed, do qual a enfermeira, Caroline Burttet, graduada em 2011 no UNASP-SP, faz parte. Ela palestrou junto aos colegas que respondem pela atuação da Psicologia e da Educação Física no tratamento de pacientes com obesidade.

O terceiro tema a ser tratado foi Empreendedorismo na Enfermagem, apresentado pela enfermeira Beatriz Yamada. Já o enfermeiro Joubert Araújo Alves, palestrou no penúltimo dia da semana e falou sobre a atuação do enfermeiro em Hemodiálise.

Para o universitário, Erick dos Santos, a Semana de Enfermagem representou trouxe a oportunidade de conhecer as diversidades de sua área profissional. “Para mim foi uma honra, porque o Curso de Enfermagem é muito reconhecido. Vemos pelas pessoas que estiveram aqui, os alunos que já estudaram pela FAE, todos têm uma história de sucesso. Então, para mim é um privilégio poder estudar aqui depois de quarenta e seis anos que o curso já tem”, afirmou.

Reencontro

Enfermeiros e ex-alunos de todas as décadas, desde a FAE até o Curso de Enfermagem do UNASP-SP, e estudantes atuais do curso se reuniram em um jantar de gala especial que na noite do dia 17 de maio, celebrou a história da Enfermagem dentro do Centenário do UNASP-SP.
A professora Ivoni Corsi, docente que está a mais tempo ensinando Enfermagem no UNASP-SP, contou que encontrou ex-alunas que já se aposentaram e que estão quase se aposentando. São diferentes gerações de enfermeiros que passaram pelo campus. As turmas que se formaram na década de 1980 foi o maior grupo representado durante o jantar.

A enfermeira Queila Ferraz faz parte desse grupo, formada na turma de 1984 ela lembra com carinho a forma como as professoras Ivone e Liliana Felcher tratavam os alunos. “Elas trouxeram um crescimento imenso na vida da gente. As aulas delas sempre foram, pra mim, grandiosas. Parecia que cada dia abria uma cortina e eu enxergava cada vez mais longe. Era sempre uma novidade. Esse crescimento foi não só na vida profissional foi crescimento também da vida pessoal, pra vida de relacionamentos, tudo foi muito bom, muito bonito”, afirmou.

Liliana recorda que os alunos as procuravam não apenas para tirar dúvidas profissionais e acadêmicas, mas tinham uma relação de confiança e intimidade na qual elas podiam aconselhar e orientar pontos importantes para a vida do aluno. Ela se emocionou ao reencontrar alguns deles. “É um prêmio é um presente de Deus ver o rosto dos alunos que sentavam na sala de aula pacientemente escutando a gente, fazendo pesquisas”, definiu.

Liliana, que também é livre docente em enfermagem, divide a sua história com a do Curso de Enfermagem. Ela foi uma das diretoras da FAE. Hoje mesmo não estando lecionando no curso, ela continua próxima e considera como uma grande realização ver e saber o que seus alunos conseguiram conquistar na vida profissional e pessoal. “Quando eu encontro essas pessoas que hoje são mestres, doutores, que estão em pesquisa, que estão no exterior trabalhando em pesquisas ou que são da área da Medicina, é uma realização muito grande. Eu dizia aos meus alunos que a Enfermagem abre leques e eu estou deslumbrada de saber o que eles estão fazendo agora. Isso me dá muita gratificação porque eu procurava levar os meus alunos a pensarem e vejo o resultado, não só meu mas de toda a equipe”, considerou.

Para Maristela, a festa de reencontro teve o objetivo de fechar o ciclo das fronteiras do Curso de Enfermagem, tema da semana. “Dessa forma nós mostramos o outro lado da fronteira do nosso curso que é para onde os nossos egressos vão. Trazendo os egressos e os nossos enfermeiros formados aqui”, explicou.
Ivoni comparou as emoções e o prazer de rever tantos alunos a outro reencontro, que conforme a sua fé, ocorrerá em um futuro próximo. “Eu acho que assim vai ser o Céu, um reencontro. Esse é o ambiente celestial, eu senti assim. Um dia no céu todos os nossos alunos podem estar lá, eu também quero estar lá. Vai depender das decisões que eles vão tomar na vida, mas eu gostaria de que eles estivessem lá”, expressou.

por Murilo Pereira