Richard Kogima celebra centenário do UNASP em concerto da Série Ouro 2015

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

17 ago 2015

No domingo, dia 16 de agosto, o palco do Salão Nobre abriu as cortinas do segundo concerto da Série Ouro 2015, de concertos especiais em comemoração ao Centenário do Unasp campus São Paulo, para um artista e ex-aluno que enche a instituição de orgulho. Com o título, dos Palcos do Mundo Para Você, Richard Kogima, trouxe parte do que tem trabalhado musicalmente nos conservatórios da Europa para os amigos de São Paulo e na mesma escola na qual aprendeu seus primeiros acordes.

“Eu tive algumas das minhas experiências musicais mais incríveis aqui. A música sempre tem esse poder de fazer as pessoas estarem juntas e foi isso que eu aprendi aqui. Através da música, unir as pessoas. Através da música, apresentá-las também, quem sabe, a uma visão de mundo diferente, mais ampla e mais cheia de esperança”, afirmou.

O repertório escolhido por Richard para esse concerto, incluiu composições de sua própria autoria e também de músicos consagrados como, Bach, Beethoven, Villa Lobos, Klavierstücke e Brahms. O público ficou impressionado com sua capacidade rara, mesmo entre grandes músicos, de tocar ao piano peças muito complexas de memória, sem fazer uso de partituras.
Atualmente, Kogima é mestrando em música na Zürcher Hochschule Der Künste, na Suíça. Após ter integrado a École Normale de Musique de Paris. Bacharel em piano pela USP, onde passou em primeiro lugar no vestibular, já participou de festivais e venceu diversos concursos nacionais e internacionais.

No Unasp-SP, foi o regente mais jovem a assumir o comando do Coral Carlos Gomes do qual já havia auxiliado o maestro Turíbio de Burgo. Além de grande contribuição como pianista do Coro de Câmara, Coro Masculino e spalla da Orquestra Sinfônica Jovem do Unasp.

Em sua carreira, o músico se dedica à composição com ênfase especial em música sacra. “Eu acho que um concerto é um momento de compartilhar e você sempre compartilha o que você é. Você sempre compartilha o seu caráter. A sua música dificilmente vai ser diferente do que você é. Eu espero que, através da música, as pessoas possam conhecer um pouquinho de mim também. Laços possam se estabelecer e assim eu possa compartilhar, então, esse lado espiritual que informa tanto a minha música e que é a força motora da minha música. Isso tem a ver com o repertório que eu escolho, tem a ver com a maneira que eu toco. Espero e tenho a esperança de que alguma coisa passe para as pessoas, mesmo sem palavras”, concluiu.

Por Murilo Pereira