Pesquisador norte-americano explana sobre Design Inteligente no Unasp-SP

Cultura e Ciência

Escrito por

Aira Annoroso

Publicado em

21 out 2019

Pesquisador norte-americano Dr. Michael Behe ao lado do pesquisador brasileiro Dr. Marcos Eberlin. Ambos defendem o Design Inteligente como teoria científica.

Para encerrar a semana do curso de Ciências Biológicas, o Unasp São Paulo recebeu o bioquímico e pesquisador Dr. Michael Behe na noite da última quinta-feira (17) para explanar aos alunos universitários sobre Design Inteligente. Behe é um dos maiores defensores do Design Inteligente como teoria científica, além de ser autor de diversos livros (como o conhecido livro “A Caixa Preta de Darwin”), professor-adjunto de bioquímica na Universidade Lehigh (Pensilvânia) e membro sênior do Center for Science and Culture de promoção da ideologia criacionista Discovery Institute.

Dr. Douglas Menslin, diretor geral do Unasp-SP; Luiz Carlos Araujo, líder da Igreja Adventista na região sul do estado de São Paulo; Dr. Michael Behe, pesquisador norte-americano e defensor do Design Inteligente como teoria científica; Dr. Martin Kuhn, reitor do Unasp; e Dr. Marcos Eberlin, pesquisador brasileiro e defensor do Design Inteligente como teoria científica.

Behe explica durante a palestra o que é o Design Inteligente e seus argumentos a favor da teoria. Segundo ele, a palavra “design” no Dicionário significa “a organização proposital ou inventiva de peças ou detalhes”, logo, é deduzido que design é sempre quando as peças parecem ter sido organizadas para uma finalidade ou propósito; que a força de uma dedução é quantitativa e o design pode ser encontrado em múltiplos níveis independentes.

Os principais argumentos de Behe a favor do Design Inteligente são:

“As pessoas estão relutantes a aceitar a teoria do Design Inteligente por causa de uma inércia intelectual. Aceitaram a evolução há 50 anos quando não sabíamos muito sobre ciência. Como não sabíamos muito sobre a ciência, aquilo foi aceito como verdade absoluta e ficou enraizado. Agora que estamos descobrindo que algumas coisas não são verdades por causa das novas evidências”, afirma Behe.

O bioquímico e pesquisador acredita que é extremamente relevante o fato dos estudantes brasileiros estarem aprendendo sobre o Design Inteligente. “Para que você tenha uma vida feliz, é necessário saber que você é importante, e muitos jovens pelo mundo acham que eles são frutos do acaso ou de um grande acidente, e isso tem causado um problema de infelicidade. É bom que os brasileiros, já conhecidos por serem felizes, fiquem ainda mais felizes sabendo que a existência deles tem um propósito”, comenta.

Criacionismo X Design Inteligente

O Criacionismo e o Design inteligente são frequentemente confundidos, mas o pesquisador Michael Behe explica que apesar de serem relacionados por acreditarem que o Universo não surgiu do acaso, há diferenças.

“A Bíblia diz que no princípio Deus criou os céus e a Terra, mas a ciência achava que o Universo era eterno. Um dia veio essa teoria do Big Beng que diz que o Universo não era eterno e que ele teve um início, aí a ciência concorda com a Bíblia. Então essa é a grande diferença entre o Criacionismo e o Design Inteligente: o Criacionismo tem os seus fundamentos na revelação da Bíblia, e o Design Inteligente procura encontrar as respostas na ciência”, explica o pesquisador.