Pesquisa de mestrado do Unasp aborda a prática andragógica na educação contemporânea

Artigo

Escrito por

Raiane Lívia

Publicado em

04 jun 2019

Crédito imagens

Arquivo

 

A pesquisa do mestrado em educação do Unasp realizou análise filosófica sobre práticas educacionais andragógicas na educação do século XXI

A educação é imprescindível para o bom andamento da sociedade. No entanto, é relevante levar em consideração os atores que estão envolvidos no processo educativo. A figura do professor como educador e transmissor de ensinamentos tem sido ressignificada ao longo dos anos. Atualmente, é preciso mudar a visão e conceito sobre a função e posicionamento daquele que é parte fundamental na educação de gerações.

O estudo foi realizado pela mestre em educação Maria Luiza de Carvalho (lado direito).

A mestre em educação pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho, Maria Luiza de Carvalho debruçou-se sobre pesquisas com aspectos mais filosóficos no campo da educação e a relevância desta área na formação do professor no Ensino Superior.

O objetivo do estudo centralizou-se uma busca reflexiva sobre as práticas educacionais andragógicas contemporâneas em contraste com o desenvolvimento de novas habilidades metodológicas de aprendizagem exigidas na atualidade pelos protocolos de instrução. O foco está direcionado para as necessidades do professor e do aluno na contemporaneidade.

O método andragógico foi criado pelo educador estadunidense Malcom Knowles. O termo de origem grega significa literalmente “ensinar para adultos”. Essa ciência apresenta uma filosofia que chama atenção quando se trata do aprendizado do público adulto. Diferente das crianças, os adultos trazem para sala de aula uma bagagem e experiência de vida e buscam, mais do que novos ensinamentos, conhecimentos que sejam práticos e relacionados ao seu dia a dia.

A pesquisa feita por Maria Luisa analisa a metáfora do tornar-se criança como uma forma de compreensão adequada do papel da educação andragógica no século XXI. O estudo também pretende apontar a transição dos métodos pedagógicos para andragógicos no ensino superior, assim como a análise da contribuição para a educação das metáforas de andragogia mencionadas pelo filósofo Friederic Nietzsche na sua obra Assim falou Zaratustra.

Mais detalhes sobre o trabalho da autora estão expostos na íntegra em sua dissertação disponível no acervo digital de Teses e Dissertações da Biblioteca do Unasp. Para ler a pesquisa basta acessar o link.