Morre pioneiro da música adventista no Brasil

Acontece no Unasp

Escrito por

Aira Annoroso e Emily Bertazzo

Publicado em

15 mar 2021

Crédito imagens

Centro de Memória do UNASP campus São Paulo

Elias Reis de Azevedo faz parte da história do UNASP e da música adventista no Brasil.

É com muito pesar que informamos o falecimento do pastor e músico Elias Reis de Azevedo, membro da comunidade do UNASP campus São Paulo, ocorrido na manhã desta segunda-feira (15), aos 87 anos de idade.

VIDA E LEGADO

Elias Reis de Azevedo nasceu no ano de 1933 em Rolante, Rio Grande do Sul. Com apenas quatro anos de idade, cantava duetos com seu pai. Entre dez e doze anos de idade, cantava com o irmão, Oswaldo, tanto na igreja como nas reuniões campais no Estado do Rio Grande do Sul. Naquele tempo, quase não se usava acompanhamento para os cantores e nem microfones, embora alguns eventos reunissem mais de mil pessoas.

Pioneiro da produção musical adventista no Brasil, Elias fundou o primeiro quarteto evangélico do Brasil: Harmonia (10 anos antes do Arautos do Rei), onde era segundo tenor. Além disso, era graduado em Teologia e criou uma gravadora chamada “Gravadora Boa Música” (GBM). O primeiro disco foi gravado no Estúdio Continental, um compacto do Coral Carlos Gomes (coral do UNASP campus SP), com os hinos mais cantados na época.

Em 1962, quando foi formado o primeiro quarteto “Arautos do Rei” brasileiro, para servir ao ministério de A Voz da Profecia, Elias se empenhou no trabalho de gravação dos discos e a GBM lançou os LPs: Hei de Estar na Alvorada (1962), Música Celeste (1965), Caminhando (1966) e Pensando em Ti (1970).

Elias em entrevista ao programa Fé em Ação.

A GBM continuou produzindo gravações de ótimo nível e uma de suas produções mais relevantes foi a Bíblia Sonora: uma coleção de compactos com histórias da Bíblia, para crianças. A gravadora também lançou hinários, coleções de slides, cartões postais e marca-páginas com pensamentos bíblicos. Nos primeiros 30 anos de existência (até 1988), a GBM produziu 112 LPs e 50 compactos. Seus discos foram exportados para o mundo todo e tocados nas rádios evangélicas de Portugal, Índia, Estados Unidos, vários países da África e da América do Sul.

FAMÍLIA E MINISTÉRIO

Casamento de Elias e Zilda.

Em 14 de fevereiro de 1961, Elias casou-se com Zilda Marlene (falecida em 2000). A cerimônia foi realizada pelo pastor Siegfried Kumpel na Igreja Adventista do Sétimo Dia de Santo André, na grande São Paulo. Elias e Zilda compuseram, produziram e cantaram canções gravadas pelo GBM. Da união nasceu um filho, Wilson Azevedo, em 23 de fevereiro de 1963.

Em 1958, quando ainda eram solteiros, o casal começou seu ministério musical cantando duetos nos cultos de sábado na igreja do Colégio Adventista Brasileiro, atual UNASP campus São Paulo. Juntos participaram também da produção de diversos discos musicais infantis. Eles gravaram mais de 300 canções para crianças e cerca de 1.000 canções para todas as idades.

Até o falecimento de sua esposa Zilda, Elias gravou discos fazendo dueto com ela, ou formando o Trio Azevedo, que incluía o filho Wilson. Recentemente, Elias Azevedo lançou sua biografia: Sons de uma Vida – A história de um pioneiro da música.

TRAJETÓRIA NO UNASP

Formatura de Elias no UNASP campus São Paulo.

Elias fez parte da história centenária do UNASP. Ele chegou ao campus São Paulo em fevereiro de 1955, onde fez o Ensino Médio junto com o curso Técnico em Contabilidade e, na sequência, a Faculdade de Teologia, concluída em 1962. Tinha paixão pela música desde criança, e principalmente por quartetos. Pouco tempo após sua chegada na instituição, fundou o Quarteto Harmonia. Participou de corais, principalmente o Coro Masculino da instituição. Ainda mais, foi produtor dos livros comemorativos chamados de “Colina”, feitos entre os anos 1960 e 1980.

Até seus últimos dias de vida, Elias frequentava a instituição e participava das atividades da igreja do campus, onde já atuou como ancião e líder de música também. No espaço do UNASP, contribuiu não só para o desenvolvimento e crescimento da música no campus, mas também para a música adventista em todo o Brasil.

O UNASP reconhece o legado deixado pelo pastor, músico e produtor Elias Reis de Azevedo, e tem gratidão por tantos feitos. Além das suas produções musicais, a instituição lembrará com carinho dos momentos em que ele andava pelas alamedas sempre com uma história para contar ou com uma flor para alegrar o dia de alguém; em que passava cumprimentando os alunos, professores e funcionários, sempre bem humorado; quando participava das refeições no restaurante do campus, e aproveitava a oportunidade para conversar e dar conselhos aos alunos residentes. Muito mais que um pastor, músico e produtor, Elias foi um grande amigo da comunidade do UNASP campus São Paulo.