High School apresenta simulação de debate da ONU

Vida no Campus

Escrito por

Redação

Publicado em

26 jun 2017

Estudantes do High School apresentaram aos pais e convidados, a simulação de uma sessão do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que procurava decidir sobre uma possível intervenção militar em um país que ameaçava seus vizinhos com armas nucleares.

O debate aconteceu na noite de terça, 20 de junho, e longe de ser um tema comum outro diferencial do projeto é que toda a apresentação foi feita com os alunos falando em inglês.

O projeto é um dos trabalhos de conclusão do semestre da disciplina de Governo Americano, conteúdo exclusivo do currículo do High School. “Nós trabalhamos com definições, de onde vem a noção de governo, como o governo americano se organiza, que é muito parecido com a forma com que o governo brasileiro se organiza, porque ambos são republicas federativas. O último tópico do semestre foi política externa, e nesse interim trabalhamos a política externa americana na ONU, por isso a ideia desta apresentação”, informou o professor da disciplina, Lucas Azevedo.

Se para alguns alunos o desafio era falar inglês, para outros o problema era diferente. “Para mim o mais difícil é falar em público, porque o assunto é novo e eu sou tímido”, declarou o estudante Guido Cruz.  Já para o estudante Mateus Maia, que durante a simulação defendeu os interesses da França, o entusiasmo aconteceu devido ao tema em debate, que é um espelho da atual crise enfrentada pela comunidade internacional em relação à Coreia do Norte. “O assunto é muito interessante, porque existe uma rixa política entre os países, e assim aprendemos como funciona a votação e as decisões que afetam todas as nações. Estamos aprendendo pra caramba”, explicou com entusiasmo o aluno.

 

Novidade no Campus

Diretor Lélio Lélllis recebe certificado de autorização de funcionamento do High School no campus.

No campus do Unasp-ht, o High School começou no início de 2017 disponível para estudantes do nono ano do Ensino Fundamental II e primeiro ano do Ensino Médio. Uma possibilidade acadêmica que garante ao aluno um currículo diferenciado. “A principal vantagem é que agora o aluno não aprende apenas o inglês, mas ele recebe um título conferido pelo governo americano, o que faz dele um profissional do século 21, com mais chances de sucesso”, destacou o diretor geral do campus, Lélio Lelis.

A diretora acadêmica do Griggs International Academy, Janice Fernandes, explica que o projeto está longe de ser uma aula de inglês comum, uma vez que agrega conteúdos que compõem o ensino americano. “Eles aprendem inglês acadêmico, com aulas cem por cento em inglês e material americano. É exatamente a aula que eles teriam lá nos Estados Unidos, só que que eles conseguem ter acesso a esse conteúdo no próprio país”.