Formando realiza pesquisa com deficientes visuais

Notas Formatura

Escrito por

Sabrina Girotto

Publicado em

08 dez 2020

A partir de uma infelicidade, surgiu a oportunidade! Essa é a história de Miguel Felipe Barboza de Souza. Ele é aluno do curso de Pedagogia do UNASP Hortolândia e se formará neste mês de dezembro com honra, por ter realizado uma pesquisa com deficientes visuais. Entretanto, sua trajetória para segurar o diploma em mãos nem sempre foi fácil. Conheça sua história.

Primeiros anos de vida

Quando estava com apenas quatro anos de idade, Miguel perdeu o pai Ademir dos Santos Souza, um motorista de ônibus que foi alvejado em um assalto ao ônibus. Apesar da perda, Sônia do Carmo Barboza Souza, mãe do Miguel, não desistiu. O seguro que a família deveria receber por um acidente como esse, acontecido no exercício da profissão, não veio como esperado. Sônia então pleiteou esse direito, mas o processo atrasou e decorreu por toda a vida estudantil do Miguel.

Aluno Miguel de Souza e sua mãe, Sonia de Souza
Aluno Miguel de Souza e sua mãe, Sonia de Souza

Um ano após o estudante finalizar o ensino médio em escola pública, o valor do seguro chegou às mãos da família. Ao invés de o utilizar para outros fins, a mãe decidiu investir em uma boa formação profissional para seu filho.

Iniciando a vida acadêmica

Formandos de 2020 do curso de pedagogia do UNASP Hortolândia.
Formandos de 2020 do curso de pedagogia do UNASP Hortolândia

No ano de 2017, Miguel iniciou seus estudos na graduação do UNASP Hortolândia. A família já conhecia a instituição adventista por ter sido local de formação pedagógica de sua avó em anos passados. Apesar disso, pouco conhecia o campus e os ensinamentos ali transmitidos.

Durante os anos estudando pedagogia sempre foi elogiado pelos professores, assim o prestativo e gentil Miguel se destacou. “Ele é um aluno muito interessado e atencioso dentro da sala de aula. Quando tinha alguma incerteza, vinha tirar suas dúvidas e queria ter total absorção em sua aprendizagem. Isso era algo que sempre admirei nele” conta Leticia Schultz, professora do Miguel.

Pesquisa com deficientes visuais

Miguel escreveu seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) orientado pela professora Keyla Ferrari, com o tema Os desafios enfrentados no processo de escolarização na perspectiva do aluno com Deficiência Visual, fruto de sua experiência com uma aluna com Deficiência Visual (DV) quando estava realizando o estágio. “Através da minha experiência como professor auxiliar da aluna DV do jardim I da educação infantil ao 1° ano do Ensino Fundamental, comecei a me apaixonar por essa área. Percebi o quanto a aluna era animada, interessada e dedicada a estar na escola, interagindo e aprendendo com todos”, contou Souza.

“Ver o desenvolvimento e a superação dos alunos é maravilhoso! E quando a gente participa e contribui para essa evolução, a recompensa é ainda maior” – Miguel de Souza

Sobre suas pesquisas, Miguel relatou que “a partir da observação durante o estágio, pude perceber os desafios enfrentados pela aluna no cotidiano escolar. Construí meu trabalho com base na minha experiência, com o objetivo de buscar através de pesquisas teóricas, a melhor forma de trabalhar com os alunos que possuem DV e quais as melhores estratégias para que eles sejam inseridos no ambiente escolar com o intuito de obterem uma aprendizagem efetiva”.

 “Com base em entrevistas com as professoras da aluna, percebi a importância da mudança e transformação da escola e da sala de aula para receber o aluno DV. Enfatizei a importância do professor como o ator principal para o desenvolvimento significativo do aluno” – Miguel Souza.

Seu trabalho de pesquisa com deficientes visuais foi tão bem escrito e relevante, que será incluído em um livro sobre a temática do Braille e o auxílio à crianças com deficiência visual. Selma Fonseca, coordenadora do curso de pedagogia elogiou “ele lutou e foi atrás de tudo o que estava ao seu alcance. Fez um excelente Trabalho de Conclusão de Curso”.

O exercício da profissão

Miguel juntamente com seus avós e mãe.
Miguel juntamente com seus avós e mãe

Miguel não perdeu tempo e, antes mesmo de segurar seu diploma em mãos, colocou seus conhecimentos pedagógicos em prática! “Ele alfabetizou o avô, de forma que já está exercendo sua profissão espontaneamente para abençoar outras vidas” contou Letícia. “É este o objetivo da educação adventista. Não ensinamos somente para a vida profissional, mas para que cada aluno seja uma benção ao mundo e uma honra a sociedade. Miguel de fato tem essas características. Apesar de toda dor e sofrimento, o pai do Miguel pôde ajudá-lo a concluir sua faculdade” completou Letícia.

Agradecimentos

Mãe e filho gostariam de agradecer a Ozenir Rosa Golsaves Araújo, esposo de Sonia e pai de criação de Miguel, que foi um personagem de grande importância para sua educação. “Ele deu muito apoio para a formação e direcionamento da vida do Miguel em sua adolescência e até hoje” conta Sônia.