Estudantes do Unasp orientam mulheres na Praça da Sé

Impacto Social

Escrito por

Gésia Ruckdeschel

Publicado em

01 abr 2016

Em uma ação integrada do curso de Enfermagem do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus São Paulo, com o Instituto Base Gênesis, o mês da mulher foi encerrado com um movimento de promoção da saúde que aconteceu na Praça da Sé, em São Paulo. Universitários do Unasp-SP e voluntários do Instituto Base Gênesis montaram três tendas em uma das regiões mais movimentadas do centro da capital, para falar sobre Câncer de Mama, Câncer de Colo do Útero e violência contra a mulher. A intervenção aconteceu nas duas últimas quintas-feiras de março.

As mulheres que passavam pela praça e se interessavam em parar nas tendas, foram orientadas através de folhetos, fotos, manequins e palestras sobre o que é câncer, como preveni-lo, quais exames realizar e onde realiza-los. As mulheres puderam conhecer mais de perto como é feita a coleta do exame Papanicolau que foi demonstrado através de manequins. Onde também puderam observar o colo do útero. Entendendo melhor, dessa forma, o exame que para muitas envolve constrangimento. O que no dia a dia acaba dificultando a prática necessária desse recurso para detectar alterações no corpo feminino.

Muitas mulheres realizam o exame, mas desconhecem sua importância. “Fiquei impressionada em saber como é o colo do útero. O local é tão pequeno e muitas vezes não fazemos ideia de como é e onde se localizam as doenças”, expressou a cearense Keyla que vive em São Paulo há 6 anos.

A professora aposentada Zenaide, que também não quis mencionar seu sobrenome, conta que gostou muito de ouvir as orientações. Ela enfatizou que as mulheres precisam obter conhecimento para se cuidarem e se prevenirem. “As pessoas não sabem da importância do autocuidado muitas vezes por falta de ler a respeito ou de buscarem entre tantas fontes de informação. É uma oportunidade muito grande que estão nos dando de receber orientação na rua facilitando assim a educação na saúde”, considerou.

Nos dois dias em que as tendas estiveram abertas na Sé, mulheres das mais diversas condições sociais passaram por lá para conversar com os estudantes do Unasp-SP. De aposentadas à moradoras de rua, de desempregadas a advogadas, todas tiveram a oportunidade de serem ouvidas. Além da assistência e educação em saúde disponibilizadas a elas, os alunos puderam prestar uma assistência integral a essas mulheres, inclusive, no aspecto emocional.

Para os alunos do curso de Enfermagem, a ação proporcionou a oportunidade de experimentar na prática a realidade do cotidiano de inúmeras pessoas semelhantes em muito àquelas em que atenderão e cuidarão na atuação profissional.