Estudantes de direito participam de torneio de argumentação e oratória

Acontece no Unasp

Escrito por

Glória Barreto

Publicado em

16 abr 2021

Os alunos do quinto semestre do curso de direito do UNASP Hortolândia participaram, nesta semana, da primeira edição do torneio I Prêmio Águia de Haia. O projeto visa estimular e avaliar a oratória, a retórica e argumentação dos envolvidos. A primeira etapa aconteceu nas últimas semanas, durante as aulas. A segunda etapa, correspondente às semifinais, ocorreu nos dias 12 e 13 de abril, via Zoom, com publicação do nome dos finalistas na quarta-feira (14).

Além da experiência de participar do projeto e desenvolver novas habilidades, o grande finalista receberá um troféu em forma de águia e ganhará um vale compras no valor de R$ 1.000,00 em livrarias jurídicas.

Segundo o organizador e idealizador do projeto, professor Fernando Cerqueira, a grande final está agendada para 30 de abril, quando será conhecido o primeiro ou a primeira “águia de haia”. Nesta primeira edição experimental, o torneio contou com 90 inscritos, mas a coordenação do curso já considera a possibilidade de novas edições do  projeto.

Arte de divulgação do Prêmio Águia de Haia

Profissional da Palavra

O objetivo do prêmio é estimular os alunos a desenvolverem sua oratória, vencer o medo de falar em público e capacitá-los a expressar-se melhor. Nesse processo são indicadas técnicas que podem ser úteis na prática cotidiana da profissão.  

“O operador do Direito é um profissional da palavra. Seja a palavra escrita, seja a palavra falada. Ainda assim, uma expressiva parcela dos alunos teme falar em público. Embora apreciem o conteúdo das disciplinas do curso, muitos reconhecem dificuldade para expor suas posições”, explicou Cerqueira.

Para a estudante do 5º semestre de direito, Christina Barreto, foi preciso equilibrar o preparo prévio do assunto com a tensão de defender suas ideias para os demais alunos e jurados. “O exercício de superar o nervosismo me ajuda a praticar a fala e o discurso em público, principalmente no curso do direito. Por isso, nesses debates a gente aprende como dominar melhor a linguagem e a palavra”, destacou a estudante.

Etapas do torneio de argumentação

Na primeira etapa, a turma foi distribuída em grupos liderados para escolher as respostas às questões veiculadas ao final de cada aula. As questões são relativamente complexas, não dispondo de uma única resposta correta. Prevalece a capacidade para argumentar, persuadir e convencer os demais participantes do grupo que cede ante a resposta do orador mais convincente. 

Etapas do torneio de argumentação

Na primeira etapa, a turma foi distribuída em grupos liderados para escolher as respostas às questões veiculadas ao final de cada aula. As questões são relativamente complexas, não dispondo de uma única resposta correta. Prevalece a capacidade para argumentar, persuadir e convencer os demais participantes do grupo que cede ante a resposta do orador mais convincente. 

“Embora exista concorrência entre os participantes, os vencedores das batalhas internas serão os representantes do grupo nas batalhas externas, perante a turma, o que favorece o espírito de cooperação”, garante Cerqueira.

Na segunda etapa, já com a turma reunida, os vencedores das batalhas preliminares, sob observação de jurados especializados, apresentam-se para o embate. A cada rodada de questões, os jurados avaliam os oradores a partir de três critérios: 

O orador que obtiver maior pontuação para a questão, avança para a terceira etapa.

Segunda etapa do torneio de oratória que esta acontecendo nesta semana

Na terceira etapa, observam-se os mesmos critérios da segunda etapa. Porém, a cada rodada de questões, parte dos finalistas são desclassificados. Até que restem apenas três classificados, que apresentarão resposta para a última questão.

Aprendizados e experiências

A cada etapa os jurados instruem os estudantes dando feedback sobre suas apresentações e discursos. Orientações sobre a maneira adequada de argumentarem, se apresentarem e se portarem como futuros advogados. 

No debate, a estudante Priscila Souza defendeu seu argumento no papel de presidente da república. Tarefa que desempenhou na construção do discurso e na escolha da vestimenta, usando a imitação de uma faixa presidencial.  “Todas as observações foram muito valiosas, com certeza me enriqueceram. Me marcou a do professor Moisés Sanches, que nos sugeriu entrar no personagem e saber o público com o qual estamos falando. E foi o que eu tentei fazer, me dando confiança na hora de participar”, conta Priscila.

Estudante Pricila Souza que apresentou seu discurso no papel de Presidente da República

Para Christina, as orientações sobre o tom da fala, formas de se expressar de maneira confiante e como adaptar a apresentação para a linguagem jurídica, foram extremamente necessárias e válidas, independente da premiação final.