Essemble SP abre série de concertos comemorativos no UNASP-SP

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

22 jun 2015

Ao caminhar para o encerramento do semestre letivo, em seu 47º evento centenário, o UNASP-SP recebeu neste domingo,21, o núcleo de câmara Essemble SP. Eles abriram a Série Ouro, que será uma sequência de concertos musicais comemorativos dos 100 anos da instituição.

O Essemble SP possui 10 anos de existência e é formado por músicos que atuam com intensidade no cenário nacional e internacional. Seu repertório vai de obras do período pré-clássico à atualidade. É formado pelos músicos: Betina Stegmann ao violino; Nelson Rios ao violino, Marcelo Jaffé na Viola, Robert Suetholz no violoncelo e Ana Valéria Poles no contrabaixo.

Eles individualmente possuem prêmios de concursos internacionais e nacionais como o prêmio APCA e Carlos Gomes na área de música de câmara. Além disso participam e desenvolvem atividades didáticas em festivais e universidades dentro e fora do país.

Segundo o músico Marcelo Jaffé, o fato de todos serem apaixonados por música de câmara e já terem tocado em diversas situações os levou a formar o grupo. Quando questionado sobre a música de câmara e seu papel, ele diz que o brasil está passando por um momento de crescimento na área. “Há uma preocupação grande da sociedade com este tipo de manifestação, afinal música é cultura, é educação. Portanto o universo de fazer música no Brasil se torna cada vez mais intenso e consequentemente mais interessante. E dentro desta intensidade e interesse, existe mais espaço para a música de câmara”, diz ele.

Além de tocar em concertos, quase todos eles lecionam como Ana Valéria Poles que é professora da Academia e primeira contrabaixista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, OSESP. Ela que é apaixonada por música diz que, a vida sem música não dá para imaginar. Comenta também que é importante o ensino de música nas escolas. “Eu gosto tanto de tocar quanto de lecionar, e penso que não devemos reter o conhecimento para nós. Partilhar é importante e é o papel do professor. E tocar é prazeroso demais”, frisa.

Ao falar sobre a Série Ouro ela diz ser muito relevante e benéfico para todos os concertos musicais que o UNASP-SP está realizando. “Eu acho que só se pode louvar essa iniciativa. A gente percebe a interação do público e isso e essa troca entre músicos e público é sensacional pois é assim que a música entra no coração de todo mundo, e as pessoas se influenciam através de nós”, afirma ela.

Jaffé concorda com Valéria e acrescenta que “o acesso de tanta gente as atividades culturais e educativas aqui nesse lugar maravilhoso, ter programação e ouvir concertos com um aspecto muito variado de estilos e formações diferentes como irá acontecer, a gente só pode aplaudir e torcer para que esse tipo de iniciativa continue e se fortaleça cada vez mais. E nós nos sentimos orgulhosos de ter participado”, ressalta.

O público se encantou com o que ouviu. Além de vários músicos presentes como o maestro Jean Reis, Davinson Berger, Cleide Borba e outros, alunos do campus ficaram do início ao fim da apresentação apreciando a boa música, como Rebecca Fonseca, que cursa o terceiro ano de Psicologia no campus. Ela toca violino e achou linda a apresentação. “ A interpretação foi ótima. A qualidade da música apresentada aqui é párea com a música feita em lugares como a Sala São Paulo. Valeu a pena. Acho que eventos como esse incentivam nós como alunos com relação com a música”, conclui.

No próximo semestre teremos mais concertos da Série Ouro. Você pode conferir as datas no site http://unasp.organit.com.br/

Por Rosemeire Braga