Escola de Artes se reinventa e passa a atender alunos de outros países

Acontece no Unasp

Escrito por

Glória Barreto

Publicado em

05 ago 2020

Violão
Escola de artes oferece aulas remotas de violão e outros instrumentos.

As salas da Escola de Artes do UNASP Hortolândia continuam fechadas, mas os cursos além de continuarem funcionando remotamente aumentaram o seu alcance, agregando alunos de diferentes estados do Brasil e outros países, como Alagoas, Belém, Bahia, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro, EUA, Inglaterra e Espanha.

A diretora da Escola de Artes, Thatiana Lucksch, conta como surgiu essa ampliação no atendimento aos alunos. “Nossa escola assim como em outras, se reinventou para que o aluno continuasse evoluindo na sua jornada artístico-acadêmica mesmo que a distância. Como o resultado das aulas on-line tem sido muito positivo, surgiu a ideia de oferecermos também a modalidade on-line para um outro tipo de público que gosta e aprecia a música, mas não tem acesso a modalidade presencial”, contou Thatiana.

Como as aulas acontecem?

Para participar das aulas online, o aluno precisa ter um celular, um tablet ou um computador para ter acesso as aulas, que acontecem ao vivo pela plataforma Zoom. Se forem aulas de canto e musicalização infantil, é muito fácil participar. Já para as aulas de instrumento, é necessário que o aluno possua o instrumento e um lugar tranquilo para realizar suas aulas.

Alunos de diferentes lugares

A mãe de aluno, Raquel Veloso, mora na  Flórida, USA, e ficou sabendo das aulas de música on-line por uma amiga e matriculou seus dois filhos David e Victoria Veloso. “Nos interessamos em matricular nossos filhos na Escola de Artes do UNASP Hortolândia para tirá-los um pouco da ociosidade da quarentena e aprender algo novo. E eles têm gostado muito e se interessado bastante pelas aulas online de instrumento”, explica a mãe.

O aluno Dherick Leal de 06 anos, que mora em Belém, PA, já havia iniciado a musicalização em sua cidade antes da pandemia, mas depois da primeira aula a pandemia estourou. A mãe do aluno, Marília Leal, conta que tentou continuar, mas não deu certo. Quando viu nas redes sociais que a Escola de Artes de Artes do Unasp Hortolândia estava oferecendo aulas on-line decidiu tentar, para ver se o filho iria se adaptar. “Decidi colocar Dherick na música porque acho importante para o desenvolvimento. E agora vejo que está gostando muito das aulas, os professores são muito didáticos e tem jeito com crianças. Sinto que é um momento prazeroso para ele, e não maçante. Estamos bem felizes por poder participar das aulas online e ver o quanto o Dherick tem se interessado”, relatou Marília.

As redes sociais também alcançaram a aluna, Dayane Rezende Batista  em Barcelona, Espanha.  “Conheci a Escola de Artes do UNASP-HT pelo perfil do Instagram. Me interessei pela aula de canto pois gosto muito de cantar e tenho interesse em me desenvolver bem nesta área. A praticidade das aulas on-line me possibilita essa melhora. E fico feliz em estudar em uma escola com grandes referências”, afirmou Dayane.

Cursos e procura

Com um mês de divulgação a Escola de Artes já recebeu 52 pessoas interessadas pelos cursos online e muitas dessas procuras resultaram em novas matrículas. Neste novo formato a Escola de Artes está oferecendo vários cursos diferenciados para atender à necessidade dos alunos e se adaptando conforme as demandas e procura. São diversos cursos:

Novas experiências profissionais

Esse novo formato de aulas também é uma novidade para os professores que tem se reinventado para proporcionar aos alunos aulas criativas e de qualidade. A professora de piano e musicalização, Patrícia Arantes conta que o esforço é recompensado ao observar como os alunos estão se desenvolvendo.

Como professora, é possível observar como os alunos tem aprendido nas aulas on-line. Cada dia mais eles têm melhorado a concentração, tem ficado mais autônomos e melhor desempenho no resultado final, pois solicito além das aulas síncronas, vídeos regulares onde o aluno entrega as tarefas com sua melhor performance. Essa modalidade tem nos trazidos resultados bem positivos”, destacou a professora.