Dissertação de Mestrado do Unasp evidencia fatores que dificultam o tratamento de hipertensos

Profissão e Mercado

Escrito por

Gésia Ruckdeschel

Publicado em

29 mar 2016

Aconteceu na tarde de segunda-feira, dia 28 de março, no auditório Ellen White, mais uma defesa de dissertação pelo Mestrado Profissional em Promoção da Saúde do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus São Paulo. A dissertação teve como tema: “Prevalência, Tratamento e Controle da Hipertensão Arterial com Método Diferencial para Grandes Centros Urbanos com Estratégia Saúde da Família”. De autoria do enfermeiro, Thiago Menezes, e sob orientação da professora Natália Oliveira Vargas, a pesquisa avaliou a subnotificação de hipertensos na região do Capão Redondo, em São Paulo. A banca de avaliação do trabalho esteve aberta ao público.

Após a apresentação da metodologia e resultados da pesquisa à banca, Thiago concluiu que existem muitos casos de hipertensão que não são diagnosticados devido à ausência nos pacientes do hábito de recorrerem aos serviços de saúde com regularidade. Isso somado a falta de tempo para desenvolver um estilo de vida apropriado, considerando que grande parte dessa população trabalha em locais distantes de sua residência.

Segundo Thiago, é papel dos serviços de saúde identificar os novos casos de hipertensão para que o tratamento medicamentoso seja oferecido o mais precoce possível. Oferecendo mudanças no estilo de vida para que essa doença não acometa complicações em um futuro próximo. “Através de discussão junto aos gestores de saúde é importante propor uma metodologia em horários diferenciados para identificar esses novos casos”, destacou.

Para mais informações sobre essa pesquisa e o Mestrado Profissional em Promoção da Saúde, entre em contato com o departamento de pós-graduação, pesquisa e extensão universitária do UNASP-SP. Ligue no telefone (11) 2128-6230.