De aluna de viola no UNASP à mestranda no Canadá

Profissão e Mercado

Escrito por

Glória Barreto

Publicado em

09 ago 2021

A professora da Escola de Artes do UNASP Hortolândia, Ludmilla Kraneck, é a mais nova aluna de mestrado da University of British Columbia, em Vancouver, Canadá. Quando começou a cursar viola no campus Hortolândia, aos 13 anos, não imaginava que esse instrumento se tornaria sua maior paixão e ainda mais, que sua vida acadêmica giraria em torno da música.

Jovem moça tocando viola
Ludmilla em uma apresentação da orquestra no campus UNASP Ht

Em um bate-papo com nossa equipe, Ludmilla contou como se preparou para o processo seletivo e dá dicas para quem tem interesse de fazer uma pós-graduação no exterior.

Desde quando você tem esse sonho de fazer um curso no exterior?

Começou mais ou menos em 2015, um ano após eu ingressar na faculdade. Foi meu professor de viola que fortaleceu essa ideia em mim. Ele fez mestrado e doutorado nos Estados Unidos e me explicou que seria muito bom seguir com os estudos em outro país.

Você passou pelo processo seletivo de várias universidades. Quais foram e qual foi o motivo da sua decisão pelo Canadá?

Eu consegui bolsa em três universidades. Passei em primeiro lugar na University of British Columbia (Vancouver, BC), fiquei entre os três primeiros colocados na Western University (London, ON), e passei também na University of Manitoba (Winnipeg, MB).

Escolhi a universidade University of British Columbia, em Vancouver, que me ofereceu a melhor bolsa. O curso é Mestrado em Performance em Viola, na University of British Columbia, em Vancouver, com duração de dois anos.

Como você se preparou para o processo seletivo?

Bom, eu comecei estudando inglês. Meu inglês era bem básico e para mestrado as notas das provas de proficiência em inglês costumam ser altas (intermediário avançado e avançado). Aproveitei a pandemia para resolver isso. Fiz um curso online de inglês e também um outro curso específico para a prova do TOEFL.

Alguma dica para quem tem o sonho de fazer um curso no exterior?

Sim, tenho várias dicas!

A primeira delas é entregar o processo todo, incluindo os mínimos detalhes nas mãos de Deus. Deus realizou milagres incríveis. É um processo cansativo, algumas vezes chato, mas foi um período que entendi o quanto dependo de Deus e como é bom depender dEle. Ele abriu portas que eu jamais imaginaria.

A segunda dica é resolver a questão do idioma, pois ele é a chave de entrada. E depois de resolver o idioma é super importante saber qual a prova de proficiência de idioma que precisa fazer. É preciso conhecer bem a estrutura e estratégias dessas provas.

A dica seguinte é pesquisar as universidades e professores e entrar em contato com eles. Apresentar-se à eles, mostrar que tem interesse e mandar algum material para que eles conheçam um pouco sobre você. A maioria dos contatos que fiz foi por e-mail.

Planejamento financeiro também é importante. Assim como no Brasil, para fazer uma aplicação é necessário pagar uma taxa não reembolsável.

E por fim, ficar atento com as datas e prazos para fazer as aplicações.

O UNASP te ajudou a realizar esse sonho? Tem algum crédito na sua trajetória?

Sem dúvidas! Na verdade, eu não faço ideia de qual seria o rumo da minha vida se não fosse o UNASP, através de pessoas muito queridas e especiais, me dando inúmeras oportunidades.

Foi aqui que ganhei uma bolsa para estudar viola, teoria musical e curso técnico em música. Na época meus pais não tinham condições financeiras de pagar esses cursos. E com essas bolsas eu pude me desenvolver tanto no instrumento, como na teoria musical.

Jovem tendo aula de viola com professor
Ludimilla participando do 6º Festival Internacional Música na Serra, em Bagé, RS.

O curso técnico me deu bagagem para ingressar na faculdade e depois, como resultado de tudo isso, ingressar no mestrado. Obrigada Escola de Artes do UNASP Hortolândia!

* Nos últimos anos Ludmilla Kraneck  atuou como professora de viola, teoria musical e história da música na Escola de Artes do UNASP Hortolândia.