Curso de Direito propõe novos projetos

Acontece no Unasp

Escrito por

Aira Annoroso

Publicado em

09 abr 2019

O curso de Direito do Unasp campus São Paulo, que teve início neste ano, está buscando dar oportunidades diferenciadas aos alunos. O fato de estar situado na maior metrópole do país, facilita o acesso a diversos meios de se obter maior conhecimento. Além de convidar palestrantes de peso na área jurídica para falar aos alunos, o curso se propôs a abrir portas fora do campus para que estes aprendam ainda mais. Hoje pela manhã (08) os estudantes foram convidados pela coordenação e estiveram presentes na reunião e palestra do Conselho Penitenciário do Estado São Paulo, cujo tema foi “Tráfico de Pessoas e de Drogas”. A programação foi conduzida pelo dr. Umberto Luiz Borges D’Urso, Advogado Criminal e presidente do Conselho; e pela expositora Izilda Alves, jornalista e responsável pelo Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas da Secretaria da Justiça e Cidadania.

“O Conselho Penitenciário do Estado de São Paulo é importante para nós porque nosso curso tem um viés humanista, lidamos com seres humanos. É essencial que nossos alunos tenham essa visão de como lidar com as pessoas, principalmente as que são minorias”, afirma o coordenador do curso, me. Walter Rubini Boneli.

A equipe presente na reunião é formada por representantes de diversas entidades do governo que lidam com o ser humano de forma geral. Eles firmaram uma parceria com o curso de Direito do Unasp, onde ambos irão propor cursos como medicina legal e oratória jurídica.

Unasp Interligare

Além de estar proporcionando aos alunos um conhecimento diferenciado da área jurídica, o curso de Direito do Unasp campus São Paulo criou o projeto Unasp Interligare. Cumprindo com o tripé educacional: ensino, pesquisa e extensão, o Interligare é a forma mais rápida e direta de fomentar o diálogo com as mais variadas fontes de pesquisa. Segundo o coordenador do curso, me. Walter Rubini, por meio do projeto os alunos do Unasp vivenciarão a troca de experiências com outros ramos do saber, onde sempre haverá um fio condutor entre uma área e outra. Por meio de encontros mensais os cursos poderão conversar entre si, movidos por um tema a ser debatido. “O aluno precisa compreender que seu curso não é isolado. Sempre haverá uma ligação com algum ponto de outro ramo do saber”, completa o coordenador.