Coordenador de produção da TV Novo Tempo realiza palestra no curso de Jornalismo

Não Classificado

Escrito por

Redação

Publicado em

20 abr 2015

O jornalista Laerte Lanza, coordenador de produção do núcleo de programas espirituais da TV Novo Tempo, foi o convidado para a aula magna do curso de jornalismo do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho (Unasp-EC) na quarta-feira, 8 de abril. Ex-coordenador do curso de comunicação social da instituição, Lanza falou sobre suas experiências anteriores no campus, sua trajetória profissional e deu alguns conselhos importantes para os futuros jornalistas que engrossaram a plateia do evento. “A profissão começa nos bancos da faculdade. O aluno precisa ser ativo e aproveitar as oportunidades dentro do campus”, sugeriu.

No início dos anos 2000 Lanza foi instigado a aceitar um desafio pela então reitoria do Unasp: assumir a coordenação e fazer com que o curso de comunicação social fosse aprovado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Uma tarefa quase impossível, já que o curso, apesar de estar em funcionamento, não contava com nenhum ponto de prática dentro da instituição. “Era um curso fadado a morrer”, revela. Só havia um professor formado em jornalismo e o curso passava por um descrédito junto à própria instituição. “Aceitei o desafio, fizemos a revisão curricular e acrescentamos mais prática ao curso”, conta. “Deixamos de ser um curso de cuspe e giz”, fala, em alusão ao predomínio do conteúdo teórico na grade.

A iniciativa de implantar mais prática no campus trouxe um outro problema para Lanza. Não havia pontos de prática para os alunos. “Precisávamos implantar, em um curto espaço de tempo, 15 pontos de prática para termos chance com o MEC”, relembra. Através de doações e investimentos da própria instituição, em 10 meses foram construídos os estúdios de rádio, televisão e de fotografia. Em 2003 representantes do MEC estiveram na instituição para a avaliação. Ficaram tão impressionados com a estrutura, que o curso não apenas foi aprovado como recebeu o conceito máximo à época. “A partir daí o curso só cresceu. Contratamos mais professores e o número de alunos aumentou”, recorda.

Lanza não é saudoso apenas quando conta as histórias do curso. Tem saudades também do perfil de alguns alunos que encontrou ao longo de sua trajetória acadêmica. “Quando eu sei que o aluno será um bom jornalista? Se ele tiver sangue nos olhos. Fazer a matéria como se fosse a última”, receita. Ele diz ter encontrado muitos alunos com esse perfil no curso, mas teme que essa característica esteja cada vez mais distante do estudante atual. “Muitos alunos não valorizam a estrutura que tem para a prática e não aproveitam seu tempo dentro da universidade. O aluno não pode se acomodar de jeito nenhum”, aconselha.

Hoje diretor da TV Novo Tempo, também ligada à Igreja Adventista do Sétimo Dia, Lanza é responsável pela produção de 23 programas na emissora. E lembra que entre os produtores, conta com a participação de ex-alunos do Unasp. “São alunos que aproveitaram a oportunidade e hoje são meus funcionários no mercado jornalístico”, compara. Depois de passar por um sério problema de saúde, quando venceu um câncer na tireóide, Lanza lembra que o dia a dia do jornalista é permeado por estresse e correria, para o cumprimento de pautas e da tirania do deadline. “Sou um candidato a enfartar. Estou sempre ligado na produção dos programas, mesmo dormindo”, conclui, brincando com sua própria situação de jornalista.

por ABJ Notícias