Concerto reproduz clássicos da Broadway

Acontece no Unasp

Escrito por

Murilo Pereira

Publicado em

18 jun 2018

Crédito imagens

Herbert Ferreira

Segundo registrou o site de meteorologia, Clima Tempo, a tarde de sábado dia 16 de junho foi a mais fria do ano até então, com a temperatura máxima não passando dos 16,2 C na cidade de São Paulo. Ao anoitecer as temperaturas diminuíram ainda mais. Porém, às 20h, o Salão Nobre do UNASP campus São Paulo já estava lotado. Quem chegava disputava os últimos assentos. Centenas de pessoas enfrentaram o frio e saíram de casa para assistir ao concerto da Orquestra Sinfônica do UNASP (OSU). O maior grupo instrumental do UNASP-SP existe há 38 anos e oferece concertos abertos ao público.

O maestro Davinson Berger explica que além dos musicais de temática sacra, a orquestra também apresenta peças que fazem parte da cultura popular de prestígio nacional e internacional.”O principal papel da orquestra tem sido o de divulgar a música sacra instrumental. Tanto na igreja do UNASP que é a nossa sede quanto em outras comunidades. Mas também temos como segundo objetivo promover a cultura trazendo um repertório não sacro, um repertório secular, para concertos que são apresentados ocasionalmente”, disse.

A inspiração para o concerto do primeiro semestre de 2018 veio dos grandes musicais da Broadway. A avenida mais conhecida da cidade americana de Nova Iorque se tornou famosa por reunir grandes espetáculos e musicais que permanecem em cartaz por anos devido a grande aceitação por parte tanto da crítica  quanto do público. Algo que ultrapassa os limites geográficos e alcança o cinema, a televisão e é reproduzido em diversos países.

O repertório escolhido pela OSU reuniu grandes clássicos da Broadway, como O Fantasma da Ópera; West Side Story; Chicago; A Bela e a Fera; O Rei Leão e Frozen. “O tema escolhido remete aos musicais conhecidos no mundo todo e famosos pelo alto índice de performance que já ocorrem tradicionalmente em Nova Iorque. A nossa intensão era fazer uma seleção de músicas que tomaram bastante destaque dentre alguns musicais conhecidos no mundo todo e famosos pelo alto índice de performance. Ao trazermos uma diversidade de musicais dentro desta seleção tivemos um repertório musicalmente bastante interessante”, considerou o maestro.

Algumas das peças escolhidas foram acompanhadas por intérpretes vocais. “Foi uma experiência muito gratificante. Até por que não é todo dia que se tem a oportunidade de cantar uma música tão conhecida por todos e que faz parte de um musical como é o O Rei leão”, afirmou o estudante de Ciências Contábeis, Diego Hahn. O aluno cantou com amigos, que assim como ele, residem no campus e participam dos corais e grupos vocais da Acarte.

A OSU é composta por instrumentistas voluntários e em grande parte amadores. Muitos integrantes são servidores do UNASP-SP, trabalham em outros lugares ou são estudantes de um dos cursos de ensino superior do campus, assim como Hahn que compartilhou o aprendizado que esta experiência trouxe para sua formação.

“São experiências dessa maneira que nos fazem saber que somos capazes de enfrentar várias coisas. Da mesma maneira que temos que ter a coragem de pegar um microfone e cantar músicas conhecidas e apreciadas pelo público, nós como contadores devemos nos expressar em relação a tomada de decisão e prestação de informações para os gestores e administradores”, concluiu.

O concerto que encerrou a agenda artística do campus no primeiro semestre do ano, aconteceu um ano após o início dos ensaios. Foram muitas horas de preparação e aperfeiçoamento para a presentação que conquistou o público. “Não tivemos como foco só esse programa. Tivemos várias outras apresentações ao longo desse tempo, mas estivemos durante um ano preparando o repertório para esse concerto”, contou Berger.