Aula do Unasp reforça atendimento ao deficiente físico e acessibilidade

Acontece no Unasp

Escrito por

Murilo Pereira

Publicado em

03 maio 2016

Na sexta-feira, 15 de abril, universitários dos cursos de Fisioterapia, Enfermagem, Nutrição, Psicologia e mestrandos do Mestrado Profissional em Promoção da Saúde do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus São Paulo, assistiram a uma aula magna ministrada pela Secretária Estadual do Direito da Pessoa com Deficiência Física, de São Paulo, doutora Linamara Battistella.

Considerada a maior das minorias existentes no mundo. Estima-se, segundo a Organização Mundial da Saúde, que seja de 1 bilhão o número de pessoas com algum tipo de deficiência física. No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, esse grupo representa mais de 45 milhões de pessoas.

Além das políticas, leis e campanhas de incentivo necessárias para a garantia dos direitos humanos básicos e da acessibilidade aos cidadãos com necessidades especiais, Linamara enfatizou aspectos igualmente essenciais para o bem-estar e a saúde dessa população.

“Ter uma rampa de acesso e ter uma sinalização adequada ajuda muito, mas o fundamental são as atitudes, a acessibilidade atitudinal quando nós olhamos com interesse para a pessoa com deficiência. Um olhar de interesse e um olhar de solidariedade tem um significado enorme para que a pessoa se sinta acolhida. Isso vale para uma recepção, isso vale para uma primeira consulta, isso vale para uma sala de aula”, enfatizou.

O conselho da secretária estadual reforçou uma prática que já faz parte da conduta que é ensinada e praticada no Unasp-SP. Foi na Policlínica Universitária que Jozé Valdo de Melo Silva encontrou mais do que um atendimento para sua reabilitação. Diagnosticado com uma doença degenerativa, foi na hidroterapia que ele conheceu a estudante de Fisioterapia, Priscila Narcizo. Além de sua fisioterapeuta, a atenção e o cuidado oferecidos no atendimento proporcionou uma relação de amizade.


“Eu já fiz hidroterapia em outros lugares e tenho gostado muito daqui. Não só do atendimento na piscina, mas do tratamento em si e da fisioterapeuta Priscila que é muito atenciosa e tem me tratado de uma forma excelente. Eu estou muito feliz porque a gente busca, é claro, a qualidade de vida e é o que eu tenho encontrado aqui”, afirmou o paciente.

Para Priscila, o atendimento humanizado e o cuidado integral dos pacientes proporcionam uma experiência que complementa o aprendizado. “Eu aprendo mais com ele do que ele aprende comigo. Com isso, você aprende a valorizar as pessoas e representa que você está seguindo o que Deus deixou que é amar o seu próximo. Amar o seu próximo é fazer o seu melhor por ele. Eu agradeço a Deus porque Ele tem me capacitado e eu tenho visto os resultados no Valdo”, expressou a estudante.

Como presidente do Instituto de Reabilitação Lucy Montoro, Linamara conta que os profissionais formados pelo Unasp-SP têm contribuído de forma significativa com essa rede de atendimento a pessoas com necessidades especiais. “Tenho convivido com alunos da graduação e da pós-graduação nos nossos laboratórios e nas nossas unidades da Rede Lucy Montoro e é impressionante a qualidade da formação do profissional que sai dessa universidade. Poder hoje trazer um pouco da nossa experiência no atendimento e na linha das pesquisas que estamos fazendo e compartilhando com o professor Fabio Alfieri, vai ser um grande entusiasmo, uma grande motivação, para que mais e mais a gente possa se aproximar e trabalhar em conjunto”, afirmou.

Alfieri é o coordenador do Mestrado Profissional em Promoção da Saúde do Unasp-SP e orientando de Linamara no pós-doutorado em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo, USP. Segundo ele, o convite para a visita e a palestra da doutora Linamara, reforça o objetivo do programa de mestrado e da graduação em contribuir para a melhoria da qualidade de vida desses pacientes através do conhecimento científico.

“Convidamos, junto a direção de graduação, a doutora para falar um pouco de sua experiência e contar os avanços da atenção desses tipos de situações relacionados aos profissionais e a sociedade. Se levarmos em consideração que deficiência é a ausência ou a perda de capacidade quer seja ela física, metal ou anatômica, quase todos temos algum tipo de deficiência. O mestrado em termos de pesquisa tem buscado verificar essas relações em seus diversos âmbitos: social, mental, espiritual e físico. Essas parcerias do mestrado junto aos cursos de Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Fisioterapia, Educação Física e diversos cursos visam colocar a ciência a favor de programas que visam o restabelecimento das funções físicas, mentais e espirituais dessas pessoas”, complementou.