Ação com 300 jovens do Unasp SP surpreende pessoas em situação de rua

Acontece no Unasp

Escrito por

Aira Annoroso

Publicado em

19 mar 2019

Crédito imagens

Herbert Ferreira

Jovens do Centro Universitário Adventista campus São Paulo (Unasp-SP) se mobilizaram no último sábado (16) a fim de comemorar o Dia Mundial do Jovem Adventista praticando o bem. Cerca de 300 participantes da ação estiveram presentes na região central da metrópole distribuindo água e frutas às pessoas em situação de rua, todavia, o objetivo principal do grupo era dedicar tempo para dar atenção àqueles que passam desapercebidos aos olhos de muitos.

Dâmares Oliveira, uma das participantes da ação, conta que sentia vontade de ajudar ao próximo, mas não tinha oportunidade. A jovem viu na ação uma chance de fazer a diferença. “Eu me surpreendi bastante porque as pessoas aqui precisam de outras pessoas que as ouçam e estejam interessadas no que elas têm para falar”, diz.

“Para nós do Unasp o que ficou marcante foi o contraste. Enquanto muitas pessoas estão se preparando para praticar a maldade, a gente sair para praticar a bondade. Não pensamos que seria uma semana tão difícil no Brasil, mas o jeito de combatermos o mal é praticando o bem”, enfatiza o diretor de Desenvolvimento Espiritual do campus, Antônio Braga.

Instituto Base Gênises

O grupo do Unasp sugeriu que as pessoas em situação de rua procurassem o Instituto Base Gênises (centro de influência da Igreja Adventista do 7º dia em São Paulo), localizado na Praça da Sé. No local é trabalhado o desenvolvimento humano e acolhe qualquer pessoa pertencente a qualquer nacionalidade que precise de apoio. O Gênises promove cursos de capacitação profissional, idiomas, artesanato, culinária e outros que visam aumentar a renda da família.

Segundo Wallyson Santos, diretor do instituto, o desenvolvimento humano é baseado sempre na ação de uma pessoa para com o próximo, e que por essa razão o maior valor pregado aos jovens é o voluntariado. “Uma ação como essa na Praça da Sé serve para abençoar as pessoas que estão em situação de rua tendo por algum momento seu sofrimento diminuído, mas também serve para desenvolver naqueles que praticam a boa ação o senso da real missão, que é viver para fazer a diferença na vida de alguém através do voluntariado”, afirma.