Carregando Eventos
Carregando informações do curso...
Data e local
Tipo de evento
  • Festival
Organização
  • Academia Internacional de Música UNASP
Convidados Especiais

Academia Internacional de Música UNASP 2020

BEM-VINDOS À ACADEMIA INTERNACIONAL DE MÚSICA UNASP

Chegou a oportunidade única de estudar com professores de referência em suas áreas de atuação, através de treinamento intensivo, orientação especializada e crescimento técnico em um rico ambiente musical, espiritual e social.

Aqui você irá desenvolver identidade artística, aprimorar habilidades musicais individualmente e em grupo, aprender e apreciar um novo repertório. Terá a chance de despertar sua visão artística, comprometimento, entusiasmo e zelo com a arte musical, além de fazer contatos e amigos com os mesmos interesses musicais. Não vai perder, né?!

Artistas e Professores

Jetro Meira de Oliveira é Doutor em Regência e Literatura pela University of Illinois, EUA (2002). Em outubro de 2001 regeu concerto beneficente para as vítimas do ataque terrorista de 11 de setembro (2001) com a Music Society of St. Cecilia, Califórnia, EUA. Em 2013 regeu a estreia mundial do oratório A Revelação Através do Santuário de James Lee III frente à Orquestra Sinfônica Municipal de Americana. Em 2017 preparou o Coral Sinfônico do Curso de Música/UNASP para concertos do oratório Elias de Mendelssohn com a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. É diretor do coro de câmara Officina Vocalis, do Coral Sinfônico do Curso de Música/UNASP e da Orquestra Sinfônica do UNASP-EC. É membro das distintas sociedades acadêmicas Pi Kappa Lambda (música) e Phi Kappa Phi (estudos interdisciplinares). Em 2016 lançou o livro O Coral Completo (UNASPRESS, 2016). Foi apontado regente em residência no Oregon Music Festival, Portland (EUA) onde regeu concerto com a Orpheus Academy Orchestra em junho de 2018. Atua como professor da graduação e coordenador da pós em regência do UNASP – EC.

Gerson Arrais Bacharel em Música nas modalidades de Trompete e Regência pela Universidade Estadual de Campinas (2004 e 2005). É especialista em Regência Coral pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (2006). Em 2011 concluiu mestrado em Música na Área de práticas interpretativas pela Universidade Estadual de Campinas. Atuou como professor tutor do curso de licenciatura em Música à distância da UNB (2012) e como Professor Substituto do curso de Música da UFSCAR (2014). Atuou por muitos anos como regente da Banda Sinfônica do UNASP-EC. Atualmente é Diretor da Escola de Artes do UNASP – EC, onde também atua no curso de Licenciatura em Música nas disciplinas de Regência Coral e Instrumental, Linguagem e Estruturação Musical, Prática de Conjuntos Instrumentais. Principais linhas de pesquisa: Práticas Interpretativas e Linguagem e Estruturação Musical.

Ellen Boger Stencel é doutora em Música pela UNICAMP – Práticas interpretativas sob a orientação da Dra. Maria José Carrasqueira de Moraes. Mestre em Música pela Andrews University – USA na área de Piano Performance e História da Música. Obteve o diploma em Ensino de Piano no Trinitty College, Londres. Graduada em Educação Artística com habilitação em Música na Faculdade São Judas e em Pedagogia no UNASP. Completou o Técnico em Piano na ACARTE (IAE-SP). Membro da ISME (International Society of Music Education), da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical). Apresentou trabalhos na ABRAPEM (Associação Brasileira de Performance Musical), ANPPOM (Associação Nacional de Pesquisa e pós-graduação em Música), SINCAM entre outras. Professora da Escola de Artes do UNASP-EC, coordenadora, fundadora e professora do curso de Licenciatura em Música do UNASP-EC. Coautora da coleção de Arte e Musicalização da CPB. Realiza palestras e oficinas para professores e faz seminários para músicos da igreja.

Rubén Simeó (trompete, Espanha). Nascido em 1992 em Vigo, Espanha, desde os 8 anos de idade começou a demonstrar suas incríveis habilidades musicais recebendo inúmeras premiações em competições, como a Yamaha Madrid, Ciudad de Benidorm (presidida por Maurice André), Porcia na Itália, Maurice André na França, Selmer Paris, P. Jones, Gebwiller na França, Theo Charlier na Bélgica, e sempre sendo o mais jovem competidor em cada divisão. Rubén periodicamente se apresenta e ensina em máster classes em diferentes países do mundo, como Espanha, Portugal, França, Alemanha, Itália, Inglaterra, Estônia, Turquia, China, Japão, Coréia, Peru, Costa Rica, Colômbia, Equador, Venezuela e Estados Unidos. Atualmente, Rubén leciona no Conservatório de Plasencia.

Lutero Rodrigues (maestro UNESP). Estudou violino e mais tarde, piano, concluindo o curso de regência na Universidade de São Paulo/USP, em 1980. Seus estudos na Alemanha, na Escola Superior de Música de Detmold, sob a orientação de Martin Stephani. Durante este período, estudou também com Sergiu Celibidache. De volta ao Brasil, desenvolveu intenso trabalho voltado à formação de músicos, regendo várias orquestras jovens, coordenando  e dirigindo eventos, cursos e festivais de música, destacando-se o Festival de Inverno de Campos do Jordão, do qual foi diretor artístico durante quatro anos, de 1987 a 1990, e as Oficinas de Música de Curitiba. Foi regente titular e diretor artístico da Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, de Porto Alegre, da Sinfonia Cultura, Orquestra Sinfônica da Rádio e TV Cultura. Como regente convidado, já dirigiu as principais orquestras brasileiras e atuou também no exterior, na Alemanha, Costa Rica, México, Espanha e Dinamarca. É doutor em musicologia pela Escola de Comunicações e Artes da USP, em 2009, e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes-Música, do Instituto de Artes da UNESP, em 2001. Foi eleito membro da Academia Brasileira de Música em 2002.

Sérgio Burgani (1ª. clarineta da OSESP) é um dos principais artistas-pedagogos do clarinete mundial. Começou seus estudos na ”Escola Municipal de Música de São Paulo’‘, bacharelou-se na Faculdade Carlos Gomes, também de São Paulo e fez estudos de aperfeiçoamento na França (com Guy Deplus) e na Itália (com Francesco Belli). Premiado em vários concursos nacionais, como o “Jovens Intérpretes da Música Brasileira (FUNARTE-RJ)” e “Sul América Jovens Concertistas Brasileiros”, é professor do departamento de música no instituto de Artes da UNESP e da Faculdade Cantareira, professor e integrante da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (primeiro clarinete-solo), onde estreou nacionalmente em 2000 o Concerto Para Clarinete e Orquestra, de Jean Françaix. Na turnê nacional da OSESP em 2008, foi solista no Choro Para Clarinete e Orquestra, de Camargo Guarnieri. É sócio proprietário da fábrica de clarinetes Devon&Burgani, onde desenvolve projetos de fabricação de novos instrumentos musicas em madeira. Assessor do Projeto Guri Santa Marcelina desempenhando as funções de autor do método para clarineta e monitorando os cursos de capacitação e fazendo parte do juri nos concursos de admissão de novos funcionários da instituição.

Richard Kogima (piano Suíça)

é pianista, regente e compositor brasileiro. Foi recentemente definido pela crítica como criador de performances “memoráveis e reveladoras” (Gregory Sullivan, Theater Jones) em sua participação no Olga Kern International Piano Competition. Natural de São Paulo, Richard desponta como um promissor artista de sua geração, e vem se apresentando como solista e camerista em salas como Tonhalle Zürich (Zurique) Salle Cortot (Paris), University Aula (Oslo), Troldsaal (Bergen) e Howard Performing Arts Center (Michigan). Richard estuda atualmente na Universidade das Artes de Zurique com Konstantin Scherbakov para obter o título de Mestre em Música. Richard obteve o bacharelado em música na Universidade de São Paulo, onde estudou com o pianista Eduardo Monteiro. Estudou ainda com Guigla Katsarava na École Normale de Musique de Paris, e com Maria José Carrasqueira em sua juventude. Atua paralelamente como regente e compositor, com ênfase especial sobre a música sacra. Trabalhou como regente principal do Coral Carlos Gomes na Universidade Adventista de São Paulo sucedendo o maestro Turíbio de Burgo.

Maria José Carrasqueira, piano

Nascida em uma família de artistas, onde a música, a pintura e a literatura sempre fizeram parte do seu cotidiano. Maria José Carrasqueira foi definida pela grande mestra Eliane Richepin “musicienne dans l’âme”. Sua carreira de solista e camerista, constelada de sucessos tanto de público quanto pela crítica internacional, tem se expandido por toda a América do Sul, pelos Estados Unidos e Europa. Solista convidada pelas mais importantes orquestras brasileiras, tem se apresentado com instrumentistas e regentes do cenário internacional, assim como M.Braunwieser, C.Guarnieri, Z.Mehta, I.Karabichevsky, J.Neschling, M.Ferraro, L.Rodrigues, J.Maluf, R.Farias, R.Tibiriçá, A.Manzano, J.Medaglia, J. S.Santos, Michel Bellavance, Philip Bernolt, Oyvind Bjora, entre outros. Numerosas são suas atuações e gravações para a Rádio e Televisão, e de efetivo sucesso sua discografia. Vinda de uma rica formação artística e musical recebida de seu pai, João Dias Carrasqueira, e dos professores Lina Pires de Campos, Camargo Guarnieri, Roberto Schnorremberg, Jacques Klein, Magda Tagliaferro, teve ainda na Europa grandes orientadores nas figuras de B. Seidlhoffer, E. Richepin, H. Dreyfuss (cravo), H. Datyner, D. Rossiaud, G. Demus. Conquistou grandes prêmios como, Prêmio Carlos Gomes – Solista Instrumental (1996), Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – Melhor Recital (1996). Doutora em Artes, pela Universidade de São Paulo, Maria José Carrasqueira é, além de uma das mais renomadas intérpretes brasileiras, também grande didata e entusiasta organizadora de eventos e produções musicais de relevo e júri dos mais importantes concursos brasileiros.

Thierry De Lucas, violino (Manhattan School of Music, EUA)

Nascido em 1996 e natural de Goiânia (GO), Thierry de Lucas Neves iniciou seus estudos musicais com 9 anos de idade na igreja Assembleia de Deus, recebendo lições de violino com o professor Dário José e mais tarde orientação do professor Luciano Pontes. Em 2011 mudou-se para o Rio de Janeiro tendo aulas com o violinista e professor da UFRJ Daniel Guedes. Dentre os festivais que participou estão:: Oficina de música de Curitiba,. Festival de Música de Santa Catarina (FEMUSIC), Festival de Inverno de Campos do Jordão, Ilumina Festival e YAP(Young Artists Program) em Ottawa Canadá. Thierry é vencedor de vários concursos pelo Brasil, entre eles: concurso de aluno destaque da oficina de música de Curitiba 2011, Paulo Bosísio em 2009, onde recebeu o prêmio de melhor estudo e prêmio especial do concurso (violino austríaco Schuster), Jovens solista da Filarmônica de Goiás em 2014, Jovens Solistas da UFRJ 2015. Participou de masterclasses com renomados professores nacionais e internacionais como: Cláudio Cruz, Alessandro Borgomanero, Daniel Guedes, Lara Lev, Giora Schmidt, Tai Murray, Grigory Kalinovsky, Patinka Kopec, Pinchas Zukerman. Participou como solista de importantes orquestras. Em 2013 após ser selecionado o Spalla da orquestra do Festival internacional de inverno de Campos do Jordão recebeu uma bolsa de estudos para participar na Chamberfest na renomada Juilliard School em New York, onde recebeu a orientação da violinista Lara Lev, recebendo ótima crítica do jornal “The New York Times”. Em 2017 foi aprovado na Manhattan School of Music em New York, depois de concorrer com três mil candidatos, quebrando um jejum de 20 anos sem aprovação de um violinista brasileiro. Atualmente está desenvolvendo um trabalho com jovens violinistas em Goiânia e atua como Spalla da Orquestra Sinfônica de Goiânia.

Raïff Dantas Barreto, violoncelo (1º. Violoncelo da Orquestra do Theatro Municipal SP)

Violoncelista paraibano, estudou com Nelson Campos na sua terra natal e Enrico Contini em Parma, Itália. Gravou diversos CDs, sendo os mais recentes, “Sonatas de Brahms e Franck” com o pianista Álvaro Siviero, “As três primeiras suítes para violoncelo solo de J.S. Bach” e o CD solo, “Miniaturas Brasileiras”. Atuou como solista à frente de orquestras como a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, Cayuga Chamber Orchestra (NY-EUA), Sinfônica de Santo André, Sinfônica de Minas Gerais, Sinfônica do Espírito Santo, Camerata de Curitiba, dentre várias. Atuou sob a batuta de conhecidos maestros, como Eleazar de Carvalho, Leon Spierer, Ira Levin, Abel Rocha, Lígia Amadio, Marcelo Ramos, Mateus Araújo e Ênio Antunes. Fez as estreias brasileiras dos concertos para violoncelo No. 2 de Shostakovich, No. 2 Kabalevsky e a Sinfonia Concertante para violino e violoncelo de Miklos Rosza. Faz parcerias musicais com Toninho Ferragutti, André Mehmari, Arrigo Barnabé e Ulisses Rocha, mantendo uma intensa atividade camerística. É o primeiro violoncelo-solista do Theatro Municipal de São Paulo.

Wilson Dias, maestro/trombone (Orquestra Sinfônica de Campinas)

Bacharel em Bombardino pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, foi por 15 anos 1º Eufônio da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e 17 anos 1º Trombone da Orquestra da Unicamp. É 1º Trombone Solista da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, onde atua desde 1995. Tem sido constantemente convidado a participar de concertos junto às principais orquestras do país, dentre elas se destacam: Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra do Teatro Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica da USP, Orquestra Sinfônica de Curitiba, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, entre outras. É Organizador do Festival Internacional Carlos Gomes, que já está em sua quarta edição. Também tem atuado como regente convidado em diversos grupos. É regente da Banda Musical Carlos Gomes e da Orquestra Filarmônica Popular de Campinas, também trabalha com música de câmara junto ao Grupo Euphonismo.

Apresentou-se recentemente como solista com a Orquestra Sinfônica Collegium Musicalle de Potsdam-Alemanha nas cidades de Potsdam e Falkensee, no estado de Brandemburgo.

Eliéser Fernandes, trompete (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre)

Começou a estudar trompete com seu pai. Mais tarde, entrou na escola de música da cidade onde nasceu, Sumaré, em São Paulo. Estudou por muitos anos com o professor Clovis A. Beltrami, primeiro trompete da Orquestra Sinfônica de Campinas. Participou como músico convidado das orquestras sinfônicas de Campinas e Rio Claro, entre outras. Foi membro do Grupo Trompetando, com o qual gravou o CD Sol e Pedra, das orquestras sinfônicas de Americana e de Limeira, da Banda Municipal de Hortolândia e da Orquestra de Sopros Professor Gunars Tiss de Nova Odessa. Obteve primeiro lugar no Concurso para Jovens Músicos da Escola de Música Ernest Mahle de Piracicaba. Durante de sete anos, foi trompete principal da Sinfônica de Ribeirão Preto. Foi professor de trompete do Conservatório Pablo Komlós e, desde 2008, é trompete solo da Ospa. Na temporada 2012 /2013, foi trompete Utility da Orquestra Filarmônica de Israel. É membro fundador do Quinteto Porto Alegre.

Samuel Helmo, contrabaixo (Orquestra Sinfônica de Brasília)

Samuel Helmo iniciou seus estudos musicais na EMB – (Escola de Música de Brasília), onde foi aluno do contrabaixista Toni Botelho. Também estudou com Milton Masciadri, Massimo Giorgi, Alexandre Ritter em diversos masterclasses. Graduou-se no curso de licenciatura em música pelo UNIS – (Universidade do Sul de Minas). Membro da OSTNCS – (Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro) desde 1991. Atualmente é chefe do naipe de contrabaixos da OSTNCS, da Orquestra Filarmônica Adventista do Brasil e professor da EMG – (Escola de Música do Gama). Samuel Helmo é detentor de moção de louvor concedido pela Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Adalto Soares é professor de trompa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Doutor em Música pela Universidade Federal da Bahia – UFBA, foi professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO e Integrante do grupo UNIRIO METAIS. Iniciou seus estudos de música na Banda Musical de Cubatão com o Maestro Roberto Farias. Foi integrante da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo e Orquestra Sinfônica da Paraíba. Conhecido por sua criatividade nas iniciativas que concebe e coordena, como por exemplo a Orquestra de Metais Lyra Tatuí, um dos mais inventivos projetos socioculturais do Brasil com a qual excursionou diversas vezes pela Europa. Professor nos Festivais de música de Campos do Jordão, La Serena – Chile, In Concert – Gramado, Londrina, Conexões – UNIRIO/UFF. Diretor artístico no Coreto Paulista nas cidades de Serra Negra e Tatuí. Lecionou no Conservatório de Tatuí. Desenvolve carreira solo como trompista com CDs lançados pelo grupo de choro Horn Brasil, Orquestra de Sopro Brasileira – Tatuí e Orquestra de Sopro de Karlsruhe – Alemanha. Construtor e restaurador de instrumentos de metais, com especialização na Horn Building e Brass Technology pela William Cummings House com o professor Lowell Greer – Toledo, Ohio, EUA.

Marco André dos Santos, flauta (Orquestra do Teatro São Pedro-SP)

Flautista Principal da Orquestra do Teatro São Pedro e Professor de Flauta da Faculdade Mozarteum. Bacharel em flauta pela Faculdade FAC.-FITO de Osasco. Vencedor de vários Concursos entre eles Concurso Jovem Solistas da Orquestra Experimental de Repertório em 2005, Em 2007 foi Vencedor do concurso Jovens Talentos do Centro de Cultura Judaica, e em Dezembro do mesmo ano foi vencedor do Prêmio Estímulo Santander/OCAM 2007. Como músico convidado atuou em várias orquestras do Brasil, entre elas, Orquestra Sinfônica da USP (OSUSP) e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Tem sido convidado regularmente a dar Masterclass em varias escolas de São Paulo e do Brasil tais como: Bacharelando da USP, Instituto Baccarelli, Projeto Guri Santa Marcelina, Festival de Prados- MG. Em sua formação musical participaram professores como Wilson Rezende, Grace Lorraine Rogério Wolf, Lóránt Kóvács e János Balint , os dois últimos na Academia de Musica Ferenc Lizst em Budapeste.

Fernando Mathias, maestro (Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo)

Seu primeiro contato com a música foi aos 11 anos de idade, tocando violino, onde conheceu os primeiros conceitos musicais, tendo migrado para o naipe dos metais aos 13 anos, onde passou a ter aulas de trompa com Nikolay Genov. Seu primeiro trabalho foi na Banda Jovem de São Bernardo do Campo, onde pôde tocar nos anos de 2005 e 2006, realizando inúmeros concertos. Sua primeira oportunidade como regente de orquestra também ocorreu aos 13 anos, após reger uma transcrição do Concerto N° 1 para Piano e Orquestra de P. I. Tchaikovsky, Fernando resolveu que seria Maestro. De 2003 em diante Fernando Mathias vem ganhando espaço no cenário musical como trompista e regente. Já participou de inúmeros festivais nacionais e internacionais, dentre os quais destacam-se o 46° Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Verão Música nas Montanhas, 2° Oficina de Regência Orquestral da Sinfônica de Santo André e o Laboratório de Regência da Filarmônica de Minas Gerais. Finalista do 4° Concurso de Regente Assiste da Orquestra Experimental de repertório e da Academia de Regência da OSESP, Fernando Mathias não reservou seus estudos somente em música performática, mas sim à educação musical, na qual pode trabalhar durante anos como professor de musicalização para crianças, jovens e adultos em instituições de renome mundial como a Educação Adventista. Foi um dos fundadores do Projeto Innovare Kid’s, na região do ABC Paulista, no qual pôde trabalhar com a formação artística e cultural de mais de 70 crianças e adolescentes de comunidades carentes. Atualmente dedica tempo à graduação em Regência Orquestral pela Faculdade FMU e à direção dos projetos artísticos da Filarmônica de São Bernardo do Campo e da Orquestra Jovem Tocando a Vida.

James Lee III, compositor (EUA)

James Lee III, nascido em 1975 em St. Joseph, Michigan, teve como seus principais professores de composição Michael Daugherty, William Bolcom, Bright Sheng, Betsy Jolas, Susan Botti, Erik Santos e James Aikman. Como bolsista de composição no Tanglewood Music Center, no verão de 2002, foi aluno também dos professores Osvaldo Golijov, Michael Gandolfi, Steven Mackey e Kaija Saariaho e estudou regência com Stefan Asbury.

Teve peças estreadas por grandes grupos instrumentais e solistas como a Orquestra Sinfônica de Detroit, conduzida por Thomas Wilkins, Leigh Morris Chorale, orquestra da Universidade Andrews, Boston Symphony Chorus entre outros. Ele também foi o compositor residente do Ritz Chamber Players, uma sociedade afro-americana de música de câmara com sede em Jacksonville, Flórida. As apresentações com essa organização incluíram a estréia na Flórida de The Appointed Time para o quarteto de cordas. James Lee III assistiu à estréia de sua Sonata para piano nº 2, “The Renant”, que estreou na Universidade de Illinois pela pianista Dra. Rochelle Sennet. Recentemente, James Lee III foi convidado a compor uma lista de compositores reconhecidos internacionalmente para participar do Projeto Salmos da organização Soli Deo Gloria. Dr. Lee também é professor associado da Morgan State University, em Baltimore, Maryland.

Eduardo Lobo, violão

Guitarrista e violonista, terminou sua graduação em Música Popular em 2003 e seu mestrado, com a dissertação “Concerto Carioca Nº 3 de Radamés Gnattali: um estudo analítico”, em 2011, na UNICAMP. Como parte de seus estudos acadêmicos, participou em 2010 do “Music Analysis Summer School”, promovido pela Universidade de Durham (Inglaterra), onde estudou análise Schenkeriana e Teoria Neo-Riemanniana com Michael Spitzer, Julian Horton e Willian Drabkin. Este interesse pelo repertório e pela teoria de música erudita teve início durante os dois anos de aulas de violão com Henrique Pinto, na Escola Municipal de Música de São Paulo, época em que chegou a dar um recital no MASP. Durante os anos de 2008 e 2009 participou do grupo Fina Estampa, que teve seu primeiro CD “Abrideira” co-produzido por Maurício Carrilho.

Wellington Rebouças (violino, Orquestra do Theatro Municipal de SP) Iniciou seus estudos de violino aos 9 anos. Participou de importantes festivais nacionais e internacionais, como o “Festival Mattheiser Sommer Academie” (como spalla), em Bad (Alemanha) e Festival Internacional de Campos do Jordão. Fez aula com renomados professores, entre eles: Hagai Shaham, Maxim Vengerov , Gilis Apap, Glenn Dicterow, Dmitri Beslinsky, Sholo Mintz, Yuzuko Horigome, Kristof oncertino/ S Barati, Bela Horvath , Nicola Benedetti, Mark Gothoni e Guy Braustein. É vencedor de vários prêmios e concursos de violino como, 1° Lugar no Concurso Jovens Solistas da Orquestra Filarmônica de Goiânia, solando o Concerto n°1 de Prokofiev; 1° Lugar no Primeiro Concurso Violin Festspiele Brasil, em 2018. No ano de 2016 foi convidado para solar com a OER (Orquestra Experimental de Repertório) o Concerto no. 4 de W. A. Mozart no Theatro Municipal de São Paulo. Com a Camerata Fukuda, participou como solista das 4 Estações de Vivaldi, solando a Primavera e Verão. Atualmente atua como Solista B da Orquestra Sinfônica Municipal (OSM) e também como Spalla da Camerata Fukuda.

Carlos Coradini, oboé (Orquestra Sinfônica de Campinas)

Desde 1993 vem atuando na OSMC, efetivado em 1996 onde exerce o cargo de professor de Orquestra solista I (chefe de naipe). Iniciou seus estudos em música no ano de 1975 na Escola de Música de Piracicaba SP com o professor Luis Carlos Justi (oboé). Realizou o programa oficial em harmonia e composição orientado pelo maestro Dr. Ernest Mahle e história da Música orientado pelo professor Sr. Afranio Garboggini. Se destacou como 1º oboé nas orquestras da Escola de Música de Piracicaba – Orq. Sinf. Municipal de Americana SP – Orq. Sinf. Rio Claro SP – Orq. Sinf. Ribeirão Preto – Banda Sinf. da Polícia Militar SP – Banda Sinf. do Estado de São Paulo – Orq. Sinf. Sorocaba SP – OSPA ( orq. sinf. de Porto Alegre RS – dentre outras. em 1994 esteve na Bloomington University IND EUA, onde se especializou em performance (oboé) e na Weast Music Company em Lafayette IND EUA se especializando em manutenção e reparos para instrumentos de palhetas duplas. Participou de diversos festivais, masterclasses e cursos onde freqüentou aulas dos professores: Luis Carlos Justi – Paulo Rogério – Washington Barella – Luis Fernando – Alex Klein – Albert Mayer – Hanjor Schellemberger – Bill Boyer – Jack Van Deville – Leon Biriotti. Foi vencedor do I concurso Rotary – IGE ( Intercâmbio de Grupo de Estudo Univocacional Musical 2000).

Rodolpho Borges, violoncelo (Orquestra Sinfônica de Brasília)

Natural de João Pessoa, graduou-se em 2001 na UFPB com os professores Felipe Aquino e Nelson Campos. Já obteve orientação em Master Class e aulas com diversos violoncelistas renomados como Nathalia Gutman, Suren Bagratuni, Romain Garioud entre outros. Já tocou como solista com a Orquestra de Câmara de João Pessoa, com a Orquestra Sinfônica da Paraíba e com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro. Em 2003 foi selecionado pelo New England Conservatory para ser membro da Orquestra Jovem das Américas no período 2003-2004 e convidado na temporada seguinte 2004-2005. Em 2005 Rodolpho foi selecionado no concurso público para integrar a OSTNCS em Brasília. Em abril de 2007 foi convidado para participar do festival Villa-Lobos, integrando a Orquestra Simon Bolívar em Caracas na Venezuela. Rodolpho foi indicado pelo maestro Ira Levin para ser chefe de naipe no ano de 2008 e em 2010 foi selecionado por ele no concurso interno da OSTNCS para o cargo de solista do naipe dos violoncelos. É professor da Escola de Música de Brasília desde 2013 e em 2014 foi professor convidado da IV mostra de violoncelos na cidade de Natal. No ano de 2017 iniciou o programa de mestrado com o professor Fabio Presgrave na UFRN.

Clóvis Beltrami, trompete (Orquestra Sinfônica de Campinas)

Mestre em música pelo Instituto de Artes da UNICAMP, com a pesquisa “Estudos dirigidos para grupos de trompetes: Fundamentos técnicos e interpretativos”, sob a orientação do Prof. Dr. Eduardo Augusto Ostergren. Bacharel em trompete pela Faculdade Mozarteum, na cidade de São Paulo. Realizou o curso técnico de trompete no conservatório dramático e musical “Dr. Carlos Campos” de Tatuí, onde estudou com os professores Reinaldo Gianelli, Nailson de Almeida Simões e Edgar Batista dos Santos (Capitão). Participou de diversos festivais e master classes, como os de Campos de Jordão, Curitiba, Brasília e Campinas, São Paulo, Tatuí e Oregon–EUA, ministrados pelos professores Charles Schlueter, Frank Rolds, Maurice André, Malte Burba, David Monette, Wynton Marsalis, Igino Conforzi, Ole Edvard Antonsen, Reinhold Friedrich e Fred Mills. Ocupa há 25 anos a cadeira de 1º trompete da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, atua também como músico convidado da Orquestra Sinfônica da Unicamp, sendo professor responsável pelo Curso de Trompete do Departamento de Música desta instituição desde 1995. Participou da formação da Orquestra Sinfônica de Sorocaba ocupando a cadeira de primeiro trompete. Apresentou-se como músico convidado da Orquestra do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Curitiba, Metal Brasil e Big Band Canavial. Atuou como solista em importantes grupos musicais. No cenário da música popular brasileira teve a oportunidade de acompanhar diversos artistas como, Nelson Aires, Roberto Sion, Proveta, Cláudio Bertrami, Francis Hime, Chitãozinho e Chororó, Gilberto Gil, Hermeto Pascoal, Milton Nascimento, Rafael Rabelo, Toquinho, entre outros. Idealizador e fundador da Oficina Trompetando Unicamp desde o ano de 1993. Foi vice-presidente da Associação dos Trompetistas do Brasil (ATB), também foi diretor fiscal da Associação dos Músicos de Campinas e membro da Associação Internacional dos Trompetistas – I.T.G. – U.S.A. Ministrou cursos e palestras em diversos festivais.

Felipe Harder, violino (Universidade Federal do Mato Grosso)

Felipe Harder Annunziato iniciou os estudos de violino aos cinco anos de idade. Em sua formação passou pelos professores Alexandr Cichilov (Rússia/Brasil), Michaela Berger (Alemanha/Brasil),e Alexandre Casado. Participou de diversos masterclasses como músico executante, com renomados violinistas como Nicholas Koeckert (Áustria), James Lyon (EUA), Victoria Stewart (EUA), Ilya Gringolts (Rússia/Suíça), Levon Ambartsumian (Rússia/EUA) e outros. Atuou como spalla da Orquestra de Câmara de Salvador, Orquestra Ars Hodierna (Brasília), Orquestra Sinfônica da UFMT, Orquestra UFMT em Cordas, dentre outras orquestras. Atuou constantemente como músico convidado na Orquestra Sinfônica da Bahia e Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional (Brasília). Atualmente é violinista da Orquestra Sinfônica de Sergipe, onde atua esporadicamente como solista. É maestro e diretor da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Sergipe, é diretor e spalla da Orquestra de Cordas da UFS. É idealizador e coordenador do coletivo Academia de Arte e Música de Sergipe, que tem sua atuação na música popular regional revelando novos talentos e também atua como recitalista e camerista em nível nacional.

Samuel Lima, violino (Orquestra Sinfônica de Piracicaba/Orq. Sinf. de Campinas)

Natural de São Paulo, Capital, iniciou  seus estudos musicais aos 09 anos de idade. Dentre as principais instituições musicais, destacam-se: Escola Municipal de São Paulo e Artes da USP, onde cursou violino, música de câmara e regência. Estudou com vários violinistas renomados, dentre eles: Maria Vishinia, Jorge salim, Miha Pogacnich, Erich Lehninger, Gerd heidenecker, entre outros. Foi solista e spalla das Orquestras: Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra de Câmara de Campinas, S.José dos Campos, Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica de Santo André. Também atuou em festivais de música no Brasil e exterior, destacando-se entre eles: Festival de Campos do Jordão – Brasil , Bruxelas– Bélgica, Sommermusikakademie  Hundisburg, Haldesleben- Alemanha, atuando na Orquestra do Festival Internacional de Berlim. É membro da Orquestra Sinfônica de Campinas desde 1995 atuando como solista I e chefe de naipe dos segundos violinos. Em 2014, a convite do Maestro Jamil Maluf, assumiu o cargo de Spalla da Orquestra Sinfônica de Piracicaba, integrante do quarteto D’arcos, Quinteto de cordas de Campinas e Regente e Professor da Orquestra de cordas do Conservatório Carlos Gomes/Campinas. Tem participado como professor e solista convidado constantemente em vários projetos de formação de orquestras jovens e ministrado máster classes, prática de orquestra e musica de câmara em várias cidades da região metropolitana de Campinas e São Paulo. Atualmente realiza curso de pedagogia e licenciatura em música pela Universidade Metropolitana De Santos – UNIMES.

Felipe Garibaldi, violão (Peabody Conservatory, EUA)

Natural de São Paulo, Brasil, Felipe Garibaldi atua como concertista, pesquisador e educador. Em 2012 recebeu o prêmio “Intérprete de Música Erudita” no 20º Programa Nascente, da Universidade de São Paulo. Em 2018 foi contemplado com bolsa e o cargo de professor assistente para seus estudos de doutorado pela Johns Hopkins University, no Peabody Conservatory, sob orientação do renomado violonista e pedagogo Julian Gray. Fez gravações inéditas de obras para violão dos compositores Carlos Alberto Pinto Fonseca e Nelson Macedo para a Rádio Cultura FM de São Paulo, sob encomenda e curadoria de Fábio Zanon. Também realizou a estreia nos Estados Unidos das obras para violão solo do compositor Claudio Santoro (1919-1989). Além disso, fez as apresentações de estreia no Brasil de obras camerísticas do compositor cubano Leo Brouwer. Também realizou diversas gravações e arranjos no ramo da música cristã para a gravadora Sony Music. Estudou com o violonista e compositor Francisco Araújo e com Aída Saggioro na ACARTE (Academia Adventista de Arte, UNASP-SP) em São Paulo. Posteriormente, estudou com notáveis figuras do violão brasileiro como Gilson Antunes e o renomado pedagogo Henrique Pinto. Felipe obteve os títulos de Bacharel e Mestre em música pela Universidade de São Paulo, sob orientação do destacado violonista e pesquisador Edelton Gloeden. Tendo trabalhado como professor em importantes instituições, como o UNASP campi São Paulo e Engenheiro Coelho e como professor assistente no Peabody Conservatory da Johns Hopkins University, Felipe mantém intensa atividade como recitalista solista e camerista.  Tanto em seu trabalho solo e também como membro co-fundador do Aro-Mano Duo, é engajado em promover a música latino-americana, em especial brasileira, para o público internacional.

José Ademar Rocha, suzuki/violino/viola

Iniciou seus estudos de violino com o professor Alberto Jaffé, em Fortaleza-CE no ano de 1976. Diplomou-se pela Universidade Federal da Paraíba com o título de bacharel em violino. Em 1988, introduziu o método Suzuki no Conservatório Pernambucano de Música, onde coordenou a área de cordas por 11 anos. Em 1989, introduziu o método Suzuki na Paraíba dando aulas no CEMFIC Espaço Cultural. No mesmo ano, viajou para Matsumoto, no Japão, ficou uma semana participando das atividades do Talent Education institute / Suzuki method music School, 9th The Internacional Conference e do Summer School. Em 1992 fundou o Centro Musical Suzuki e em 1997 a Camerata Paraíba (hoje Camerata Brasílica). Participou do primeiro FIB (Festival de Inverno de Brasília-UnB) E em janeiro de 2008 do 30° Curso de Verão de Brasília (BEM), como professor de iniciação de violino. Tem ministrado cursos e palestras para alunos e professores em diversos locais do país sobre o método Suzuki e os resultados do seu trabalho no Nordeste. Desde 2001, tem que ser em que parte do corpo docente do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga na cidade de Juiz de Fora-MG, como professor de violino para crianças (Método Suzuki) e regente da Orquestra de crianças do festival. Tem participado da semana de música de Ouro Branco desde a sua 3° Edição (em 2006) ministrando violino, viola (método Suzuki e orquestras infantis.) Participou dos festivais nacionais. É professor de violino na escola de artes UNASP-EC.

Marcos De Lazzari, violino

Marcos Antonio De Lazzari Junior Bacharel em violino pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), Especialização em música com ênfase em música de câmara também na EMBAP. Trabalhou como professor auxiliar especialista do curso de violino e matérias teóricas da Universidade Estadual de Maringá (UEM) (2007 a 2010). Atua como violinista, arranjador e coordenador da orquestra de câmara da PUCPR e Orquestra Experimental da PUCPR (2001 a 2014), é professor do curso de Licenciatura em Música da PUCPR. Educador musical trabalha com projetos de educação musical coletiva através de instrumentos de cordas, além de participar de projetos culturais em forma de espetáculo de cunho didático para crianças dentre eles o espetáculo Villa das Crianças e Doce flauta doce . Freqüentou master-classes com os professores David Taylor (EUA), Domenico Nordio (Itália), Elisa Fukuda (Brasil-SP), Olé Bonh (Noruega), Mariana Salles (Brasil-RJ), Betina Stegmann (Brasil-SP). Tocou sob a regência de importantes Maestros, tais como: Roberto Tibiriça, John Neschling, Roberto Duarte, Osvaldo Ferreira e Hans Peter Frank. Já atuou como músico convidado da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) e Orquestra de Câmara de Blumenau (OCBLU). Frequentou vários festivais de música no Brasil como aluno participante e professor. Atua intensamente com música de Câmara no estado do Paraná, integrando os grupos Curitibanos, o quinteto de cordas Cinco de Cordas, o quarteto de cordas da PUCPR e o quarteto de cordas Quarteto Pantalla com projetos realizados para Fundação Cultural de Curitiba, turnês de música de Câmara do SESC além de CDs e DVDs gravados.

Ludmilla Kraneck, viola

Iniciou seus estudos na viola em 2008. Em 2014 ingressou na Universidade Estadual de Campinas, onde concluiu o bacharelado em viola com Emerson de Biaggi, em 2017. Participou da Orquestra Sinfônica do departamento de música da UNICAMP, Camerata de Música Antiga da UNICAMP e da Camerata de Jundiaí. Participou de masterclass com Renato Bandel, Alexandre Razera, Marcelo Jaffé, Hella Frank, Ulisses Silva, Katherine Murdock (EUA), Alicia Varoti (EUA) e Maria Dutka (Polônia).

  Nas dependências acadêmicas da disciplina Música de Câmara, oferecida pela UNICAMP, nasceu o Quarteto Capriccioso, do qual fez parte desde seu início. Oportunidades extracurriculares foram surgindo para o grupo. Dentre elas, o masterclass com o Quarteto OSESP, o 53º Festival e Concurso Villa-Lobos de Música de Câmara, o 11º Festival de Música de Santa Catarina e o Arianna Chamber Music Festival 2016. Atualmente leciona no UNASP-HT, como professora de viola, teoria, Curso Técnico em Música, Orquestra e Camerata.

Rose de Souza, canto

É formada em flauta doce e canto lírico pelo Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez e em Educação Artística com Habilitação em Música e Canto Lírico, pela Universidade Estadual de Montes Claros. Participou de Masterclasses com grandes professores como: Ignácio de Nonno, Francisco Campos, Marcos Tadeu, Rio Novello, Neyde Thomas, Jeller Felipe, Martha Heer, Jean Paul Fouchecaurt, João Paes e Illeana Cotrubas. Como solista, cantou sob regência dos maestros Sérgio Magnani, Sergio Igor Chenee, Lan Franco, Ricardo Rocha, Ênio Antunes e João Carlos Martins. Atuou nas óperas Madame Butterfly e La Bohème de Puccini e nos musicais The Phantohon Of The Opera de Lloydd Webber e West Side Story de Bernstein. Em Portugal, estudou com os professores Antonio Salgado e Fernanda Correa. Participou do coro de Fundação Conservatório Regional de Gaia atuando na ópera La Traviata de Verdi, Réquiem de Mozart e fazendo apresentações solo em várias cidades do país. Nas temporadas de 2005/2006 foi solista convidada da Camerata Antunes, com quem realizou vários concertos na capital paulista. Em 2006 solou Réquiem de Mozart em Fortaleza/CE e fez uma série de concertos com o grupo Cello Esemble pelo estado de São Paulo. No ano de 2009 apresentou-se como solista no oratório Elias de Mendelssohn e em 2010 o papel de mãe (soprano) na ópera Amahl em Americana e no UNASP-EC sob a regência do maestro Jetro de Oliveira. Atualmente atua como professora de canto na Escola de Artes do UNASP-EC.

Fernando De Carli, canto

Barítono lírico catarinense de destaque, se apresentou em todas as capitais do país e mais de 130 cidades do interior, e também nos Estados Unidos, Argentina e Uruguay, tanto em duos de câmara (canto e piano), como em concertos com corais, destacando-se o Polyphonia Khoros(2001-2018), em que atuou como cantor do coro, cantor solista, preparador vocal e assistente de regência em montagens de Óperas, Oratórios e concertos de música erudita e popular nacional e internacional; o Estúdio Vozes (1994-2011 / 2018), em que atuou principalmente como solista em montagens de trechos de óperas e musicais e, eventualmente como regente preparador; e o grupo Cantus Firmus, de música medieval e renascentista em que atuou como cantor, cantor solista e preparador vocal do grupo (2016-2019). Graduado no curso de Licenciatura em Música da UDESC, completou metade da pós-graduação em Regência Coral e Docência, pelo UNASP e todos os módulos da Especialização em Canto com ênfase em Harmonização Vocal e Backinkg Vocal, pelo UNASP/CCV. Participou como professor de técnica vocal em cursos e seminários corais promovidos pela UFSC e Coral da Santíssima Trindade, e em Encontro de Músicos da Associação Catarinense da IASD. Coral da ASSERJUFESC (desde 2019), além de auxiliar diversos coros da Igreja Adventista do Sétimo Dia na grande Florianópolis, atuando como preparador vocal. Desde julho de 2017 tem atuado junto a RPR produtora de musicais infantis, em conjunto e sob direção cênica de Roberto Rezende, nas funções de Diretor Musical, Preparador Vocal e ator-cantor destacando-se as montagens de O Rei Leão e do Musical Inédito O Sítio do Pica-Pau Amarelo – O Encontro, em que também trabalhou como arranjador das músicas originais.

Otávio Souza, canto

Tenor paraense, 25 anos, Formado em licenciatura em Música, pela escola de Música da UFPA e em Canto lírico pelo conservatório Carlos Gomes. Iniciou seus estudos musicais aos 13 anos e de Canto Lírico aos 16 anos no conservatório Carlos Gomes. Foi semifinalista do 1º concurso de canto Marina Monarcha e ficou em segundo lugar no 2º concurso de canto Marina Monarcha categoria nível técnico e ganhou 3ºLugar categoria nível técnico no concurso “Dóris Azevedo” para jovens instrumentistas (2018- Belém/PA). Foi aluno dos professores Eduardo Nascimento, Jeferson Luz, Romeu Amorim, Jena Viera, Marcia Aliverti e Atualmente Estuda com o barítono Idaias Souto (IECG). Atualmente vem Trabalhando um repertorio camerístico e operístico.

Silvana Poll, flauta

Aluna de Williams Costa, concluiu o técnico em piano no Unasp -SP (Prof. Alice Botelho e Marisa Klein) tendo flauta como instrumento complementar. Foi aluna do Jr, Flavio Santos, Lineu Soares, Wanderson Paiva, Ariney Oliveira, Dilza Garcia. Deu continuidade ao estudo de flauta na Escola Municipal de Música de SP com os professores da OSESP: José Ananinas Souza Lopes e Jean-Noel Saghaard e piano com Paulo Bergamo. Participou como convidada em Masterclass com Michael Faust (Alemanha) e Rafaelle Trevisani (Itália). Também estudou na EMESP com Marcos Khiel. Na USP realizou algumas aulas com Antonio Carrasqueira, o que a incentivou a mudar para o curso de Licenciatura. Ministrou aulas no Unasp-SP de setembro de 1990 até setembro de 1995; setembro de 2002 até março de 2008. Tornou-se professora no IASP em março de 2012, participando de banda e orquestra até junho de 2017; desde 2013 ministra aulas no UNASP-EC. Atualmente é professora de flauta do UNASP/EC, participa da Banda e da Orquestra desta instituição e atua como secretária da ABRAF.

Suellen Magalhães, trompa

Iniciou seus estudos musicais com 10 anos através do projeto Música e Cidadania na cidade de Atibaia, três anos mais tarde passou a estudar trompa na Banda Marcial Municipal de Atibaia. Em 2008 ingressou na Escola de Música do Estado de São Paulo (Emesp), onde foi aluna de José Costa, Luciano Amaral e Samuel Hamzem. Em 2010 passou a integrar a Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, onde no ano seguinte exerceu a função de chefe de naipe. Em 2011, Suellen iniciou seus estudos na Faculdade Cantareira, tendo como professor Samuel Hamzem. Em 2013 transferiu-se para o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp-EC) onde concluiu o curso de Licenciatura em Música. Participou de Festivais como Encontro Brasileiro de Trompistas (Natal- RN e Salvador-BA), 54°International Horn Symposium (Natal-RN), Gramado in Concert (Gramado-RS) e Eurochestries (Québec- Canadá). Atualmente é aluna de Luis Garcia, pela Escola de Música Municipal de São Paulo (EMM), e professora da Escola de Artes do UNASP-EC.

Samuel Krähenbühl, violino/viola/maestro

Mestre em música pela UNICAMP (2017). Bacharelado em Regência, UNICAMP (2005). Bacharelado em Composição, UNICAMP (2004). Participou de Masterclasses, como aluno ativo, com importantes maestros da atualidade como: Sir Colin Metters (ENG), Dr. Jay Dean (USA), Dr. Richard Rosemberg (USA) e Jamil Maluf (BRA). Esteve à frente de orquestras como Lithuanian State Symphony Orchestra (LIT), City of Prague Symphony Orchestra, Czech National Symphony Orchestra (Rep. Tcheca) Budapest Symphony Orchestra (HUN), e Orquestra Sinfônica da Unicamp (BRA). Teve algumas de suas composições apresentadas pela Lithuanian State Symphony Orchestra (LIT), Orquestra Sinfônica da Unicamp, Orquestra Sinfônica de Americana, Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, Quinteto de Metais da Unicamp, Quarteto de cordas da Andrews University (USA), Quarteto de Cordas Ernst Mahle. Vencedor do concurso internacional “Atelier para Jovens Compositores” da OCS (Orquestra Clássica do Sul, de Portugal) onde sua peça – “Sinfonietta N. 2” foi escolhida para integrar a temporada 2014-2015 da OCS na Europa. Atua hoje como regente da Camerata UNASP/EC, além de professor do Curso de Licenciatura em Música do UNASP/EC, e professor de Violino e Viola da Escola de Artes. Em 2019 estreou sua primeira Cantata, PSALMI 8, com a Orquestra Sinfônica e Coro do Curso de Licenciatura em Música do UNASP EC.

Herif Samuel Antunes, violino

Vinícius Panegacci, maestro (UNASP-HT)

Vinícius Panegacci possui bacharelado em composição e regência pelo Instituto de Artes da UNESP, sob orientação de Lutero Rodrigues, Abel Rocha, e Vitor Gabriel, onde também regeu por dois anos o ensemble contemporâneo, sob orientação de Alexandre Lunsqui, e estudou órgão com Dorotéa Kerr. Na ULM concluiu o curso técnico em violão erudito com Fabio Ramazzina. No UNASP concluiu a especialização em Docência Universitária. Vinícius Panegacci foi por seis anos consecutivos bolsista do festival da Bohuslav Martinů Philharmonic Orchestra, sendo aluno regular de Kirk Trevor (Missouri Symphony Orchestra) na República Tcheca, onde regeu frente a esta orquestra densas obras do repertório onde se destacam sinfonias de Mahler, Shostakovich, Brahms, Dvořák, Prokofiev, Beethoven, dentre outros, em concertos realizados no Castelo de Kroměříž e Sala de Zlín. Bolsista do International Conducting Festival, estudou regularmente com o mais renomado regente tcheco da atualidade, Tomáš Netopil (Essen Philharmoniker), também na Republica Tcheca. Em Nova York regeu concertos frente a Astoria Symphony Orchestra, e realizou masterclasses com Donald Schleicher, e aulas com Alan Gilbert. Na Filarmônica de Minas Gerais, Vinícius Panegacci foi selecionado pelo maestro Fabio Mechetti como regente ativo do prestigioso Laboratório de Regência onde pôde estudar e ensaiar com a orquestra, e reger ao final do curso Beethoven e Wagner em concerto da temporada para um público de 2500 pessoas. Na fundação OSESP pôde realizar master classe com Marian Alsop. Recentemente foi selecionado para o festival da Baltimore Chamber Orchestra, na Johns Hopkins University, onde estudou com o maestro Markand Thakar, repertórios envolvendo Beethoven, Mozart e Schubert. Desde 2015 é maestro e diretor artístico da Orquestra Sinfônica do UNASP, no Campus Hortolândia. Vinícius Panegacci também leciona no curso técnico em música do conservatório do campus 3, matérias como organologia, orquestração e contraponto.

Eduardo Lustosa, maestro (UNICAMP)

Formado em Licenciatura em Música pelo UNASP (2015) e mestre em Música pela UNICAMP (2018), cursa atualmente o doutorado em Música pela UNICAMP, sob orientação do prof. Dr. Carlos Fiorini. Estudou canto com a soprano Elisabete Almeida e atualmente é aluno da classe do Prof. Dr Angelo Fernandes. Foi regente do Canarinhos da Terra (UNICAMP), dirigindo coros juvenis e também maestro da Basílica de Americana-SP. É professor de Música no SESI-SP e Fundação ROMI, sendo regente do CORUMIM, coro juvenil do SESI-SP. Integra o Coro Contemporâneo de Campinas e é regente do Coro do Departamento de Música da UNICAMP (2019).

Pr. Elias Brenha, capelão

Murilo Ribeiro

Murilo Ribeiro, natural de São Paulo/SP, formado em licenciatura em música pelo UNASP EC em 2009, trabalha com musicalização infantil desde então. Em 2012, participou do 1°grupo de pesquisa e repertório para Boomwhackers, onde também conheceu o prof. Uirá Kulhmann. Entre 2014 e 2017, montou diversos grupos com alunos do fundamental 2 nas escolas que trabalhava. Foi a partir de 2018 que começou a dirigir um grupo de pesquisa no UNASP SP com alunos e professores, grupo esse que apresentou junto com a Camerata UNASP EC a 2° peça escrita para Boomwhackers e orquestra, escrita pelo prof. Samuel Khahenbuil. É professor no encontro de músicos desde 2016, com oficinas de iniciação musical com Boomwhackers e performance com arremessos.

Samuel André Pompeo

Natural de Americana, onde começou seus estudos de saxofone em 1982 na Escola Municipal de Música e realizou seus primeiros trabalhos na Banda Municipal de Americana. Estudou com vários dos mais renomados músicos do Brasil, entre eles Nailor Aparecido de Azevedo (Proveta), Eduardo Pecci (Lambari), Cláudio Leal, Grace Lauren, Roberto Sion, Hudson Nogueira, Nivaldo Ornellas, Dilson Florêncio, Idriss Boudroua e Vitor Alcântara. Gravou ou tocou com vários nomes da música popular brasileira e internacional, como Jane Duboc, Elba Ramalho, Alceu Valença, Gilberto Gil, Toquinho, Maria Rita, Jair Rodrigues, Simoninha, Gal Costa, entre outros. Participou como músico convidado de concertos com as principais orquestras sinfônicas do país, como Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Experimental de Repertório, Orquestras Municipais de Campinas, Ribeirão Preto e Santo André, Orquestra Sinfônica da USP e Orquestra Sinfônica Brasileira. Recentemente participou de concertos junto a importantes nomes do jazz, tais como Banda Mantiqueira, Tad Nash (EUA), Ben Alisson (EUA), Ohad Talmor (USA), Bepi Damati (Itália), Gilson Peranzzetta, Ryan Keberle (EUA) e Woody Witt (EUA). Participou como professor convidado em workshops e masterclasses de instituições brasileiras e internacionais. Atualmente é professor da Escola Municipal de Música de São Paulo, professor convidado do festival “Fiato Al Brasile” na Itália, mestre em música pela UNESP, líder do Samuel Pompeo Quinteto e participa da SoundScape Big Band e da Banda Urbana.

APRESENTAÇÃO

O Centro Universitário Adventista de São Paulo – Campus Engenheiro Coelho (UNASP-EC) convoca músicos instrumentistas e cantores para a 1ª. Academia Internacional de Música UNASP que acontecerá entre 07 e 18 de janeiro de 2020.

A programação envolverá atividades especiais, tais como como: Aulas em grupo de instrumento ou canto, Master Classes, Prática de Conjunto, Recitais, Concertos, Oficinas.

  • 8h-8h45: palestra motivacional
  • 9h-12h Ensaios
  • 9h-12h Piano: treino individual
  • 12h15 Almoço
  • 13h30-14h30: coaching de música de câmara / treino individual / Big Band / Orquestra de Flautas / Atividade KIDS
  • 14h45-17h: Master Classes divididas por áreas
  • 17h-18h: Treino individual
  • 18h Jantar
  • 19h30-21h30: Recitais/Concertos

Duração

11 dias, de 07 de janeiro à noite até 18 de janeiro de 2020.

A Academia Internacional de Música UNASP oferece oportunidades para você:

  • Desenvolver sua identidade artística
  • Aprimorar suas habilidades musicais individualmente e em grupo
  • Aprender e apreciar novo repertório
  • Despertar sua visão artística, comprometimento, entusiasmo e zelo com a arte musical
  • Fazer novos amigos

Bolsa de participação:

100% hospedagem e alimentação + Academia Internacional de Música UNASP + deslocamento. (Apovados para OFAB)

100% hospedagem e alimentação + Academia Internacional de Música UNASP + deslocamento. (Aprovados para OFAB)

100% hospedagem e alimentação + Academia Internacional de Música UNASP. (Aprovados para OFAB)

Aprovados por testes para a Orquestra Sinfônica Acadêmica, Banda Sinfônica UNAMUSI e Monitores de Piano: de 50% à 100%

Aprovados receberam uma bolsa de 100%

5-9 pessoas 10% desc.

10 ou mais pessoas 20% desc.

Membros da mesma família (2 ou mais) 10%.

Enviar lista de nomes para o e-mail: [email protected]

Grupos de práticas e requisitos

Importante! Para participar de práticas de grupos avançados e concorrer à bolsas de monitoria de até 100% (não há bolsas para Canto), clique aqui e faça sua pré-inscrição.

É a orquestra profissional residente da Academia Internacional de Música UNASP. É destinada para instrumentistas profissionais com experiência, professores e alunos de nível avançado. Preferência para músicos adventistas e/ou cristãos, e amigos das instituições da Igreja Adventista do 7º Dia.

Teste de seleção: Enviar link de vídeo postado no YouTube com trechos significativos deste repertório na plataforma.

Envio até 16/10/2019.

Madeiras

Flauta:

Mozart Concerto em Sol M para Flauta

Mendelssohn “Scherzo” de Midsummer Night’s Dream

Clarineta:

Beethoven Sinfonia No. 6 (1o. mvt)

Tchaikovsky Sinfonia No. 6 (1o. mvt)

Oboé:

R. Strauss Don Juan

Tchaikovsky Sinfonia No. 4 (2º. mvt)

Fagote:

Mozart “Abertura” Bodas de Fígaro

Tchaikovsky Sinfonia No. 5 (3º. mvt)

Metais

Trompa:

Dvorak Sinfonia No. 9 (4o. mvt)

Rossini “Abertura” O Barbeiro de Sevilha

Trompete:

Stravinsky Petrouchka (1911)

Haydn Concerto em Mib Maior (1º. mvt)

Trombone tenor:

Ravel Bolero

Rimsky-Korsakov Concerto para Trombone

Trombone baixo:

Haydn “trechos” de A Criação

Beethoven: Sinfonia No. 9 (4o. mvt, c. 595-626)

Tuba:

Mahler Sinfonia No. 1 (trechos mais difíceis)

Mendelssohn “Abertura” de Midsummer Night’s Dream

Cordas

Violino:

1º. mvt de qualquer concerto Clássico ou Romântico com Cadenza

Mendelssohn Sinfonia No. 4 “Italiana” (4º. mvt, c. 1-54)

Viola:

Stamitz 1º. mvt do concerto em Ré Maior

Hoffmeister 1º. mvt do concerto em Ré Maior

Mozart Sinfonia 35 (4º. mvt, c. 134-181)

Violoncelo:

Haydn 1º. mvt do concerto em Dó ou Ré Maior

Mozart “Finale” da Sinfonia 39 (anacruse c. 116 a 137)

Contrabaixo:

Beethoven Sinfonia No. 5 (3º. mvt, c. 1-100)

Mahler Sinfonia No. 2 (1º. mvt, 1ª. Página)

Percussão:

Vídeo demonstrando suas habilidades. Não há repertório específico.

Alunos de nível intermediário e avançado.

Orquestra de nível intermediário e avançado com os alunos do UNAMUSI.

Teste de seleção: Enviar link de vídeo postado no YouTube com este conteúdo na plataforma de inscrição.

Envio até 16/10/2019.

Cordas:

  1. Tocar uma escala maior em 3 oitavas em spicatto e legato (ligar 2, 4 ou 8 notas);
  2. Tocar uma escala menor em 3 oitavas em spicatto e legato (ligar 2, 4 ou 8 notas);
  3. Duas peças contrastantes: uma lenta e uma rápida (pode ser trechos).

Outros instrumentos (exceto percussão):

  1. Uma escala maior e uma escala menor, duas oitavas.
  2. Duas peças contrastantes.

Percussão:

Não é necessário vídeo. Pré-requisito: leitura musical.

Alunos de nível iniciante a intermediário de cordas friccionadas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo). Não é necessário fazer processo seletivo.

A Orquestra Experimental vai trabalhar repertório erudito, folclórico, popular e sacro, e fará duas apresentações sob a liderança dos maestros Marcos De Lazzari e José Ademar Rocha.

Alunos de nível intermediário em diante.

A Banda Sinfônica UNAMUSI fará dois concertos, um sacro e um secular. Sob a regência do maestro Wilson Dias.

Teste de seleção: Enviar link de vídeo postado no YouTube com este conteúdo na plataforma de inscrição.

Envio até 16/10/2019.

A partir dos 16 anos de idade, qualquer voz (Soprano, Contralto, Tenor, Baixo), com ou sem experiência prévia. Não é necessário fazer processo seletivo.

O Coral Sinfônica fará apresentações junto a Orquestra Filarmônica Adventista do Brasil e da Orquestra Sinfônica Acadêmica. A preparação do Coral Sinfônica está sob a responsabilidade do maestro Eduardo Lustosa.

instrumentistas de nível profissional de sopro e percussão. Participação por convite ou link YouTube para avaliação.

Músicos de flauta-transversal de todos os níveis. Não é necessário fazer processo seletivo.

A Orquestra de Flautas fará duas apresentações com repertório sacro e secular.

Violonistas de todos os níveis. Não é necessário fazer processo seletivo.

A Camerata de Violões fará duas apresentações com repertório sacro e secular.

Pré-requisitos para participação:Conhecimento de cifras e/ou leitura musical básica e prática do instrumento.

Pianistas monitores para coral e música de câmara, é exigido excelente nível de leitura musical.

A Academia de Piano está sob a coordenação da Dra. Ellen Boger Stencel, e conta com os renomados pianistas: Richard Kogima, Lígia Moreno e Maria José Carrasqueira.

Gravar um vídeo com DUAS seleções de períodos diferentes. Enviar o link do vídeo postado no YouTube no momento da inscrição.

Envio até 16/10/2019.

Barroco:

Bach    O Cravo Bem Temperado (um prelúdio e uma fuga)

Clássico:

Beethoven  Sonatas, Op. 14, no. 2 (Sol M); Op. 79 (Sol M)

Haydn Sonatas, Hob. XVI, No. 21 (Dó m), 34 (Mi m), 41 (Láb M), 50 (Dó M), 52 (Mib M)

Mozart  Sonatas, K. 310 (Lá m), 311(Ré M), 331(Ré M), 331(Lá M), 333(Sib M), 457(Dó m)

Romântico:

Chopin Études, Polonaises, Mazurkas, Noturnos

Séc. XX: 

Villa-lobos Prole do Bebê 1