Eleições mais limpas


Carolina Inthurn - 03/10/2016

Ainda nem tinha sido dado o resultado das eleições em Engenheiro Coelho, quando 17 jovens, alunos do Unasp e participantes de grupos como o Geração 148 e Atos 29 e mais duas crianças do Colégio Unasp chegaram munidos de vassouras, sacos e cestos de lixo e muita boa vontade para limpar o entorno da principal zona eleitoral do município.

Vassouras de piaçava fornecidas pelo Unasp se juntaram com outras vassouras de palha emprestadas pela prefeitura do município para varrer milhares de santinhos espalhados pelas ruas. Todo lixo era recolhido com pás emprestadas pelos moradores do entorno que, vendo a atitude dos jovens que procuravam deixar a cidade mais limpa, queriam ajudar de alguma forma. Aparecida Galvão, de 54 anos, moradora de Engenheiro Coelho, se juntou ao grupo e ia ajudando a catar os papeis espalhados pela rua. “A cidade fica com outra ‘cara’. Essa sujeira não pode ficar aqui. Se cada um catasse um pouquinho de lixo e jogasse seu lixo na lixeira, tudo ia ficar melhor”, Aparecida dá seu parecer, elogiando o trabalho dos jovens.

Um pouco acima, na mesma calçada, a pequena Manoela, de dois anos e meio de idade, com seu vestidinho azul e sapatilha rosa, manuseia a imensa vassoura junto com o grupo de jovens que vestiam uma camiseta com a estampa “# Eu sou Unasp”. O pai, Claudio Pereira, que mora em Engenheiro Coelho há 24 anos, incentivava a participação da filha com o grupo de jovens universitários. “Em casa, ela tem uma vassourinha e rodinho para aprender a ajudar na limpeza. Ajudando, ela aprende a cidadania”, ele diz, enquanto interage com o grupo de alunos.

Entre os moradores do bairro e demais eleitores que aguardavam na frente da escola a apuração dos votos, comentava-se sobre a atitude dos universitários. “Eles são do Unasp e vieram limpar aqui em volta da escola”, “Esse pessoal está fazendo algo muito legal”, “A cidade precisa de mais gente como vocês”, as pessoas comentavam enquanto passavam pelos alunos. Para Lucas Muletaler, estudante de teologia, o amor de Deus é o combustível que o motiva a atos de amor pelos outros: “É Deus quem nos motiva a atos assim. Quando decidimos fazer algo por alguém é porque somos gratos por algo que já recebemos. A gratidão transborda em nós, então, temos que repassar amor aos outros. Toda ajuda que oferecemos aos outros, volta para nós em forma de amizade ou mesmo através de uma lição que levaremos para a vida. Quando paramos para pensar no próximo, sempre acabamos sendo beneficiados e abençoados. “Faço essas coisas porque é o que gosto de fazer. Eu gosto de ajudar as pessoas. Sinto-me bem participando desses projetos porque quando a gente participa de algo assim, parece que a gente parte de algo maior”, explica Benny Porto, aluno do 4º semestre do curso de Rádio e TV.

Em cerca de uma hora e meia de “faxina”, os alunos conseguiram melhorar o visual de duas vias. A circulação de carros e pedestres, o vento forte e o fato de os santinhos “grudarem” no asfalto dificultou um pouco o processo, mas não impediu que os voluntários realizassem o trabalho que propuseram a fazer. “Nós sabemos que não podemos limpar a cidade toda, mas podemos fazer um pouco. Queremos nos aproximar da população da nossa cidade e transmitir a ideia de que, juntos, podemos fazer do nosso município, um lugar melhor”, enfatiza Jonathan Conceição, pastor associado da igreja do Unasp e quem teve a ideia da iniciativa.

  • Reportagem de Vivian de Lima Vergílio

Compartilhe