Há 33 anos o Unasp mantém sua missão de educar seus alunos dentro dos valores bíblicos, para um viver pleno e para a excelência no serviço a Deus e à humanidade. Há três décadas a instituição propõe a seus alunos uma educação de qualidade e comunhão com Deus, mantendo seu lema de “Educar e Servir” cravado em cada parede elevada no campus.

Os olhos com pouca fé jamais poderiam imaginar que o Unasp alcançaria tamanha relevância. As flores da primavera de 1983 aqueciam os corações apreensivos sob o efeito da Guerra Fria. As folhas verdes do laranjal da Fazenda Lagoa Bonita marcavam a compra realizada pelo Pastor Walter Boger. Assim foi o nascimento do novo Instituto Adventista de Ensino, (I.A.E), como era conhecido na época.

O professor Edmir de Oliveira foi um dos primeiros diretores do Unasp e escolhido para organizar as atividades iniciais do campus. Oliveira lembra dos primeiros passos da instituição e diz que ao todo foram visitadas 70 fazendas para então encontrar a que se encaixava na filosofia adventista de educação. Ao longo do processo de construção do novo I.A.E, o professor conta que os principais desafios foram o uso consciente dos recursos financeiros e o preparo do processo escolar para o ano letivo de 1985, mas que ainda assim, as bênçãos foram maiores. “O crescimento da igreja, o primeiro batismo de conversos vizinhos e a segurança no trabalho, pois praticamente não houveram acidentes, foram as maiores bênçãos”, lembra.

Biblioteca

Foi nesse contexto, em 1991, enquanto o Unasp ainda engatinhava, que a Biblioteca Dr Enoch de Oliveira nasceu. Na época conhecida apenas como Biblioteca Universitária. Um ano depois, com a aquisição de novos livros e a transferência do acervo de Pedagogia para o campus de Engenheiro Coelho, a biblioteca foi inaugurada de fato, sob a administração do professor Lafaiete Carvalho. Em 1996, com o apoio da comissão administrativa, foi escolhido o nome Biblioteca Dr Enoch de Oliveira, em homenagem ao pastor Enoch de Oliveira. Oito anos depois, os alunos contavam com um acervo de 3.681 títulos e 29.674 exemplares. Hoje, duas décadas depois de sua inauguração, a biblioteca oferece 68.459 títulos e 120.481 exemplares e aumentando.

Enoch de Oliveira

Pastor, professor, evangelista, escritor, economista, administrador, erudito, eclético. Nasceu no dia 2 de fevereiro de 1924, em Curitiba, PR. Era filho do colportor Saturnino de Oliveira e Jerônima Oliveira. Casou-se com Lygia de Oliveira e da união conjugal nasceram dois filhos: Lutero e Vera Lúcia.

Concluiu os cursos de Contabilidade e Teologia no Colégio Adventista Brasileiro (CAB), atual Unasp-SP. Graduou-se posteriormente em Ciências Econômicas, Filosofia, Ciências e Letras, pela Universidade do Paraná. Posteriormente, cursou o Mestrado em Teologia Sistemática, na Universidade de Potomac, Maryland, EUA; Mestrado em História da Igreja e Divindade, em 1967, na Universidade Andrews, EUA. O livro A Mão de Deus ao Leme foi a tese de seu mestrado em História da IASD. Escreveu outros dois livros: Ano2000 – Angústia ou Esperança e a meditação matinal de de 1990, Bom dia,Senhor. Obteve também o título de Doutor Honoris Causa, em 1975, pela Universidade Andrews.

Após a conclusão do curso Teológico em 1945, iniciou suas atividades como contador na Associação Paranaense, em 1946. Sua trajetória culminou na vice-presidência da Associação Geral, após ter sido diretor de Educação e de Jovens Adventistas da Associação Paulista; diretor do Ginásio Adventista Paranaense (GAP), atual Instituto Adventista Paranaense (IAP); pastor da Igreja Central de Curitiba, Igreja Central do Rio de Janeiro; secretário Ministerial e Evangelista da União Este-Brasileira e presidente da Divisão Sul-Americana (DSA).

No dia 28 de novembro de 1983, lançou a Pedra Fundamental da Casa Publicadora Brasileira (CPB), de cuja Mesa Administrativa foi presidente. Em 4 de janeiro de 1985, participou da inauguração das novas instalações desta editora em Tatuí, SP.

Seu último batismo foi realizado no dia 28 de dezembro de 1991, e pregou o último sermão em 29 de fevereiro de 1992. Prestou 45 anos de serviço à causa de Deus. Faleceu no dia 10 de abril de 1992, aos 68 anos de idade, em Curitiba, PR, onde residia desde que foi jubilado, em setembro de 1990. A cerimônia fúnebre foi realizada na Igreja Central de Curitiba, onde vieram representantes de várias partes do Brasil, contando também a presença do pastor Leo Ranzolin, da Associação Geral.