Blog do UNASP

Outubro Rosa: vamos conversar sobre a prevenção do câncer de mama?

O câncer de mama é uma das doenças mais comuns entre as mulheres. Por isso, a campanha Outubro Rosa busca conscientizá-las sobre os benefícios de cuidar da saúde. Saiba como!

O movimento Outubro Rosa teve início há pouco mais de 20 anos. Desde que começou, seu objetivo é estimular a participação da população para a conscientização e prevenção do câncer de mama nas mulheres.

Provavelmente você já deve ter visto ou participado de correntes em prol desta campanha nas redes sociais ou em sua comunidade. Embora seja uma doença que atinge 100 vezes mais as mulheres, todos podem fazer a sua parte. Afinal de contas, trata-se de uma questão de saúde pública.

Logo, precisamos conversar melhor sobre esse assunto e entender o que é a doença, como tratar e o que podemos fazer em caso de dúvida. Dessa forma, estaremos contribuindo para maior qualidade de vida e a manutenção de hábitos saudáveis para evitar esse câncer.

O que é o câncer de mama?

O nosso corpo é formado por uma quantidade enorme de células. São 10 trilhões de células que trabalham de maneira integrada, donde cada uma possui uma função específica, a saber: nutrição, proteção, produção de energia e reprodução. No entanto nem sempre as células boas e saudáveis são as mais presentes. E quando ocorre o crescimento desordenado de células não saudáveis surgem algumas doenças, como o câncer de mama.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos. (Fonte: Inca)

No intuito de facilitar nossa compreensão sobre esse assunto, separamos um vídeo bem curtinho, de apenas 90 segundos de explicação da Drª Fabiana Makdssi, produzido pelo portal SAÚDE, sobre o câncer de mama. Dá o play.

Entretanto apenas entender o que é a doença na teoria e não fazer nada em relação à prevenção, não irá resolve o problema. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer no Brasil, estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama entre 2018 e 2019. Com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres. Os números consideráveis! O câncer de mama é uma doença que mata e nós precisamos conversar sobre ela. A campanha Outubro Rosa estimula o engajamento dos pacientes para a busca do tratamento adequado.

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Sintomas

Semelhante a outras doenças, o câncer de mama também possui uma série de sintomas que facilitam o descobrimento do tumor. E quando é descoberto no início, possui mais chance de cura, cerca de 95% com o tratamento correto.

Mulheres na faixa dos 40 a 69 anos estão propensas a doença.

Por isso, é importante que fiquem atentas e observem as mamas ao sentir algum desconforto. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, o INCA,  esses são alguns dos principais sintomas:

Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;

Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;

Alterações no bico do peito (mamilo);

Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;

Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Em seguida, uma imagem que ajuda a entender melhor os sintomas, veja os 12 mais comuns:

O que aumenta o risco?

O câncer de mama não tem somente uma causa. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Outros fatores que aumentam o risco da doença são:

Fatores ambientais e comportamentais:

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo (não fazer exercícios);
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X).

Fatores da história reprodutiva e hormonal

  • Primeira menstruação antes de 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Fatores genéticos e hereditários

  • História familiar de câncer de ovário;
  • Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
  • História familiar de câncer de mama em homens;
  • Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

Exames

Realizar o autoexame das mamas já foi bastante recomendado tempos atrás, entretanto algumas dificuldades de entender a anatomia do órgão traziam diagnósticos imprecisos. Ou seja, hoje ele ainda é praticado por algumas mulheres em casa e durante o banho, mas para uma eficácia e comprovação da doença, é necessário fazer uma mamografia.

O Sistema Único de Saúde, SUS, oferece exames de mamografia e tratamento do câncer de mama também. Então, não há desculpas para não se cuidar. Sendo assim, se você já passou dos 40, realizou o autoexame ou possui histórico de casos de câncer na família, está na hora de procurar um médico e realizar a mamografia.

Prevenção

De acordo com o INCA, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados praticando hábitos saudáveis como:

• Praticar atividade física regularmente;

Alimentar-se de forma saudável;

Manter o peso corporal adequado;

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;

Amamentar.

A importância do Outubro Rosa

De fato, os ideais da campanha Outubro Rosa não devem ser abordados apenas no mês de outubro. Até porque o aparecimento de doenças, diagnósticos e tratamentos acontecem o ano inteiro. Portanto, você pode fazer a diferença na sua vida e na vida de outras pessoas. Seja conversando sobre isso com amigos e familiares ou compartilhando mensagens de apoio à campanha em suas redes sociais.

Aliás, somos todos a favor da vida, o que significa que devemos combater e prevenir doenças que podem causar a morte. Afinal de contas, apoiamos o ser humano. Então, se você ainda tiver dúvidas ou quiser saber mais, não deixe de falar com a gente. É só deixar o seu comentário logo abaixo.

Até a próxima!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!