Blog do Unasp

O que é burnout e como ele pode prejudicar a sua carreira

[vc_row][vc_column][vc_text_paragraph]

Você já ouviu falar em uma síndrome chamada burnout? Muito comum nos ambientes de trabalho é importante ficar de olho nos sintomas e tomar os cuidados necessários. 

Em um ambiente cada vez mais competitivo e regado de pressão é normal que os profissionais sintam alguns efeitos colaterais nocivos na rotina de trabalho. No entanto, apesar de estarem sobrecarregados e com a saúde emocional em risco, as pessoas acabam negligenciando os sinais. Mesmo quando a questão emocional é um tema que possui grande foco hoje em dia. Ainda assim, muitos profissionais acabam doentes e até mesmo passando por quadros de burnout, sem saberem. 

Portanto, é muito importante conscientizar-nos dos riscos do excesso de trabalho, pressão e estresse. Vamos conversar mais sobre o tema?

Em 1974 o psicólogo Freudenberger fez a primeira descrição clínica de um caso psicológico que passou a ser objeto de estudo da década, e que hoje tem ganhado foco novamente. Estamos nos referindo a uma síndrome chamada burnout. E hoje vamos conversar um pouco sobre o porquê você precisa entender mais sobre o assunto e se prevenir.

Afinal, o que é burnout?

O termo vem do inglês e significa “queima” ou “combustão total”. Em países de língua inglesa, essa palavra faz parte do vocabulário comum, trazendo o sentido de um estado de esgotamento completo. Muitas vezes, está associado a uma frustração com o trabalho. É igualmente definido como uma reação negativa a um nível crônico de estresse no trabalho. 

De acordo com o Dr. Drauzio Varella: A síndrome de burnout é um distúrbio psíquico caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes. Professores e policiais estão entre as classes mais atingidas”. 

Sintomas

E como saber se você pode estar passando por burnout? Aqui vai a lista dos sintomas mais comuns: 

Emocionais e sociais

  • Ter atitudes de distanciamento afetivo; 
  • irritabilidade relacionada ao trabalho; 
  • indiferença e insensibilidade; 
  • sentimento de ineficiência e  baixa realização pessoal;
  • lapsos de memória; 
  • pessimismo;
  • baixa autoestima; 
  • dificuldade de concentração; 
  • agressividade;
  • ausências no trabalho; 
  • ansiedade;
  • depressão; 

Físicos

  • Fadiga persistente; 
  • falta de energia; 
  • dor de cabeça/enxaqueca;
  • dores musculares;
  • sudorese;
  • crises de asma;
  • insônia; 
  • palpitações;
  • crises gastrointestinais;
  • pressão alta.

[/vc_text_paragraph][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_text_paragraph]

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail![/vc_text_paragraph][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_newsletter_with_email newsletter_id=”blog_conteudo_1″ newsletter_msg_success=”Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_text_paragraph]

Como o burnout interfere na sua vida? 

Como deu para perceber pelo que falamos nos tópicos anteriores, o burnout é um esgotamento físico e mental que gera uma pane no cérebro. Atualmente, ele já atinge 3 a cada 10 brasileiros no mercado de trabalho. O que pode afetar níveis sociais, emocionais, econômicos e físicos. 

A psicóloga Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR, descreve que a sensação de uma pessoa que passa por isso é de “ter passado dos limites”. As consequências podem ser diversas, desde queda na produtividade, aumento de risco cardiovascular, alterações em sistemas hormonais, queda na imunidade, e até mesmo uma aposentadoria precoce. O burnout pode te forçar a sair do mercado de trabalho. Igualmente, a modificar toda a sua vida.   

Por isso que é importante tomar os devidos cuidados. Essa síndrome pode prejudicar seus sonhos e metas.

Evitando

E é falando em mudança de vida que a gente chega na raiz para evitar esse problema. Entender os seus limites e respeitá-los é o primeiro passo. Parar de negligenciar seu corpo, como não comer certo, dormir pouco e não movimentar-se é essencial. Evitar sobrecarga e pressão. Lembre que seu corpo é um organismo vivo, não uma máquina de metal. Ele precisa repor tudo aquilo que perde. 

Procure também um profissional da saúde, como psicólogos, para entender melhor como anda a sua saúde emocional. Por mais que a vida seja muito corrida e cheia de responsabilidade, você precisa cuidar da sua saúde. Não deixe para depois. Aos primeiros sinais, marque uma consulta. Busque tratamento.

 

Esperamos ter te ajudado. Até a próxima! [/vc_text_paragraph][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_text_paragraph]

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.[/vc_text_paragraph][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_newsletter_with_email newsletter_id=”blog_conteudo_2″ newsletter_msg_success=”Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_text_paragraph]

Leia também: 

[/vc_text_paragraph][/vc_column][/vc_row]

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

[vc_newsletter_with_email newsletter_id="blog" newsletter_msg_success="Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!"]