Blog do Unasp

Gastronomia: será que tenho vocação para ser um cozinheiro?

Você tem interesse em Gastronomia, mas ainda não tem certeza se tem vocação para a área? Vamos conversar!

A gastronomia não é a minha primeira formação, na verdade me forme em publicidade e propaganda aqui no Unasp. Durante um bom tempo cozinhar foi mais uma diversão do que necessariamente uma profissão em potencial. E por mais que eu goste da publicidade e tenha encontrado meu campo de atuação dentro dela, naturalmente com o passar do tempo comecei a ter minhas crises existenciais. Ocasionalmente todo mundo passa por alguns questionamentos em relação à carreira e escolha de profissão.

No entanto não vou me delongar sobre o tema “mudança de profissão”. Até porque o propósito deste post é falar sobre vocação para ser cozinheiro. E se você chegou até aqui é porque quer saber mais sobre o assunto, não é mesmo? 🙂

Portanto vou contar um pouquinho da minha experiência e de como encontrei essa vocação dentro de mim, e como você também pode descobrir através de alguns sinais e questionamentos.

Então vamos bater um papo de cozinheira para cozinheiro? <3

O que é vocação?

Nós sabemos em tese o que é vocação, certo? Em suma ela é aquela inclinação, uma tendência ou habilidade que nos leva a tomar certas decisões e ações no decorrer da vida. Na carreira ela pode ser determinante no que diz ao estímulo para a prática de atividades que estão associadas aos seus desejos.

Vocação é um talento, uma aptidão natural e uma capacidade específica para executar algo que vai lhe dar prazer.

Eu, por exemplo, comecei a cozinhar ainda jovem, com quatorze anos, no entanto demorei a perceber que gostaria de estudar gastronomia. Foi um processo até perceber que cozinhar era aptidão que eu tinha. Já outras pessoas começam a cozinhar depois de adultas e logo percebem que a cozinha é o ambiente onde elas se sentem completas. Portanto, não há uma regra definitiva para encontrar uma vocação. Com a experiência percebi que não tem um tempo exato para encontrar uma vocação. Cada pessoa encontra a sua no momento certo.

Existe o seu tempo e o seu processo, que único e deve ser respeitado. Às vezes um talento está lá desde sempre, outras vezes ele ganha forma aos poucos. Daí que existe a importância de você conhecer os seus desejos e perceber quais são as suas vontades, mesmo que ao poucos.

Portanto, fique atento àquilo que você faz bem, por prazer e alegria. Se cozinhar está na lista então podemos para passar para o próximo tópico.

Para mim, cozinhar é uma profissão ou apenas diversão?

Já fiz o questionamento acima várias e várias vezes antes de entrar no curso de gastronomia. Até porque, durante muito tempo, cozinhar estava mais para um hobby do que para uma opção de faculdade e profissão.

Eu entendo que para muitas pessoas cozinhar é só um ato básico de subsistência. Cozinhar para sobreviver, não passar fome ou é coisa de vó ou mãe. Sorte que esse cenário está mudando e hoje em dia a gastronomia é um assunto em alta e com muitos adeptos.

A verdade é que nós gostamos de comer, obviamente, e estamos gostando cada vez mais de conversar e compartilhar informações sobre o tema. Livros, programas de televisão, YouTube, blogs, etc. Você encontra informações sobre gastronomia em todos os lugares! O acesso à informação facilitou o processo de cozinhar pratos que antes só encontrávamos em restaurantes.

O hobby tem virado coisa séria e algumas pessoas encontram na, outra hora atividade de diversão, uma possível profissão. No entanto, como dá para perceber que o hobby já não é só um hobby?

Quando transformar o hobby em profissão?

Sinceramente acho perigoso transformar um hobby em profissão sem ter consciência de alguns pontos.

Em primeiro lugar, quando o hobby vira profissão ele deixa de ser somente prazer e contentamento. Isso porque existirá exigências, processos, horas de trabalho e muito compromisso. Coisa típica de uma profissão. Você está preparado para deixar o lado “encantador e mágico” de cozinhar só por prazer para cair no mercado de trabalho? Descobrir o lado negro da força?

Não quero jogar um balde de água fria em você, caro leitor, mas sejamos realistas. Por mais que amemos uma atividade e sintamo-nos realizados ao fazê-la, trabalhar com ela todo santo dia torna as coisas um pouco menos românticas.

Naturalmente que a nossa paixão e vontade por fazê-la só aumenta, mas às vezes é como um relacionamento amoroso. Nos meses iniciais tudo parece incrível e cheio de ânimo. Estamos ainda no processo de descobertas. No entanto, com o passar do tempo passamos a reconhecer defeitos no nosso parceiro. Enfrentamos algumas brigas e discussões, por vezes pensamos em desistir. Daí a paixão amadurece, ganha mais resistência e se transforma em amor. Você já não se ilude com qualquer coisa, já não vive naquela empolgação diária e mesmo assim escolhe ficar com aquela pessoa apesar dos problemas.

Gastronomia é como uma relação amorosa, precisa de esforço para dar certo.

Faça perguntas a si mesmo

Portanto faça algumas perguntas a si mesmo. Estou disposto a amadurecer a minha relação com a gastronomia? Viver tanto os lados positivos quanto os negativos da carreira? Ou será que cozinhar é mais uma atividade para esfriar a minha cabeça e me divertir?

Leve em consideração seus reais desejos pela gastronomia e o quanto você está disposto a perder e ganhar com isso. 😉

Está gostando dos conteúdos?

Então, assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Será que tenho talento para fazer gastronomia?

Eu acredito que sim! E sabe por quê? Porque talento é algo que pode ser desenvolvido e aprimorado. E na gastronomia isso é muito real! Cozinhar é uma ação constante de aprimoramento. Só se torna um bom cozinheiro aquele que cozinha. Portanto, você será cada dia melhor se praticar.

Quando entrei na faculdade de gastronomia eu tinha um grande medo; o medo de ter valorizado demais meus talentos na cozinha e descobrir que na verdade eu não era uma boa cozinheira. Medo de ser apenas um hobby mesmo, medo de não estar no patamar de um cozinheiro de restaurante.

A questão é que eu me esqueci que isso é muito normal, sentir medo. Mas precisei colocar dentro da minha cabeça que era normal eu não saber de tudo e ter minhas seguranças. Eu era era uma estudante e ainda estava aprendendo. Leva tempo para ser um bom cozinheiro, eu ainda estou aprendendo, mesmo depois de formada.

Nada de querer apressar a perfeição

Portanto, se você tem medo já vai parando de ter hahaha. Você não precisa entrar na faculdade de gastronomia arrasando, sabendo todas as técnicas e métodos. Você vai queimar alguns pratos sim, vai errar receita o o ponto dos alimentos e poderá até sentir que gastronomia não é bem o que você pensava ser. E de novo, não quero desmotivar, só preciso que você lembre que esse é o processo normal.

A faculdade serve justamente para mostrar aquilo que você não sabe e te ensinar a fazer. E como gastronomia é algo prático e artesanal, fica óbvio que você só conseguirá fazer pratos incríveis com o passar do tempo e com a quantia de tempo que você se dedica para a pratica.

Em outras palavras, você tem talento sim! E a faculdade de gastronomia irá te ajudar a lapidar esse talento. Ela te dará as ferramentas necessárias para você ser um baita de um cozinheiro.

Conclusão

Vamos recapitular?

Nesse post conversamos sobre o que é vocação e como é importante notar se você tem uma quedinha pela gastronomia. Que é importante compreender seus talentos e aptidões naturais. Além disso, que cada um de nós possuímos um processo individual na busca e compreensão das nossas vocações. Isto é, que podemos descobrir a vocação por gastronomia logo no começo da vida adulta, já formado e atuando em uma profissão diferente ou até mesmo depois de aposentado! Não tem regra, portanto respeite o seu tempo.

Também falamos sobre a importância de identificar se gastronomia é só um hobby ou se é uma potencial profissão. Se a sua opção for a segunda, é importante estar ciente que como qualquer profissão ela terá seus altos e baixos.

Além disso, é importante saber que um talento se desenvolve com o tempo. E a gastronomia é a prova cabal que para saber cozinhar extremamente bem leva uma vida inteira. Portanto não é preciso temer as falhas ou querer ser um cozinheiro perfeito logo de cara. A faculdade seve justamente para aprimorar e desenvolver as suas habilidades.

Se após ler esse post você sentiu aquela fisgada por dentro e o seu desejo de cozinhar continua forte ou até mesmo aumentou; então só posso dar um conselho, corre para o abraço!

A gastronomia é um curso apaixonante! Tenho certeza que será uma jornada incrível e que você irá desenvolver seu potencial e aprimorar suas aptidões.

Conheça o curso de Gastronomia do Unasp clicando aqui.

Até a próxima! 🙂

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

Coloque o seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!