Blog do Unasp

Quer trabalhar como freelancer? Descubra por onde começar.

[vc_row][vc_column][vc_text_paragraph]

Quer ser um freelancer? Veja esse post com algumas dicas básicas para você iniciar a sua carreira nessa modalidade.

Trabalhar como freelancer trás uma série de vantagens e pode ser um tipo de trabalho ambicionando por várias pessoas, inclusive você. É verdade que há várias vantagens em relação aos trabalhos convencionais. Por exemplo, você pode estipular sua hora de trabalho, definir o local onde você vai trabalhar, escolher quais projetos você quer executar e desenvolver a sua carreira de acordo com o que você gosta e tem mais a ver com a sua personalidade e ambições.

Claro que também há o lado negativo da moeda. No entanto, se você é uma pessoa que lida bem com a liberdade, falta de rotina e está aberta para novas experiências, ser um freelancer é uma ótima escolha de carreira.

O começo, no entanto, pode ser um tanto desafiador. Há algumas regras básicas para quem quer ser dar bem nessa modalidade. Pensando nisso preparamos esse post com algumas dicas básicas para você iniciar a sua carreira como freelancer. Olha só!

1. Formalize-se

Até um tempo atrás era normal que um freelancer atuasse sem formalização. Isso acontecia porque a criação de uma empresa, uma pessoa jurídica, demandava muito tempo, dinheiro e tinha toda uma burocracia envolvida. No entanto as coisas mudaram, hoje é possível abrir uma empresa em poucos minutos através do Portal do Empreendedor.

Ser um MEI (micro empreendedor individual) garante direitos básicos e segurança legal do seu trabalho. Sem formalização você terá problemas para declarar o imposto de renda, emitir notas fiscais e recibos.

Não se preocupe, ser um MEI não é um bicho de sete cabeças. É normal ter um pouco de receio ao abrir uma empresa, mas ao escolher essa categoria você estará amparado legalmente e costuma ser bem barato e fácil de abrir um MEI.

Para entrar nessa categoria é necessário ter faturamento de até R$ 81.000,00 por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter no máximo um empregado contratado que receba o salário-mínimo ou o piso da categoria.

A criação da MEI é feita através de um procedimento simples: você deve acessar o portal do empreendedor, fazer seu cadastro online e seguir o passo a passo das etapas presenciais. O valor da manutenção da microempresa é bem baixo (R$50/mês) e você fica isento de impostos.[/vc_text_paragraph][vc_text_paragraph]

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail![/vc_text_paragraph][vc_newsletter_with_email list_id=”47b58773cd” woopra_actions=”newsletter:gostando_conteudos_blog” return_type=”Mensagem de sucesso abaixo” title=”Está gostando do post?” subtitle=”Assine a nossa newsletter e receba as novidade do Blog do Unasp direto no seu email!” newsletter_msg_success=”Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!” newsletter_id=”blog_conteudo_1″][vc_text_paragraph]

2. Crie a sua marca

Agora que a sua empresa está formalizada é hora de criar a sua marca. De modo geral uma marca trata-se da representação simbólica de uma entidade, que ajuda as pessoa a identificá-la. Essa representação pode ser por meios gráficos (como um símbolo, logotipo ou tipologia), mas também pode ser através do nome e dos serviços prestados por ela.

E não é porque você trabalha como freelancer que vai deixa sua marca de lado. Desenvolva uma marca que represente o seu trabalho. Pense com carinho nesse processo. Assim, os possíveis clientes irão te reconhecer de maneira mais fácil e você irá se destacar dos demais concorrentes.

Comece definindo alguns itens, como:

  • nome fantasia (que pode ser o seu próprio nome);
  • logotipo;
  • identidade visual;
  • site;
  • redes sociais.

3. Apresente o seu trabalho

Sua empresa está criada, você tem uma marca, um site e perfis nas redes sociais. Agora está na hora de apresentar o seu trabalho para os seus potenciais clientes. Como você deve fazer isso?

É uma boa ideia ter algum tipo de documento que apresenta os seus serviços e produtos. As opções tradicionais são o currículo ou uma carta de apresentação. Eles são relativamente fáceis de fazer e podem ser impressos na impressora de casa.

Por outro lado, se você quiser inovar, há opções de materiais gráficos como folders e livretos. Você pode contratar empresas e gráficos para fazê-los. O importante é criar e desenvolver algo que apresente o que você tem a oferecer para os seus clientes. Uma boa apresentação do seu negócio pode ser fundamental para fechar um contrato.

4. Dê as caras

Isso aí, agora está na hora de se mostrar! E o portfólio é o melhor meio para provar as suas habilidades. Não esqueça dessa etapa, ter um bom portfólio é essencial para um freelancer.

Na hora de criar o seu portfólio é preciso tomar alguns cuidados. O primeiro deles é escolher uma boa plataforma que suporte os formatos dos arquivos utilizados em seus trabalhos. Você pode utilizar redes sociais, como o Linkedin e Behance, ou mesmo criar seu próprio site ou blog.

Lembre-se que o seu portfólio é como uma vitrine de loja, onde você deve expor apenas o que vale a pena ou o que é um destaque. Não coloque todos os seus trabalhos na plataforma, isso pode gerar uma certa confusão nos clientes. Sabe aquela história de menos é mais? Pois é, aqui se aplica.

5. Divulgue o seu trabalho

Agora que você tem um portfólio está na hora de divulgar o seu trabalho. Ninguém irá contratar o seu serviço se você estiver fechado dentro de um buraco. Por isso, é fundamental que você divulgue a sua empresa, tanto na internet quanto offline.

A divulgação online pode ser feita através das redes sociais, no envio de e-mails para possíveis clientes ou pelo cadastro em sites para freelancers. Outra opção é criar campanhas e anúncios pagos em sites pelo Google ou Facebook.

Na divulgação “ao vivo” você terá que correr atrás dos seus potenciais clientes pessoalmente. Lembre-se que o networking é fundamental, estabelecer relacionamentos é muito produtivo e pode gerar negócios.

 

E aí, gostou das dicas? Espero que elas possam ser úteis na hora de você abrir o seu negócio. Boa sorte e muito sucesso![/vc_text_paragraph][vc_text_paragraph]

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.[/vc_text_paragraph][vc_newsletter_with_email list_id=”47b58773cd” woopra_actions=”newsletter:gostando_conteudos_blog” return_type=”Mensagem de sucesso abaixo” title=”Não vá embora sem assinar a newsletter!” subtitle=”Assine a nossa newsletter e receba conteúdos direto no seu email.” newsletter_msg_success=”Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!” newsletter_id=”blog_conteudo_2″][vc_text_paragraph]

Leia também:

• Como dar conta de tudo? Veja 7 dicas para aumentar a sua produtividade.

• Empreendedorismo: seja um MEI e abra o seu negócio durante a faculdade.

• A importância dos relacionamentos na construção de uma carreira de sucesso.

• Quero abrir meu próprio negócio. Qual faculdade devo fazer?[/vc_text_paragraph][/vc_column][/vc_row]

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

[vc_newsletter_with_email newsletter_id="blog" newsletter_msg_success="Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!"]