Blog do Unasp

8 filmes com ótimas lições de inteligência emocional

the-top-5-movies-destined-to-flop-in-2016-835409

A arte imita a vida

As emoções, com exceções, são as personagens principais no cinema. Desse modo, como escrevem os autores do livro Inteligência Emocional 2.0, Travis Bradberry e Jean Greaves, a arte imita a vida. Portanto, os filmes são uma ótima maneira de ver as habilidades de inteligência emocional em ação, demonstrando comportamentos que você pode querer imitar ou evitar.

Por isso, observar relações e conflitos e analisar as emoções é uma das dicas dos autores para quem quer melhorar seu nível de inteligência emocional no trabalho e também na vida pessoal. “Pode ser difícil de acreditar, mas ver filmes de ficção pode ser uma das maneiras mais proveitosas e divertidas de praticar habilidades de conscientização social que você pode aplicar no mundo real”, escrevem os autores.

Sendo assim, confira filmes indicados pelos autores do livro e pelos especialistas Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos, e Vera Martins, consultora em desenvolvimento humano.

1. O Discurso do Rei

Assim sendo, o filme conta a história do rei Jorge VI que, para superar a gagueira, contrata um fonoaudiólogo. Portanto, mostra como o conhecimento das nossas emoções pode ser essencial na hora de controlar um problema. Aliás, na opinião de Rubens Pimentel, a história revela como a inteligência emocional permite à pessoa se aceitar e vencer barreiras. “Um excelente exemplo de como perder o medo de falar em público através do autoconhecimento e controle das emoções. Todos componentes do que chamamos hoje de inteligência emocional”, diz Pimentel.

2. Gandhi

Gandhi e sua trajetória trazem importantes exemplos de inteligência emocional que podem ser aplicáveis no trabalho e nos relacionamentos. Por isso, para lidar com o descontrole emocional do outro nada como lidar com inteligência emocional, diz Vera Martins. Ele conseguiu promover mudanças em toda uma nação com um único pensamento. “Mostrar coragem e se dispor a sofrer vários golpes, mas não revidar e nem desistir. Assim, essa atitude desperta algo na natureza humana que faz o ódio do outro diminuir”.

Mas, o filme também mostra que, mesmo imbuídos de um propósito maior, justo e ético, somos seres humanos e podemos errar e sermos tomados por emoções negativas. Como medo e raiva, por exemplo. No entanto, a fragilidade humana é revelada em uma cena em que Gandhi tem uma crise de raiva com sua esposa. “Sua esposa consegue sentir empatia por ele, entendendo sua reação. “Você é apenas humano”, diz ela. E é mais difícil ainda para aqueles que nem querem ser bons como você”, diz Vera.

3. Erin Brockovich – Uma Mulher De Talento

Sendo assim, o filme biográfico conta a história da luta jurídica de Erin Brockovich contra a empresa de energia Pacific Gas and Electric. Desse modo, mostra como a inteligência emocional a serviço do outro pode trazer excelentes resultados. Segundo os autores do livro Inteligência Emocional 2.0, é importante perceber a falta de autogerenciamento emocional dos personagens no começo filme.

Entretanto, Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos, também aponta para o fato de que a personagem principal não tinha capacidade de empatia no começo do filme. “As dificuldades dos outros e o senso de justiça dela traz à tona todo um conjunto de competências emocionais que determinam seu sucesso profissional”, diz Pimentel.

4. À procura de Eric

O ditado “se quer entender a organização mental de alguém, veja como é a organização da casa” é válido para Eric, o personagem principal do filme. Portanto, é o que atesta a consultora em desenvolvimento humano, Vera Martins. “Ele se sente atordoado e sem foco, perdendo o controle da casa, da família, de suas emoções e de sua vida afetiva. Não consegue reagir, tornando-se triste, desanimado, irritado, e sua comunicação se apresenta ora passiva, ora agressiva”, diz a especialista.

Mas com a ajuda do pseudo amigo e ídolo Eric Cantona, ex-futebolista, que faz um papel de coach ilusório, ele consegue criar pensamentos positivos. Dessa maneira, aprende a dizer não, e assim, ele consegue enfrentar suas dificuldades e pensamentos negativos. Assim, ao aceitar o apoio dos amigos, diz a especialista, foi fundamental para a mudança positiva na vida do personagem. “O filme nos mostra que autoconhecimento, autoconsciência e auto aceitação são premissas básicas para a educação emocional”, diz Vera.

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

5. Avatar

O filme conta a história de Jake Sully que é selecionado para participar do programa Avatar. Com isso, ele viaja a Pandora, uma lua extraterrestre que tem formas diversas de vida. Segundo Rubens Pimentel são dois mundos em choque. Um deles é carregado de inteligência emocional e o outro, dos forasteiros. Portanto,  revela como a falta de empatia e de capacidade de comunicação barravam o funcionamento da inteligência emocional em prol dos resultados. “Ao assistir este filme perceba que a inteligência emocional pode juntar seres de mundos completamente estranhos. Por isso, existem pessoas que se adaptam a novos ambientes e outras não”, diz Pimentel.

6. 300

A  história do filme gira em torno do Rei Leônidas que lidera 300 espartanos na batalha contra o deus e rei Xerxes da Pérsia e seu exército de 300 mil soldados. Assim, enquanto a guerra acontece, a Rainha Gorgo tenta encontrar apoio para o marido em Esparta. “O destaque deste filme é a cena em que o rei conversa com Elfialtes, que é um espartano deficiente físico, que quer lutar. No entanto, sua condição o impede que participe de batalhas. Mas a forma como o rei conduz a conversa é um bom exemplo de inteligência emocional aplicada a feedback”, diz Rubens Pimentel.

7. A vida é bela

“Nas piores condições possíveis um pai judeu, preso em um campo de concentração com seu filho, usa a inteligência emocional para conseguir se controlar e salvar a vida do filho”. O filme é um exemplo de que de que ter inteligência emocional não é suprimir emoções e controlar emoções. Mas, sim, saber o que fazer e como atuar quando elas aparecem. “É uma lição de como a inteligência emocional pode nos ajudar a utilizar o conhecimento do outro para controlar situações, inclusive, de perigo”, diz Pimentel.

8. Duas vidas

O filme conta a história de Russ, um profissional bem-sucedido que tem sua vida virada de cabeça para baixo. Tudo isso, porque ele encontra com ele mesmo quando tinha 8 anos. O garotinho Rusty não fica nada satisfeito quando vê sua versão adulta. Sucesso profissional, mas uma vida emocional fracassada. No filme, é possível perceber como o autoconhecimento é essencial para que a inteligência emocional permita uma vida plena, segundo Rubens Pimentel. “Somente depois de re-significar toda sua vida é que o personagem principal deste filme consegue ter plenitude emocional”.

Leia também:

Confira o restante da lista clicando aqui!

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!