Blog do Unasp

Extraordinário: 5 lições que aprendemos com o livro e filme.

Enfrentar um mundo que não sabe lidar com as diferenças não é uma tarefa fácil. Por isso, o filme Extraordinário, inspirado no romance homônimo escrito por R. J. Palacio, veio para ensinar grandes lições e fechar 2017 com chave de ouro.

O livro Extraordinário foi lançado em 2012 e só agora ganhou adaptação e estreou nas telinhas do cinema, com sucesso absoluto e destaque de bilheteria. Julia Roberts, Owen Wilson, Jacob Tremblay e Sonia Braga são alguns dos grandes nomes que fazem parte do elenco. O filme conta a história de Auggie, ou melhor, August Pullman (interpretado por Jacob Trambley), um garoto de apenas 10 anos que nasceu com uma doença rara, que deixou o seu rosto “deformado”. Ele precisou passar por muitas (27) cirurgias para que pudesse conseguir respirar melhor, comer e até ouvir com mais facilidade.

Por não ter um rosto “normal”, ele sentia vergonha e até um certo medo de aparecer em público, e quando aparecia estava sempre com seu inseparável capacete de astronauta. Assim, ele acreditava que ninguém se assustaria com o seu rosto, além de ficar mais confiante e seguro.

A trama conta a história do Auggie narrada por diferentes pontos de vista das pessoas que o cercam. O enfoque está voltado para sua experiência na escola a partir da 5ª série, com muitas aventuras, amizades, dramas e aprendizados. Já que antes disso ele estudava em casa na companhia de sua mãe Isabel, interpretada por ninguém mais, ninguém menos que  Julia Roberts.

Eu poderia ficar aqui algumas horas falando sobre o filme, mas correria o risco de dar spoilers, e não quero fazer isso com você, caso você ainda não tenha assistido. Então, agora vou apenas eleger 5 das muitas lições que podemos tirar do filme e livro, tá bom?

extraordinário

 

1. Você é especial

Auggie sofreu muito, na verdade ele ‘ainda’ sofre, porque o mundo muitas vezes não é legal e não sabe lidar com as diferenças. Mas apesar disso ele foi até o fim. Chorou, sorriu e conseguiu mostrar o seu brilho, despertando assim a admiração de todos.

“Mas, se quiseram me dar uma medalha por ser eu mesmo, tudo bem. Aceito. Não destruí a Estrela da Morte nem nada parecido, mas consegui passar pelo quinto ano. E isso não é fácil, mesmo que você não seja eu.” Extraordinário – pág 308

Por mais que você se sinta diferente e por muitas vezes sozinho, não se preocupe tanto. Você é especial à sua maneira, e encontrará pessoas que valorizam isso em você. E lembre-se, você não é especial pelas coisas que possui, pela a sua aparência ou pelo lugar em que você mora. Você é especial por existir. E acredite, você faz a diferença na vida das pessoas.

2. Seja Gentil

“Se você tiver que escolher entre ser correto e ser gentil, seja gentil.” Extraordinário – pág 55

Durante todo o filme é possível ver a gentileza de muitos personagens, como o professor Browne (Daveed Diggs), que ensinou esse preceito na sala de aula e fez com que os alunos, inclusive o Auggie, refletissem sobre tal ação.
Na trama ou na vida real, a gentileza é uma virtude e ela sempre será sinônimo de pessoas amorosas e agradáveis. Ser gentil torna o dia mais alegre, prazeroso e transformador. Pratique a gentileza.

Está gostando desse post?

Assine a nossa newsletter e receba novidades, dicas e muito mais!

3. Ame e cuide

Amor e respeito foram explorados de forma pontual durante todo o filme. As cenas revelavam muito carinho e compaixão entre os personagens da família e amigos.

“Não precisamos dos olhos para amar certo? Apenas sentimos dentro de nós. É assim no céu. É só amor. E ninguém se esquece de quem ama.” Extraordinário – pág 233

É interessante ressaltar que os laços familiares, tanto no filme quanto no livro, são muito fortes, demonstrando o amor incondicional dos pais e também da irmã de Auggie. Um amor capaz de motivar, encorajar e transformar. De fato, é uma reflexão magnífica: Estamos nós comprometidos com a nossa família, valorizando, cuidando e ajudando uns aos outros? O amor é para ser sentido e compartilhado.

4. Sonhe e conquiste

As conquistas são méritos, algumas individuais, outras coletivas, mas o significado é o mesmo. Conquistar, ou seja, alcançar, perseverar e lutar.

“Deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como os monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíam para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. Por isso nossos feitos são nossos monumentos. Construídos com memórias em vez de pedra.” Extraordinário – pág 72

A Isabel, mãe do Auggie, nos transmite um belo exemplo de conquista. Além de ser esposa, professora e mãe de alguém que precisa, querendo ou não, de cuidados e atenção especiais ela não deixou de esquecer dos seus sonhos pessoais. Sim, porque as conquistas estão atreladas aos nossos sonhos. E, para Isabel, terminar a tese do mestrado, após anos cuidando exclusivamente do filho, é uma grande conquista que ela quer alcançar.

5. Bullying não é brincadeira

O pequeno Auggie sempre foi alvo de xingamentos, brincadeiras cruéis e até agressões físicas, tudo isso só por ser diferente. Como eu disse no início desse post, “Enfrentar um mudo que não sabe lidar com as diferenças não é uma tarefa fácil”. Graças ao apoio da família, de amigos que se preocupavam e dos professores e do diretor, Auggie conseguiu superar os desafios, as zombarias e conquistou também o seu espaço dentro da escola.

“Faça um favor para todos e morra” 

“Garoto rato. Estranho. Freddy Krueger. E.T. Cara de lagarto. Mutante. Conheço os apelidos qu me dão. Já tive em parquinhos suficientes para saber que as crianças podem ser cruéis.” Extraordinário – pág 84

Se você já ‘brincou’ de chamar os colegas por apelidos maldosos, rejeitou  a amizade ou desdenhou de alguém, repense nas suas atitudes e aprenda com elas. E ensine aos pequenos que te rodeiam (irmãos, primos, etc) a não fazerem bullying. Além de ser feio, o Bullying dói, dói porque palavras também machucam e podem causar sérias doenças psicológicas como a depressão. O Bullying é considerado uma agressão e não é legal sentir dor, não é mesmo? E se fosse com você? Lembre-se: “Se você tiver que escolher entre ser correto e ser gentil, seja gentil.”

Quando crescemos o bullying muda um pouco. Mas ele continua lá, no ambiente da faculdade, no trabalho e na roda de colegas. Infelizmente sempre haverá pessoas que serão maldosas umas com as outras só por causa das diferenças. Não deixe que isso aconteça, seja firme e mostre para todos que cada pessoa é extraordinária ao seu modo.

 

Bom pessoal, essas foram apenas 5 lições, de muitas que o filme e o livro trazem pra gente. Se você ainda não assistiu, ou leu, por favor, comece 2018 tendo contato com essa história, porque é realmente Extraordinário!

Entrevista Exclusiva

A Editora Intrínseca fez uma entrevista com a autora do livro e adivinhem só?

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail!
Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.