Blog do Unasp

Engenharia Agronômica: Saiba mais sobre o curso, salário e mercado de trabalho.

agronomia

O engenheiro agrônomo é o profissional responsável por todo o processo de planejamento, orientação e execução dos trabalhos relacionados à produção agropecuária, alimentos de origem animal e vegetal, sua liberação de acordo com as normas sanitárias para a comercialização e consumo, além da manutenção e conservação do meio ambiente.

A Engenharia Agronômica é uma profissão que tem passado por uma valorização e expansão nos últimos anos. O Brasil é uma grande força mundial na produção agrícola e de rebanhos. São milhares de produtores aquecendo a economia brasileira e movimentando bilhões de reais. Em 2015 o Produto Interno Bruto (PIB) do setor cresceu 1,8%, em relação a 2014.  Segundo o coordenador-geral de Estudos e Análises do Ministério da Agricultura, José Gasques, a média anual de crescimento do PIB agropecuário, nos últimos 19 anos, tem sido de 3,6%. Para um ano de crise econômica o percentual de 1,8% é motivo de comemoração!

Todo esse potencial no mercado agronômico é uma grande oportunidade para o profissional da área de agronegócios. Com o crescimento das exigências de qualidade e controle dos produtos no mercado internacional e nacional, ter um engenheiro agronômico envolvimento nos projetos e na produção é indispensável para o sucesso e segurança das empresas no setor.

O que o engenheiro agronômico faz?

agrônomo utiliza seus conhecimentos para planejar e supervisionar a aplicação de princípios e processos básicos da produção agrícola, combinando conhecimentos de biologia, química e física, aos estudos específicos sobre o solo, clima, culturas e rebanhos, envolvendo um campo bem diversificado. Por exemplo, ele estuda e aplica os melhores métodos de adubação para o solo e quais são as melhores opções de produtos para o controle de pragas. Opera também com zootecnia, lidando com a criação de animais ligando o cuidado da saúde, alimentação, vacinação e manejo da criação. Também pode fazer ações para a recuperação da terra e torna-la mais fértil para produzir uma safra com mais qualidade. Há muitos outros exemplos, essa é uma área bem vasta.

As principais especialidades são:

Defesa sanitária: Prevenção de doenças da lavoura e combate às pragas;

Engenharia rural: Supervisão da construção de instalações rurais, como nivelamento do solo, sistemas de irrigação e drenagem;

Fitotecnia: controla o uso de sementes, adubos e agrotóxicos, além da prevenção de doenças e pragas;

Agribusiness: pesquisa e orienta o uso de fertilizantes, agrotóxicos e rações. Acompanha a safra desde o plantio até a venda;

Agroecologia: pesquisa meios de conservar e aumentar a fertilidade dos solos e zelar pela utilização racional da terra, água, flora e fauna;

Zootecnia: cuida da saúde, alimentação, reprodução e adaptação ao meio do rebanho.

shutterstock_380237323

Onde atua? 

Você gosta de trabalhar ao ar livre? Então, essa é a profissão perfeita! De maneira geral o ambiente de trabalho de um engenheiro agronômico é no campo, mas não é obrigatório. Muito profissionais se estabelecem em escritórios gerindo ou assessorando agronegócios, ou em empresas privadas, órgãos governamentais ou, ainda atuando em processos de pesquisa.

Quais as principais características para ser um engenheiro agronômico?

Para exercer essa profissão é preciso ter um perfil curioso, gostar de atividades ao ar livre e que requeiram contato com a terra, animais e a produção agrônoma em geral. Sentir-se atraído pelo mundo rural é muito importante. Também é necessário gostar de matemática e tecnologia. Ter disposição para acompanhar as diversas áreas de atuação, podendo atuar em fazendas e cooperativas, como também em empresas, indústrias e instituições financeiras. A criatividade, curiosidade e comunicação são importantes para a decisão e criação de novos projetos, além da organização e concentração para manter e colocar em práticas as atividades.

O curso no UNASP

O curso de Agronomia dura 10 semestres e possibilita a formação profissional com as competências e habilidades de:

– Projetar, empreender, coordenar, analisar, fiscalizar, assessorar, supervisionar e especificar técnica e economicamente projetos agroindustriais e do agronegócio, aplicando padrões, medidas e controle de qualidade;

– Realizar vistorias, perícias, avaliações, arbitramentos, laudos e pareceres técnicos, com condutas, atitudes e responsabilidade técnica e social, respeitando a fauna e a flora e promovendo a conservação e/ou recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, com uso de tecnologias integradas e sustentáveis do ambiente;

– Atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário interagindo e influenciando nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais;

– Gerar tecnologia, condições para implementar, produzir, conservar e comercializar alimentos, fibras e outros produtos agropecuários de modo a preservar os recursos naturais;

– Participar e atuar em todos os segmentos das cadeias produtivas do agronegócio;

– Exercer atividades de docência, pesquisa e extensão no ensino técnico profissional, ensino superior, pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão;

– Enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade, do mundo, do trabalho, adaptando-se às situações novas e emergentes.

– Compreender as variáveis envolvidas nos sistemas de produção agrícola, que vai da produção familiar à produção não familiar, e contemplar diferentes finalidades quanto à produção que se quer obter e como ela vai ser utilizada;

– Diagnosticar problemas e propor soluções, com auxílio da pesquisa científica, considerando a realidade sócio-econômica e ambiental dos produtores e do espaço analisado;

– Tomar iniciativa técnica e administrativa nas diferentes formas de organização, solucionando dúvidas e problemas do exercício profissional;

– Participar de trabalho em equipe, valorizar a atuação multidisciplinar, capacitando-se para exercer liderança e colaboração com outros profissionais e equipes, ensejando a superação de conflitos;

– Acessar e interpretar informações técnicas e expressar-se de maneira adequada;

– Atuar como gerador e difusor de informações e novas tecnologias, considerando igualmente processos de adequação destas, de modo que beneficiem o conjunto da sociedade;

– Conhecer, criticar, fazer propostas e atuar, posicionando-se em relação às políticas públicas no campo do espaço agrícola e ambiental;

– Posicionar-se em relação aos grandes temas agrícolas e ambientais da realidade brasileira e afetos à profissão de Engenheiro Agrônomo.

Salário do profissional

Salário médio: R$ 6.276
Mínimo declarado: R$ 2.000
Máximo declarado: R$ 13 mil

Quer saber mais?
Acesse o nosso site e saiba mais sobre a profissão e a grade curricular do curso e de Engenharia Agronômica do UNASP. 

Fontes: Guia de Carreira / Guia do Estudante / InfoEscola / Catho / Brasil Profissões / G1 / Portal Brasil

There are no comments

Join the conversation

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail!
Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.