Blog do Unasp

Quer empreender, mas ainda não sabe como e qual negócio abrir?

Veja algumas sugestões de como abrir um negócio quando você não faz ideia em qual tipo de empreedimento começar.

Algumas pessoas desejam não ter que trabalhar para outras pessoas ou empresas. Gostariam de ter mais autonomia para criar seu próprio estilo de trabalho, lançar produtos e serviços, ter um negócio e gerenciar uma empresa. Empreender é, em muitos aspectos, ser seu próprio patrão. De acordo com algumas pesquisas 80% de todos os trabalhadores já pensaram nessa ideia em algum momento de suas vidas. Você faz parte desse número?

Sonhar, isso é algo normal e que faz parte de todos nós. As pessoas sonham. Talvez o seu sonho seja:  abrir um brechó online, onde você possa vender roupas usadas e incentivar um consumo consciente. Ou talvez o seu sonho seja: vender gibis. Ou talvez você pense: eu quero abri meu próprio negócio de informática. Ou: quero ser um consultor para pessoas que precisam da minha experiência em determinado assunto. Esse tipo de coisa. Ou talvez você não tenha nenhum sonho específico. Tudo o que você sabe é que não quer trabalhar para outra pessoa. E você está aberto a todas e quaisquer sugestões.

O empreendedorismo é a porta de entrada para a maioria dos casos citados no parágrafo acima. À partir de uma ideia, ou de uma necessidade, é possível criar um negócio, ganhar dinheiro e ainda por cima sentir-se completo pessoalmente e profissionalmente.

Se você está pesando na ideia de sair por conta própria e começar seu próprio negócio é preciso saber como fazer. Você já sabe? Bem, vamos dar algumas sugestões de como abrir um negócio quando você não faz ideia por onde começar.

Está gostando dos conteúdos?

Assine a newsletter e receba todas as novidade direto no seu e-mail!

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Chegamos naquele ponto em que você quer ser seu próprio patrão, mas você não tem a menor ideai do tipo de negócio que você quer ter. Como você começa? Há quatro etapas, que qualquer pessoa esperta deve seguir fielmente, são elas: Escreva. Leia. Explore. Obtenha feedback. Vamos conversar mais sobre cada uma dessas etapas? Bóra!

Escreva

Antes de mais nada é preciso se conhecer. Obter uma imagem mais clara de quem você é e o que quer fazer. Isso porque o seu futuro negócio deve ser algo que flui diretamente de quem você é. Para isso, escreva em um papel uma lista de cinco coisas:

a. Faça uma lista de cinco coisas em que você é bom.

b. Então, faça uma segunda lista de cinco coisas que você gosta/ama fazer.

c. Em seguida, faça uma terceira lista onde as duas primeiras listas se sobrepõem. Compare-as e veja como as duas primeiras listas se combinam.

d. Leia essa terceira lista. Pergunte a si mesmo: “alguém me pagará para fazer essas coisas?”

Esse exercício pode te ajudar a ter ideias para o seu futuro negócio e também para entender melhor as suas paixões.

Da mesma forma, use um papel para escrever qualquer ideia que venha até você. Não ache que é necessário esperar por uma única ideia. Você pode ter várias e depois selecionar a que melhor se encaixa nas suas necessidades e oportunidades de vida. Reserve um caderno ou agenda para guardar todas essas ideias.

Às vezes as melhores respostas podem estar guardadas na experiência de outras pessoas. Assim sendo, procure inspirar-se por outros empreendedores. Leia suas histórias, acompanhe seus perfis nas redes sociais, leia notícias e assista a vídeos.

Dessa forma você passará a entender e aprender com os erros e acertos dessas pessoas. E consequentemente poderá se preparar e aprender para o seu próprio negócio. Depois disso anote as maiores lições que você aprendeu com esses empreendedores. Use essa compilação para inspirar-se sempre que precisar.

Leia

Antes de escolher o seu negócio é uma boa ideia ver as possibilidades de empreendimentos diferentes. Escolha três negócios que você realmente morreria para fazer, negócios que te deixam apaixonado, então explore cada um deles a fundo.

Por exemplo, leia artigos e entrevistas sobre os seus criadores.Depois, o que você deve fazer é ler sobre todas os pontos positivos e negativos de administrar seu próprio negócio. A Internet tem toneladas de artigos sobre isso. Inclusive escrevemos aqui no blog do Unasp um post com a curadoria de alguns artigos que falam sobre o tema.

Um deles é; 7 histórias de empreendedores para você se inspirar em 2018.  Durante a leitura do artigo é possível encontrar outros brasileiros com histórias semelhantes à nossa e que alcançaram o sucesso. Muito inspirador!

Portanto, lembre-se. Leia muito sobre empreendedorismo e esteja por dentro do mercado.

Explore

Muitas startups, on-line e off-line, não conseguem passar dos três primeiros anos. Provavelmente você quer evitar que o mesmo aconteça com você. Certo? Então é necessário entender o que as outras pessoas que começaram o mesmo tipo de negócio fizeram, para que você aprenda com seus erros e acertos. Isso se chama explorar o mercado. O autor Richard N. Bolles em seu livro, – What Color is Your Parachute? – criou uma fórmula simples para a exploração.

É a fórmula: A-B = C

A fórmula funciona da seguinte forma: primeiro você deve descobrir quais habilidades, conhecimentos ou experiências são necessários para fazer esse tipo de ideia de negócio funcionar. Como? Entrevistando ou pesquisando sobre várias empresas do mesmo setor ou tipo. Esta é a lista “A”.

E então você precisa fazer uma lista das habilidades, conhecimento ou experiência que você já possui. Esta é a lista “B. Quando terminar essas duas listas você subtrai a ” B “da” A “, onde você chegará a uma lista de habilidades e outras informações que são necessárias para o sucesso em um negócio e que você não tem.

Após descobrir as suas fragilidades ou o que falta para conquistar o sucesso é preciso correr atrás do prejuízo. Você pode procurar apoio em livros sobre o assunto ou contratar um profissional para dar-lhe alguns conselhos. E até mesmo pedir ajuda para amigos ou parentes que tenha as habilidades que lhe faltam. Esta é a lista C.

Resumidamente essa é a fórmula A-B=C. No entanto vamos explicá-las com mais detalhes a seguir.

Bom, para começar você deve se preparar para criar essa fórmula detalhando cada parte do negócio em que você está pensando começar. Essa é a lista “A”. Você quer ser um escritor freelance ou artesão, ou um consultor, roteirista independente artista digital, compositor, fotógrafo, ilustrador, terapeuta, encanador, eletricista, reparador de bicicletas ou o quê? Primeiro é necessário decidir qual é o seu nicho de mercado.

Após isso você precisa conversar com pessoas que já estão fazendo o mesmo tipo de trabalho que você gostaria de fazer. Esse passo é muito importante porque não basta apenas fazer uma pesquisa, o ideal é que você comece uma conversa com elas. Com a ajuda da internet esse processo pode ser mais simples. Encontre essas pessoas através do Google, do LinkedIn ou através de outras redes sociais.

Quando você for falar com elas seja franco. Explique o que você está fazendo, exponha as suas dúvidas e pergunte sobre a possibilidade de iniciar seu próprio negócio, semelhante ao deles. Pergunte se eles se importariam em compartilhar algo de sua própria história. Você também pode perguntar a eles que habilidades, conhecimento ou experiência eles acham que são necessários para tornar esse tipo de negócio bem-sucedido.

Atualmente os contatos e relacionamentos acabam ficando restritos ao universo virtual, o que não é lá o ideal. Uma conversa face a face ainda é preferível em muitos casos. Não tenha vergonha de perguntar a essas pessoas se vocês poderiam se encontrar pessoalmente.

Normalmente esses empreendedores não estão propensos a ver você como um concorrente em potencial, a menos que você mostre o contrário. Por isso, seja amistoso mostre a eles que você quer que eles, em primeiro lugar, lhe digam algo sobre a história de seus negócios. Como eles começaram, que tipo de desafios eles enfrentaram, o obstáculo e as armadilhas que encontraram. Mostre que você não quer informações secretas, mas sim aprender com eles.

Pode ser que demore um tempo até que você encontre um empreendedor disposto a bater esse papo, por isso não desista no primeiro não que receber. Continue tentando até conseguir bater na porta certa. Quando você tiver uma lista satisfatória de informações necessária sobre o nicho de mercado, é hora de passar para a próxima lista.

Agora é hora de começar a lista “B.” Essa deve ser o inventário de suas próprias habilidades, conhecimento e experiência. Fazendo o inventário/levantamento de quem você é, será mais fácil descobrir o que precisa ser aprimorado. Quais são as suas potencialidades e fragilidades. Você pode começar contabilizando a sua experiência estudantil e profissional. Relacione os seus cursos (faculdade, pós-graduação e cursos extras) e trabalhos. Além disso, escreva quais são os talentos (não seja um falso modesto), escreva tudo aquilo em que você é bom.

Feito isso, subtraia “B” de “A”. E desse resultado surgirá uma outra lista, que você deve nomear “C.” A lista “C” é, por definição, uma lista das habilidades de conhecimento que você não tem. Mas que precisa descobrir como conquistar – seja fazendo cursos por conta própria ou contratando alguém para orientá-lo por um tempo.

Por exemplo, se sua investigação revelou que são necessárias boas práticas contábeis para gerar lucro, e você não sabe nada sobre contabilidade. Então é óbvio que você precisa contratar um contador em tempo parcial para ajudá-lo nas finanças. Em outras palavras, a lista “C” mostra onde você precisa melhorar.

Essa fórmula dá um pouco de trabalho, mas vale muito a pena! Fazê-la irá te ajudar a responder vários questionamentos e descobrir coisas novas. Então, não tenha medo, preguiça ou insegurança. Explore o mundo dos empreendimentos antes de abrir o seu próprio negócio.

Obtenha Feedback

Com o tempo você vai descobrir que é muito importante ter pessoas próxima a você, e com as quais você possa confiar. Não apenas pelo relacionamento pessoal, mas também porque nós precisamos do apoio e opinião de pessoas que realmente serão sinceras com você. Na hora de empreender é necessário compartilhar seus sonhos e planos com pessoas de confiança.

Se você tem um cônjuge ou parceiro, diga a ele o que você está fazendo, descubra qual é a sua opinião. Descubra se isso vai exigir sacrifícios da parte dele (não apenas da sua) e como ele se sente sobre isso.

Se a sua vida é compartilhada você não tem o direito de tomar uma decisão unilateralmente, sozinho. Vocês devem fazer parte da mesma jornada. E se você quer empreender é sua responsabilidade inteirar o seu parceiro sobre a sua decisão de empreender. O amor exige isso!

O mesmo vale para a família e amigos íntimos. Se você vive em comunidade e se as suas ações podem interferir diretamente na vida de outras pessoas, você deve avisá-las sobre seus planos. Por outro lado, esteja aberto para ouvir opiniões. E seja maduro para lidar com aquelas que são diferentes da sua. Peça um feedback (retorno) sobre a sua ideia. Não tenha medo de ser contrariado.

Se depois de todo esse feedback você decidir que ainda quer criar seu próprio negócio, vá em frente e tente. Mesmo que seus familiares e amigos – muitas vezes bem intencionados – tentem te convencer do contrário. Eles te amam, estão preocupados com você e você deve agradecê-los por isso.

Pais, filhos, amigos bem-intencionados, etc, podem dar conselhos amorosos, mas no final eles não podem escolher por você. Seja ponderado, saiba quando é necessário arriscar ou desistir de algo. No entanto a responsabilidade é sua. Lembre-se disso.

Conclusão

Lembre-se que é preciso muita coragem para tentar qualquer coisa nova. Será mais fácil, no entanto, se você sempre ter em mente que:

• Sempre haverá algum risco em tentar algo novo. Sua meta não deve ser evitar riscos – não há como fazer isso -, mas garantir que o risco seja administrável com antecedência.

• Como vimos, é preciso fazer pesquisas antes de começar. Como? Falando primeiro com outras pessoas que já fizeram o que você está pensando em fazer; então você avalia ou não se ainda quer ir em frente e tentar.

• Ter um plano B é necessário! Antes de começar invista um tempo pensando o que você poderia fazer se caso a sua ideia não der certo. Ou seja, traçar uma segunda opção de onde você poderia ir se algo não der certo.

Esperamos que com essas sugestões você descubra em breve qual empreendimento combina com os seu perfil e ambições. Boa sorte em tudo e até a próxima!

Ei, não vá embora sem assinar a nossa newsletter!

É só colocar seu e-mail aqui em baixo para receber os melhores conteúdos do blog.

Valeu por se inscrever! Em breve mandaremos as novidades do blog!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!

Veja também

Gostando dos conteúdos?

Receba as atualizações no seu e-mail! Insira seu endereço ao lado e não perca as novidades.

Obrigado por se inscrever! Em breve você receberá nossas atualizações no seu e-mail!
Ocorreu um erro interno neste formulário! Por favor, entre em contato com o responsável pelo site!