A Biblioteca Pr. Germano Ritter do Unasp campus Hortolândia, foi criada em 1949, com o objetivo de oferecer um ambiente para leitura, estudo e pesquisa, atendendo hoje aos vários níveis educacionais dos alunos no campus.

Localizada atualmente no Prédio Central ocupando uma área de 1.173 m2 de construção, sendo a área do acervo de 127m2. Está distribuída da seguinte forma: Recepção; Sala da Administração; Sala de Estudos; Laboratório de Informática; Acervo; Reprografia; Processo Técnico; Restauro/ Encadernação; CMHC (Centro de Memória Histórico Cultural – Profº Oswaldo Rodrigues de Azevedo);  Sala de Atendimento aos Periódicos/Videoteca em organização e Minicentro White.

O Acervo da Biblioteca possui cerca de 30.306 títulos de livros e 47.682 exemplares; com 499 títulos de periódicos num total de 14.453 exemplares, abrangendo principalmente as áreas de Ciências Humanas, Administração, Tecnológicas, Educação Física. Além dos livros oferece também o acervo de teses, dissertações, periódicos, monografias, Cd-rons.

Germano Ritter

O Pr. Germano Ritter era Administrador e fundador de escolas. Nasceu no dia 16 de março de 1898, na cidade de Taquara, RS. Filho de imigrantes alemães: Henrique Ritter e Carolina Cruze, que vieram para a América do Sul, a fim de servir no Exército Brasileiro. Henrique era luterano e sua esposa católica.

O casal converteu-se ao adventismo em 1908, por uma série de conferências dirigidas por *John Lipke, na então vila de Taquara. Após sua conversão, seu pai, Henrique Ritter, doou um terreno para ser utilizado na construção da igreja, pois possuía alguns recursos. Germano Guilherme Ritter passou a infância na cidade natal e desde pequeno ajudou seu pai trabalhando na marcenaria que pertencia à sua família. Fez todos os cursos disponíveis na cidade de Taquara do Novo Mundo, RS, onde graduou-se como Guarda-Livros, o que corresponde hoje a um curso de Administração e Economia.

Depois de formado, trabalhou na firma de seu pai como gerente e guarda-livros (administrador), afastando-se somente para integrar-se na Obra Adventista. Desde sua conversão, participou dinamicamente das atividades religiosas, dos congressos, campais e bienais. Foi professor da primeira classe da *Escola Sabatina em Língua Portuguesa da igreja de Taquara. Em 1922, numa campal conheceu Irma Nagel de Santa Cruz, com a qual casou-se em 1923. Desta união nasceram: Orlando Rubem Ritter, Germano Raul Ritter, Mário Ritter, Noemi Ritter [Berger] e Iolanda Alice Ritter [Rabello].

Ingressou, no ano de 1923, na Obra Adventista como colportor. Em seguida foi chamado para trabalhar como assessor do tesoureiro na Associação Sul -Riograndense, cargo que ocupou até 1926, em Porto Alegre. Em 1926, transferiu-se para Curitiba, PR., aceitando o chamado para ser secretário-tesoureiro da Missão Paraná-Santa Catarina, cujo presidente era o Pr. Ennis V. Moore.

Em 1930, veio para a Associação Paulista da IASD, onde ocupou o mesmo cargo que na Missão Paraná-Santa Catarina, tendo como chefe o mesmo presidente. Em 1932, fundou a Escola Primária Adventista de Santo Amaro, da qual era ancião.

Em 1935, retornou a Curitiba, passando a atuar como secretário departamental nas áreas de Educação e Jovens Adventistas (JA). Envolveu-se também em vários projetos relacionados diretamente a escolas e professores no Paraná e Santa Catarina.

Em 1940, fundou o Colégio Adventista de Butiá, localizado perto de Rio Negro, que depois foi transferido para Curitiba e atualmente localiza-se em Maringá – o atual *Instituto Adventista Paranaense (IAP). Germano G. Ritter foi um líder que, quando na presidência da Associação Paraná-Santa Catarina, trabalhou pela educação, fundando assim várias escolas.

Ainda em 1940, recebeu um chamado para assumir a Presidência da Associação Paulista, da qual fora secretário-tesoureiro. Trabalhou em prol da Casa de Saúde Liberdade, atual Hospital Adventista de São Paulo (HASP), e tão logo esteve o Hospital em funcionamento, dedicou-se ao trabalho evangelístico no interior de São Paulo, onde pôde levar o Evangelho à várias pessoas.

Em 1947, adquiriu um terreno e em 1949 iniciou-se a construção de um colégio de 2o grau para a juventude adventista de São Paulo – o Ginásio Adventista Campineiro (GAC), atual, *Instituto Adventista São Paulo (IASP). Preocupava-se também com os idosos, e assim construiu em São Paulo, próximo ao Instituto Adventista de Ensino (IAE/SP), um lar para idosos chamado atualmente Lar Adventista de Convivência para Idosos (Lar da Velhice). Atuou na Associação Paulista como presidente por oito anos até 1948.

Ao deixar a Associação Paulista, Germano G. Ritter foi chamado para gerenciar a fábrica de produtos alimentícios Superbom e seu último trabalho foi em A Voz da Profecia, no Rio de Janeiro. Faleceu no dia 18 de dezembro de 1968, aos 70 anos de idade, na Casa de Saúde Liberdade, em São Paulo.